terça-feira, 14 de junho de 2011

O QUE É PREBIÓTICO,PROBIÓTICO E DISBIOSE

O que são Probióticos e Prebióticos?

Dentro da Ciência da Nutrição, sempre há novidades sobre a alimentação .
Felizmente, cada vez mais se descobrem alimentos que desempenham funções benéficas ao organismo humano, como prevenção de doenças, proteção de órgãos e tecidos, manutenção das reações básicas, entre outros. Esses alimentos são chamados alimentos funcionais.

De acordo com a ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária - propriedade funcional é aquela relativa ao papel metabólico ou fisiológico que o nutriente ou não nutriente tem no crescimento, desenvolvimento, manutenção e outras funções normais do organismo humano.

Os alimentos
prebióticos são alguns tipos de fibras alimentares, ou seja, carboidratos não digeríveis pelo nosso corpo. Isto é, possuem uma configuração molecular que os torna resistentes à ação de enzimas. Esse tipo de fibra possui as seguintes funções:
·  Ajuda na manutenção da flora intestinal;
·  Estimula a motilidade intestinal (trânsito intestinal);
·  Contribui com a consistência normal das fezes, prevenindo assim a diarréia e a constipação intestinal por alterarem a microflora colônica por uma microflora saudável;
·  Colabora para que somente seja absorvido pelo intestino as substâncias necessárias eliminando assim o excesso de glicose (açúcar) e colesterol, favorecendo, então a diminuição do colesterol e triglicérides totais no sangue;
·  Possui efeito bifidogênico, isto é, estimulam o crescimento das bifidobactérias. Essas bactérias suprimem a atividade de outras bactérias que são putrefativas, que podem formar substâncias tóxicas.

Exemplos de
prebióticos
são: frutoologosacarídeos (FOS) e a inulina. Os FOS são obtidos a partir da hidrólise da inulina. Os frutooligosacarídeos estão presentes em alimentos de origem vegetal, como cebola, alho, tomate, banana, cevada, aveia, trigo, mel e cerveja. A inulina é um polímero de glicose extraído principalmente da raiz da chicória. Ela se encontra também em alho, cebola, aspargos e alcachofra. A inulina extraída da chicória é produzida comercialmente e pode ser consumida por diabéticos como substituto do açúcar por conter de 1 a 2 kcal/g.

Os
probióticos
são outro tipo de alimentos considerados funcionais. São microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde. Esses organismos são adicionados aos alimentos, como os leites fermentados, por exemplo.

As mais conhecidas bactérias que exercem essa função são as Bifidobacterium e Lactobacillus, em especial Lactobacillus acidophillus. Elas agem produzindo compostos como as citoquinas e o ácido butírico que são antimicrobianos e antibacterianos, ou seja, favorecem a presença de bactérias benéficas ao organismo e diminuem a concentração de bactérias e microorganismos indesejáveis. Outra maneira de proteger a mucosa intestinal é metabolizar as fibras presentes e transformá-las em ácidos.

Dessa forma, no meio ácido há uma diminuição na concentração de bactérias patogênicas e putrefativas, que provocam doenças e gases. Outras funções:
·  Os probióticos aumentam de maneira significativa o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos porque há um aumento dos níveis de vitaminas do complexo B e aminoácidos. Absorção acrescida de cálcio e ferro;
·  Fortalecimento do sistema imunológico, através de uma maior produção de células protetoras e,
·  Particular importância para os indivíduos com intolerância à lactose, devido ao aumento de uma enzima que facilita a digestão da lactose.

A manutenção do equilíbrio da flora intestinal é muito importante para o nosso organismo. Dessa maneira, a alimentação assume papel influente através da ingestão de alimentos que proporcionem o desenvolvimento no intestino de bactérias saudáveis.

Os
prebióticos e probióticos têm esta função e o consumo destes alimentos deve ser estimulado. No entanto, é importante saber que uma vida saudável está relacionada não somente com os alimentos que são ingeridos, mas também com o estilo de vida, a hereditariedade, influência do meio ambiente e atividade física. Assim, é fundamental perceber que uma boa saúde não depende somente de alimentos funcionais e sim de vários fatores que juntos proporcionam uma vida saudável.
Fonte : CyberDiet   
Os alimentos Prebióticos são componentes nutricionais não digeríveis que estimulam o crescimento e a acividade de uma ou mais bactérias benéficas do cólon;

Os alimentos que contém prebióticos na sua composição são:
banana
alho
cevada
mel
cebola
centeio
açúcar mascavo
tomate
raiz de espargos
alcachofra
entre outros chicória e trigo

Os seus maiores benefícios são:
A absorção do cálcio pelo organismo, reduz a tensão arterial e o colesterol total.

PREBIÓTICOS
São suplementos alimentares com microorganismoa vivos, que melhoram o equilíbrio microbiano intestinal;

Os alimentos que possuem probióticos na sua composição são:
iogurtes
leites fermentados

Os probióticos são considerados alimentos funcionais, pois exercem efeitos benéficos ao organismo
incluindo a prevenção e tratamento de doenças, além de serem organismos vivos que actuam no controlo de patologias e também são considerados alimentos NUTRACÊUTICOS, porque possuem actividades fisiológicas que favorecem o bem-estar.

A ingestão diária de probióticos controla a taxa de colesterol, regularizando o intestino e melhorando a imunidade. Também actua a regeneração da flora intestinal após tratamento com antibióticos. Favorese o processo digestivo, devido a produção de gases (flatulência) e prevenção do câncer, principalmente do cólon.

RESUMINDO :

Os probióticos são microorganismos vivos, que administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do indivíduo. 
Prebióticos são componentes alimentares não digeríveis que afetam beneficamente o hospedeiro, por estimularem seletivamente a proliferação ou atividade de populações de bactérias desejáveis no cólon.

Os próbióticos podem ser encontrados em alimentos como leites fermentados, iogurte ou podem ser encontrados na forma de pó ou cápsulas. Como exemplos de prebióticos temos os frutoligossacarídeos (FOS) e a inulina. As principais fontes de FOS incluem trigo, cebola, alho, banana, chicória, tomate, cevada, centeio, aspargo e girassol-batateiro.

Entre os benefícios dos probióticos e prebióticos podemos citar: estimulação do sistema imune, aumento na absorção de minerais e vitaminas, controle da microbiota intestinal, promoção da digestão da lactose em indivíduos intolerantes a lactose, estimulação da motilidade intestinal, redução do risco de câncer de cólon e redução de triglicerídeos.

Além disso, os FOS tem sido utilizados como substituto do açúcar para pacientes diabéticos e a inulina por possuir baixo valor calórico (1 a 2 kcal/g) é utilizada em dietas para pessoas com obesidade.

Para garantir um efeito contínuo, tanto os probióticos como os prebióticos devem ser ingeridos diariamente.

Podemos concluir que a inclusão desses alimentos, aliado a uma dieta balanceada e prática de atividade física é fundamental para manutenção e melhoria da saúde humana.

 DISBIOSE

O intestino humano possui aproximadamente 100 trilhões de bactérias (a chamada microbiota intestinal), dentre as quais mais de 400 espécies diferentes vivem num delicado balanço. O desequilibrio dessa “flora microbiana” é chamado de Disbiose Intestinal.

Situações como alimentação inadequada, stress, envelhecimento, uso indiscriminado de alguns medicamentos, propiciam o quadro de disbiose intestinal. A presença de sinais e sintomas como alterações do ritmo intestinal, flatulência, eructações, acne, fadiga, falta de concentração e depressão sugerem o desequilíbrio da microbiota intestinal.
A prevenção e o tratamento nutricional tem o objetivo de manter o equilíbrio do organismo como um todo e consiste em reeducação alimentar. De forma geral deve-se evitar o alto consumo de alimentos como leite e derivados, carne vermelha, ovos, açúcar branco e alimentos processados. A alimentação deve consistir de alimentos que possuem FOS (frutooligossacarídeos), como cenoura crua, alho-poró, além de frutas e cereais. Os FOS estimulam seletivamente o crescimento de bactérias benéficas reduzindo as bactérias patogênicas do trato gastrintestinal. A utilização de probióticos (microorganismos vivos, administrados em quantidades adequadas, que conferem benefícios a saúde) como leites fermentados e iogurtes especiais, também devem ser usados no tratamento. Os probióticos estimulam a multiplicação de bactérias benéficas reforçando os mecanismos naturais de defesa do organismo. As principais bactérias empregadas nos probióticos são as pertencentes aos gêneros Lactobacillus e Bifidobacterium. 

Alguns dos principais benefícios dos probióticos: controle da microbiota intestinal, estimulação do sistema imune, alívio da constipação, aumento da absorção de minerais e produção de vitaminas.