Pular para o conteúdo principal

O AÇÚCAR ALIMENTA O CÂNCER-Dr. Alberto P. Gonzalez


"Quando sou procurado por pacientes que passam pela experiencia de vida chamada "câncer", normalmente sou indagado sobre algum alimento ou erva que apresente capacidade de tratamento da doença. Esta pergunta é muito comum, assim como é comum que o homem procure soluções que sejam rápidas e milagrosas para os seus problemas.
Mas o câncer é uma doença muito misteriosa, com muitas nuances e detalhes, tão individuais como os que a hospedam. Cada câncer tem um comportamento único, dependendo do tipo histológico, ou do tipo de tecido em que se desenvolve. Alguns tem comportamento mais agressivo, resistem ao tratamento estabelecido, tornam-se rebeldes. Outros são facilmente ressecáveis por cirurgia e regridem com algumas sessões de quimioterapia. Enfim, é uma relação única entre doença e hospedeiro, onde cada parte vai desempenhar um papel.
Mas existem alguns princípios que os hospedeiros de um câncer devem conhecer e depois de conhecer, respeitar. O primeiro é: deixar todas as práticas que possam causar nocividade ou facilitar o desenvolvimento do tumor. O segundo e deixar de lado todos os pensamentos e sentimentos não criativos, que contenham medo. Devem evitar mais que qualquer outro ser humano sentir raiva ou agressividade, que são verdadeiros venenos contra o sistema imune.
A prática mais nociva que devemos deixar imediatamente é o consumo de açucar, na forma do açúcar branco, mascavo, melado, rapadura, mel, doces, refrigerantes, cafezinho ou chocolate ou na forma de amidos: pães, pizzas,massas (integrais ou não) biscoitos, bolachas, bolos, tortas, salgados, frituras e empacotados. Todos estes alimentos guardam uma característica comum, eles são glicêmicos, oxidantes ("enferrujantes") e acidificantes do sistema. Estes tres fatores contribuem para o crescimento e o desenvolvimento de câncer.
O leitor se perguntará primeiro, como deixar hábitos tão antigos e impressos desde os primeiros dias de nossa infância? Afinal o leite materno é doce! Os aniversários são doces! A merenda da escola é doce! A torta feita em casa e o pão de cada dia são feitos de amido! O amido que é mastigado na boca já chega no estômago como açúcar.
E este é o desafio. Nós da equipe da Oficina da Semente ensinamos uma nova maneira de se alimentar para você e todos aqueles que acreditem no que estou falando (não obrigamos ninguém a acreditar, apenas ensinamos o caminho). Reaprendemos o conceito de sabor doce, reaprendemos ou aprendemos a usar as frutas, a fazer tortas, paves, mousses, pães, chocolates e sorvetes - tudo com o delicioso açúcar que a natureza nos oferece, contido nas sementes, frutas e ervas que recobrem a superficie do planeta. Reduzindo a carga glicêmica e os fungos do sistema, aumentando a quantidade de antioxidantes disponível, corrigindo lesões do DNA e permitindo melhor função da célula, damos a chance que seu corpo possa reagir melhor e principalmente, vibrar em uma frequência mais saudável.
Nós damos apoio às medidas tomadas pelas escolas médicas. Não somos excludentes, somos inclusivos, de novos hábitos e práticas. Apenas nos encarregamos de levar estas inovações ao ambiente mais estratégico de nossas vidas e de nossa saúde: a cozinha. Não prometemos a ninguém a cura do câncer, mas podemos garantir que cada um dos que aderirem a esta forma de se alimentar e de viver estarão dando aos seus corpos e mentes uma razão a mais para ficar por mais tempo e com mais qualidade por aqui."


Fonte : Alberto P. Gonzalez, médico-
www.doutoralberto.com

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …