Pular para o conteúdo principal

ALIMENTAÇÃO : VEJA OS ERROS MAIS COMUNS QUE VOCÊ COMETE NO CAFÉ DA MANHÃ


Crédito: Thinkstock

Veja os erros mais comuns que você comete no café da manhã.

Comer poucas fibras e proteínas no desjejum pode fazer você sentir mais fome ao longo do dia.

Enfatizo a importância de ter um café da manhã rico em nutrientes para dar uma ajudinha na dieta. Isso porque, ao contrário do que muitos pensam, pesquisas revelam que acordar e ficar muito tempo em jejum não emagrece, pois pode deixar você com mais fome ao longo do dia.
O nutricionista americano Keri Gans, que é colunista do Huffington Post, observa na prática a influência negativa que um café da manhã fraco pode trazer à dieta. Segundo ele, vários pacientes alegaram sentir mais fome ao longo do dia após comer pouco depois de acordar.

Assim, para que você possa otimizar a sua refeição, ele preparou uma lista com os cinco erros que as pessoas mais cometem no desjejum. Confira e veja se algum deles faz parte da sua rotina:

# Comer pouca proteína

Para muitas, uma tigela de leite com cereal parece uma boa dose de proteínas. Porém, o nutricionista explica que, por tomar o líquido a colheradas, a digestão será muito lenta, causando a sensação de fome antes do esperado. Para evitar o problema, ele indica turbinar o café da manhã com um ovo cozido ou torradas bem cobertas por manteiga de amendoim.

# Café da manhã pobre em fibras

Quanto mais açúcar o seu café da manhã tem, mais rápida será a digestão e mais cedo você vai sentir fome. Por isso é que deixar as fibras de fora do desjejum é um erro tão comum. Para evitá-lo, prefira pães e cereais integrais, que demoram mais para serem digeridos. A dica de Gans é que a refeição tenha ao menos cinco gramas de fibras. Você também pode adicionar chia ou sementes de linhaça trituradas ao alimento para conquistar a porção de fibras adequada.

# Desjejum sem gordura

Dieta é sinônimo de tirar a gordura do cardápio, certo? Nem sempre. Segundo o especialista, um dos erros do café da manhã é tirar toda a gordura da refeição, o que pode fazer com que a fome apareça mais cedo. Para evitar isso, adicione porções de gordura boa, como nozes e castanhas, em quantidades moderadas.

# Comer pouco

Comer pouco também não é a melhor forma de quebrar o jejum. Uma fruta, por exemplo, apesar de ser rica em fibras, vitaminas e minerais, logo vai deixar você com fome. O ideal, segundo Gans, é comer pelo menos 300 ou 400 calorias na primeira refeição do dia.

# Café da manhã muito tarde

Se você conta como café da manhã aquele lanche que você come depois de chegar no trabalho e ter feito várias coisas, saiba que ele também é um erro. O especialista afirma que o desjejum deve ser feito até uma hora depois de acordar, porque quanto mais tempo uma pessoa espera para comer, mais difícil será de ela se sentir saciada. O resultado então será a ingestão de um número maior de calorias do que seria necessário.

Fone:http://todaela.uol.com.br/boa-forma/veja-os-erros-mais-comuns-que-voce-comete-no-cafe-da-manha

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …