Pular para o conteúdo principal

HOSPITAL NATURALISTA : PROMOVER E RECUPERAR A SAÚDE COM TÉCNICAS NATURAIS




https://www.facebook.com/movimentogotadagua

Foto: Sustentabilidade e muito charme...
Caixotes de feira viram perfeitos nichos para um belo jardim vertical, botas velhas abrigam plantas e pássaros e garrafas pet recicladas se tornam hortas suspensas. 
Além de ter temperos e verduras frescas ao alcance das mãos, essas pequenas ações embelezam o espaço e contribuem com o meio ambiente.
Seja criativo e plante essa ideia!
Por um Brasil mais consciente, inteligente e responsável
Veja mais sugestões aqui: http://zip.net/bxkWKc


HOSPITAL NATURALISTA
 

O que é um hospital Naturalista?

 
É um centro de promoção, proteção e recuperação da saúde através de técnicas naturais.

A dietoterapia é parte integrante do tratamento natural, pois aquilo que comemos determina, mais do que qualquer aplicação externa, a qualidade de nosso sangue e sua composição química. O sangue, por sua vez, influencia fortemente a atuação das células que formam todas as partes de nosso corpo. Se o sangue for puro, repleto de nutrientes e tiver correto equilíbrio ácido/alcalino, nossas células serão vigorosas e formarão órgãos e glândulas eficientes, isto é,
teremos saúde verdadeira. Compreendemos assim a sabedoria de Hipócrates, o “Pai da Medicina”, que já nos recomendava a quase 2.500 anos atrás : “Que o teu alimento seja o
teu remédio, e o teu remédio seja o teu alimento".
"E fizemos de nós mesmos fossas vivas e, induzimos os médicos a dar nomes para nossas doenças."segundo disse Platão.


Agrotóxicos



Utilizam-se para tratamento e desintoxicação
Alimentos Orgânicos crus e vivos(frutas, folhas,raízes, brotos e sementes
germinadas),bem como Superalimentos.

Na Alimentação Desintoxicante,a principal proposta é a prática do “banho interno DIÁRIO”,ou seja a limpeza dos 5 sistemas excretores de seus venenos e toxinas.
Tais 5 sistemas excretores são: Fígado e Vesícula, Intestinos Delgado e Grosso, Pele, Pulmões e Rins.Trabalha-se os 5 Sistemas Excretores, os 5 Sentidos, os 5 Sabores e os 5 elementos de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa(MTC),como explicitado na tabela abaixo:


 
Meditação,Yoga,Ayurvédica, Acupuntura e Massagens,Pilatis, Homeopatia,Fitoterapia
e Aromaterapia,Florais de Bach e do
mundo,Reiki,Hipnose e
Psicoterapias,Cromoterapia e
Cristaloterapia,Arteterapia,Musicoterapia,
Danças Sagradas são algumas das práticas usadas.Modelo é chamado de medicina integrativa.
Técnicas já são adotadas em hospitais de referência,como em oncologia nos EUA e no Albert Einstein de São Paulo e podem melhorar
a qualidade de vida dos pacientes. 







COMPREENDER OS SETE ESTÁGIOS DA DOENÇA PARA FAZER A DESINTOXICAÇÃO E CURA ATRAVÉS DO ALIMENTO VIVO - - DR.GABRIEL COUSENS







Os 7 estágios da doença

Dr. Gabriel Cousens *
 
Os sete estágios da doença, formulados pelo Dr. John Tilden há mais de um século, nos dão uma outra perspectiva do processo degenerativo do diabetes e da maneira de revertê-lo. "Saúde é o reflexo do que você faz" e coisas do tipo podem ser ditas de uma saúde doente. Doença, ou enfermidade, é um estado que se adquire com o passar dos anos e passa por estágios identificáveis, que levam à manifestação de sintomas e mesmo à morte, se não formos prudentes para reverter o quadro. Até um surto de diabetes tipo l de origem viral precisa de um corpo debilitado que permita que o sistema imunológico enfraquecido fique suscetível a infecções, resultando em insulinite e na manifestação rápida do diabetes tipo l. O diabetes possui estágios degenerativos progressivos que criam diversas complicações em nosso organismo - mas podemos mudar isso. Só depende de termos consciência do que é necessário para uma vida saudável. Herbert Shelton chamou isso de leis da vida. Se compreender e seguir essas leis, você será saudável. Se desrespeitá-las, ficará doente - é o que queremos dizer com Crimes Contra o Bom Senso. Nas palavras de Shelton:
As leis da vida não são algo imposto à organização humana. Elas são intrínsecas à própria estrutura de nosso ser, a nossos tecidos, células nervosas e musculares, nossa corrente sanguínea, nosso organismo como um todo. [...] Como essas leis são parte fundamental de nós, não podemos nos rebelar contra elas sem nos rebelarmos contra nós mesmos. [...] Não podemos tugir das leis da existência sem fugir de nós mesmos.(1)
No programa de 21 dias do Tree of Life, ensinamos quais são esses meios naturais e tornamos a pessoa capaz de viver de acordo com eles. Agora vamos conhecer os sete estágios da doença.
 
ESTÁGIO 1: ENERVAÇÃO ou INTOXICAÇÃO
 
Enervação é a redução da energia nervosa, pela qual as funções normais de manutenção e eliminação do corpo são debilitadas, sobretudo a eliminação de toxinas endógenas e exógenas, ou seja, criadas de dentro (por meio de processos metabólicos normais) e de fora (que nos dias de hoje incluem as 65.000 toxinas em nosso meio ambiente criadas pelo homem e as excitotoxinas, aditivos alimentares e toxinas geradas pelo ato de cozinhar e processar alimentos). A pessoa nesse estágio é geralmente inativa, vive num ambiente tóxico e consome toxinas que não são eliminadas pelo organismo no tempo adequado.
A enervação também é criada por estresse, que esgota a energia vital do corpo que seria usada na manutenção e na eliminação. A obstipação ocorre no intestino, na linfa e nos tecidos do corpo. Essa é a dieta e o estilo de vida diabetogênicos de que temos falado em todo este livro.
 
ESTÁGIO 2: TOXEMIA ou INTOXICAÇÃO GENERALIZADA
 
A estagnação do primeiro estágio leva a um acúmulo de toxinas no corpo, substâncias que começam a saturar o sangue, a linfa e as células. O estágio 2 se caracteriza pela letargia, e, no caso do diabetes, já temos células que estão desenvolvendo pré-condições para serem insensíveis à sinalização da insulina por estarem intoxicadas. No capitulo "Toxemia" do livro The history of naturalhygiene [A história da higiene natural], de Herbert Shelton, John Tilden diz:
A teoria da arte da cura de toxinas baseia-se no princípio segundo o qual a toxemia é a origem básica de todas as doenças. Tão certo é esse princípio que não hesito em dizer que é, de longe, a teoria mais sólida de toda a história da medicina. É um sistema científico que abrange todo o campo de causa e efeito - um sistema que se integra a todo o conhecimento, sendo, portanto, uma verdadeira filosofia.
Quando esse princípio começou a se impor sobre mim, anos atrás, eu não estava muito seguro, mas havia algo de errado em meu raciocínio. Percebi que ele me levaria ao caminho (totalmente contrário ao de todos os tratamentos médicos convencionais. Tentei me deter e discuti comigo mesmo. [...] Lutei para não dar grande expressão a uma crença que, muito provavelmente, seria renegada - eu seria julgado e ridicularizado pela nata das pessoas, tanto leigas quanto profissionais da área.
Pouco a pouco fui comprovando minha teoria. Nos últimos vinte anos, realizei testes diários. Eu mesmo arquei com a força de meus experimentos e sofri por isso. Todos os dias, os testes que realizei me convenciam cada vez mais de que a toxemia é a causa universal da doença.
Como tenho declarado sempre em meus textos, nos últimos doze anos os hábitos de comer demais, de se vestir demais e excessos de todos os tipos esgotam a energia nervosa. Quando os nervos não atendem à demanda do corpo, o funcionamento orgânico é debilitado, resultando em retenção de produtos residuais. Isso gera toxemia (2).
Entre as fontes comuns de toxemia estão diversas toxinas exógenas e endógenas, que hoje podem ser reconhecidas como précondições para o diabetes.
Algumas toxinas endógenas:
  • - Resíduos metabólicos, subprodutos tóxicos no âmbito celular;
  • - Resquícios desperdiçados da atividade celular;
  • - Células mortas;
  • - Sofrimento e excessos emocionais e mentais e;
  • - Excessos, fadiga e sofrimento físico.
Algumas toxinas exógenas:
  • - Alimentação artificial;
  • - Alimentos naturais prejudicados por cozimento, refinação e adição de conservantes;
  • - Combinações inadequadas de alimentos, resultando em toxinas endógenas;
  • - Uso de medicamentos, ervas processadas e suplementos;
  • - Uso de álcool, tabaco e todas as formas de drogas;
  • - Poluentes ambientais, comerciais e industriais e;
  • - Ar e água impuros.
ESTÁGIO 3: IRRITAÇÃO ou pré-INFLAMAÇÃO
 
O corpo fica irritado pelo acúmulo de toxinas no sangue, na linfa e nos tecidos, e o espaço intersticial entre as células começa a parecer um depósito de lixo tóxico. As células e os tecidos onde ocorre o acúmulo são irritados pela natureza tóxica desses resíduos, resultando em inflamação. Os produtos residuais interferem na oxigenação e alimentação das células e criam acúmulo de água nos tecidos. Os sinais de dor vindos dos tecidos tem pelo menos três causas: falta de oxigênio, falta de nutrição (celular) e pressão. As células, submetidas à ausência de oxigénio e alimento e à pressão elevada da água retida, passa a emitir sinais de dor. As células então são irritadas. A reação normal é ignorar a dor e o desconforto ou tomar um remédio para a "dor", aumentando ainda mais a carga tóxica no organismo da pessoa, que pode se sentir prostrada, enjoada, irritadiça, com coceira, irracional e hostil. Isso tudo leva ao estágio seguinte de enfermidade e degeneração do corpo: inflamação.
 
ESTÁGIO 4: INFLAMAÇÃO
 
O corpo enervado agora sofre as consequências da toxemia. As células ficaram irritadas, e, após as alterações celulares e a degeneração do corpo, ocorre a inflamação propriamente dita. O processo inflamatório produz as famosas "ites". Na pele, dermatite. Na garganta, amidalite e, depois, faringite, esofagite. No estômago, temos a gastrite. No intestino delgado, ileíte. No cólon, colite. No coração, pode haver cordite. No fígado, hepatite. Ou seja, você pode ter uma inflamação (uma "ite") em qualquer parte do corpo. Ou várias partes do corpo...
A comunidade médica nomeou muitos dos 20.000 tipos de doenças. A medicina alopática costuma nomeá-las pelo lugar onde as toxinas se acumularam e deram início aos sintomas. Havendo uma denominação para o conjunto de sintomas, neste estágio os médicos geralmente prescrevem medicamentos, que não eliminam as causas reais da doença, que agora sabemos quais são. Com o diabetes e suas complicações, este estágio pode ser visto no coração, rins, pâncreas, fígado e sistema nervoso. Permitido o avanço da toxemia, o corpo vai perdendo energia e vitalidade. Alterações celulares posteriores acabam ocorrendo. Se isso passar despercebido, a próxima etapa é a ulceração.
 
ESTÁGIO 5: ULCERAÇÃO ou Inflamação crônica
 
A úlcera pode ser vista como consequência da degeneração do corpo. Qualquer tecido pode sofrer ulceração, mas as de pele são as mais conhecidas. Os tecidos são destruídos. O corpo cria úlceras, formando uma saída para o acúmulo tóxico, e a pessoa sofre a multiplicação e piora dos sintomas, acompanhadas da intensificação da dor.
Neste estágio, a medicina moderna em geral continua a prescrever mais medicamentos e muitas vezes recorre à cirurgia e outras formas de tratamento. Não se esqueça de que as complicações nos pés decorrentes do diabetes são a causa mais comum de amputações das extremidades inferiores, não provocadas por trauma, no mundo industrializado. A neuropatia, um grande componente enológico da maioria das ulcerações diabéticas, ocorre em mais de 82% dos pacientes diabéticos com feridas. A incidência de gangrena entre diabéticos é vinte vezes maior que nos não diabéticos, e o risco de amputação dos membros inferiores é de 15 a 46 vezes maior do que nos que não têm a doença.
 
ESTÁGIO 6: ENRIJECIMENTO
 
Enrijecimento significa endurecimento ou formação de cicatrizes nos tecidos. O enrijecimento resulta de inflamação crônica de longa data com acessos de inflamação aguda. A inflamação crônica debilita ou torna a circulação mais lenta, e, como algumas células não resistem, são substituídas por cicatrizes. É assim que perdemos células saudáveis - pela inflamação crônica e morte das células.
Existe também pouco oxigênio nas células vindas dos vasos sanguíneos enrijecidos, uma vêz, que são glicosiladas. A aterosclerose é uma forma de enrijecimento. Com pouca ou nenhuma circulação, acúmulo de toxinas e pouco oxigênio, criamos as condições para o sétimo estágio da doença: proliferação de fungos ou câncer.
 
ESTÁGIO 7: PROLIFERAÇÃO DE FUNGOS
 
Quando as condições internas se deterioram a ponto de inviabilizar os processos aeróbicos oxidativos normais, as células podem voltar a uma forma mais rudimentar de sobrevivência. Alterações bioquímicas e morfológicas pelo depósito de toxinas endógenas e exógenas levam à degeneração e à morte celular. As células podem se manter por processos anaeróbicos, os mesmos usados por muitas bactérias. Quando as células mudam de forma e função dessa maneira, o oncologista lhe dá a má notícia: câncer.
 
SAINDO DOS SETES ESTÁGIOS PARA A SAÚDE
 
Para uma vida saudável é preciso eliminar as causas e as complicações do diabetes. Entre os sete estágios, os que merecem mais atenção para reverter o processo diabetogênico são a toxemia e a inflamação. Essa é outra maneira de entender o processo degenerativo e revertê-lo. As maneiras de reverter a toxemia serão abordadas mais para a frente neste livro. Quando a pessoa fornece ao corpo substâncias de melhor qualidade, o grau de toxemia diminui, a vitalidade aumenta e o corpo começa a se recuperar (se auto-curar). Problemas prévios podem voltar vez ou outra à medida que o organismo se cura. O verdadeiro teste de qualquer teoria é a medida em que ela pode afetar positivamente enfermidades crônicas como o diabetes.
(*) Texto extraído do livro A cura do Diabetes pela alimentação viva - Dr. Gabriel Cousens - editora Alaúde. Capítulo 3, pp 182-187.
Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações, citada a autoria e a fonte.
(1) Shelton H. Getting well. San Antonio (Texas); 1946. pp 233-234.
(2) Shelton H. The history of natural hygiene and the principles of natural hygiene. pp 59-60.
 
Fonte:http://www.docelimao.com.br/site/desintoxicante/alimentacao-viva/1248-os-7-estagios-da-doenca.html
 
 



Considerações Terapêuticas sobre Dietas

As pessoas que vivem com o HIV/Sida, devem alimentarem-se bem e à base de ervas e produtos naturais.

Combate ao HIV/ Sida, o médico naturista afirma ser necessário que os doentes privilegiem na sua alimentação as ervas e produtos naturais, como alho, folhas de abóbora, entre outros, por possuírem nutrientes e vitaminas que retardam a evolução da doença.

O alho, limão, salada de tomate, chá de gengibre, sumo de beterraba, são alguns elementos que podem neutralizar o vírus de HIV/Sida, acompanhado do tratamento com anti-retrovirais”.

Vários casos de doentes de HI/V/Sida, tem sido encaminhados primeiro aos centros de testagem e tratamento da doença e só depois fazem uma boa alimentação ou usam produtos naturais.

 
                                 REGIME DE SAÚDE BÁSICO

- REGRAS GERAIS -

- Evite as carnes, os frios, às lingüiças, os queijos picantes ou gordurosos (use somente ricota ou queijo minas fresco); Também evite usar vinagre, mostarda, pimenta e todas as conservas. Não use chá preto e mate, álcool, chocolate, fumo, bombons, doces comuns e refrigerantes em geral.

- Use alimentos mais nutritivos, tais como :  arroz integral; pão, bolos, biscoitos e macarrão feitos de farinha integral; frutas secas, nozes e castanhas.

- Em lugar do açúcar refinado ou cristal, use açúcar mascavo, melado ou mel de abelhas; use pouco sal, dando preferência ao sal marinho; empregue moderadamente azeite de oliva ou óleo de girassol, canola, gergelim, milho ou arroz, sem aquecê-los; Em lugar das frituras, prefira os assados.

- Coma alimentos crus ao início de cada refeição. Coma no mínimo 50% de alimentos crus diariamente.

- Coma sempre um pouco menos do que desejaria comer.

- Planeje o horário das refeições; deve haver um espaço de aproximadamente 5 horas entre uma refeição e a refeição seguinte.

- Não coma nada entre as refeições (3 por dia). Se tiver vontade de beliscar, tome sucos de frutas ou verduras, ou então um chá.

- Tome de 6 a 8 copos de líquido por dia, distribuídos entre sucos, chá e água.

- Jamais beba durante as refeições. Só ingira líquidos até ½ hora antes ou no mínimo 2 horas depois das refeições.

- Não coma mais do que 2 a 3 ovos por semana (dê preferência aos ovos de galinhas caipiras).

- Não use sobremesas nem frutas após ter comido verduras.

- Mastigue bem : de 30 a 50 vezes cada porção de alimento.

- Coma sempre com calma e tranqüilidade em ambiente agradável.

-.Não deite para dormir ou ler imediatamente após as refeições. Movimente-se (caminhe) durante 15 a 30 minutos. Isto facilita a digestão.

DIETA RELATIVAMENTE ALCALINIZANTE - A1

- Usar à vontade :  frutas doces cruas ou secas, verduras e hortaliças em geral, cruas ou cozidas ao vapor, milho verde,  germe de trigo, sopas de verduras e legumes, batatinhas cozidas ou assadas na casca, mandioca, mandioquinha, inhame, cará.

 - Usar moderadamente :  Cereais integrais, leguminosas, mel de abelhas, melado de cana, tomate, limão, frutas ácidas (azedas), ricota fresca, iogurte, queijo Minas fresco, pão integral, amêndoas e castanhas do Pará, ovos caipiras, manteiga e nata fresca, azeite de oliva.

 - Evitar :  alimentos altamente acidificantes :  carnes, peixes, aves, frutos do mar, açúcar, refrigerantes, vinho e outras bebidas alcoólicas, vinagre, café, chá preto e mate, frituras, chocolates, queijos maduros.

   DIETA TOTALMENTE ALCALINIZANTE - A2 

-  Usar à vontade :  frutas doces cruas ou secas, verduras e hortaliças em geral, cruas ou cozidas ao vapor, milho verde, batatinhas cozidas ou assadas na casca, mandioca, mandioquinha, inhame, cará.

-  Usar moderadamente :  azeite de oliva, manteiga ou nata fresca, azeitonas, amêndoas ou castanhas do Pará, ricota fresca, leite de soja, melado de cana, sal marinho.

- Obs.: Pessoas que têm muita vitalidade e sentem muito calor, o que denota geralmente  um eficiente metabolismo ácido/básico, podem acrescentar pequenas quantidades de frutas ácidas, incluindo limão e tomate, e um pouco de mel de abelhas.

- Excluir, pela duração da dieta, todos  os outros alimentos, temperos e bebidas. Consulte o médico sobre a prescrição de suplementos  de minerais  alcalinos, como cálcio, magnésio, etc.

CARDÁPIO SUGESTIVO NA DIETA TOTALMENTE ALCALINIZANTE

 - Desjejum :  2 frutas doces, por exemplo: papaya ou mamão, banana, pêra madura, maçã doce, melão, melancia; 2 a 3 batatinhas cozidas na casca, com um pouco de sal, nata ou manteiga fresca; 3 amêndoas ou 2 castanhas do Pará; ½ xícara de leite de soja com melado.

- Almoço :  1 prato de salada variada, temperada com azeite e sal; 2 a 3 batatinhas assadas na casca, com 4 colheres (sopa) de ricota fresca temperada com bastante cheiro verde. Se desejar, acrescentar 1 a 2 hortaliças cozidas ao vapor.

- Jantar :  Como no desjejum, variando as frutas, ou como no almoço, trocando a batatinha por mandioca, cará ou inhame, se quiser. Outra opção seria servir uma salada seguida de uma sopa de legumes ou mandioquinha.

     Ao levantar, nos intervalos das refeições e antes de deitar, tomar muita água. Se desejar tomar sucos, estes devem ser de frutas doces ou hortaliças e também tomados entre as refeições.

     A duração desta dieta depende da moléstia a ser tratada, e será determinada pelo médico. Fornece nutrição completa. Se for de longa duração, pode ser alternada com a Dieta A1.

OBS.: ESTA DIETA NÃO VISA SUBSTITUIR A PRESCRIÇÃO MÉDICA, E SIM APOIÁ-LA.

DIETA PARA EMAGRECIMENTO NATURAL

     Para iniciar o tratamento, o ideal é submeter-se a um período de desintoxicação orgânica em uma clínica naturista especializada, onde se consegue o primeiro impulso para vencer a obesidade.  A perda de peso acentuada, proporcionada pelo tratamento intensivo, provê motivação para continuar o tratamento em casa. Este certamente irá requerer algumas mudanças nos seus hábitos alimentares, mas a nova dieta lhe parecerá bastante agradável após os primeiros dias de adaptação, e poderá trazer grandes benefícios à sua saúde.

- REGRAS GERAIS -

- Evite carnes, frios, lingüiças, queijos picantes ou gordurosos (use somente ricota ou queijo minas fresco); Evite vinagre, mostarda, pimenta, todas as conservas, chá preto ou mate, álcool, chocolate, fumo, bombons, doces e refrigerantes.

- Use alimentos nutritivos tais como : arroz integral; pão, bolos, biscoitos e macarrão feitos de farinha integral, e de preferência, produzidos em casa.

- Abandone as frituras e os refogados gordurosos, as sopas e todos os pratos muito ricos e complicados. Substitua-os por assados e suflês de legumes.

- Use pouco sal, pouco azeite de oliva ou óleos de gergelim, girassol, milho ou arroz.  Não use açúcar;  adoce os alimentos com stévia ou frutose.

- Inicie as refeições com alimentos crus, especialmente saladas cruas, pois estas contêm poucas calorias e agilizam a digestão dos alimentos cozidos, além de conter fibras que estimulam a função intestinal.

- Coma sempre um pouco menos do que deseja comer. O apetite que ainda restou ao levantar-se da mesa desaparece em poucos minutos, tão logo se inicie o processo digestivo.

- Não coma nada entre as refeições (2 a 3 por dia). Se eventualmente surgir uma sensação de fome, tome água ou chá de ervas ou 1 copo pequeno de suco de frutas ou verduras.

- Beba de 6 a 8 copos de água pura ao dia. Não beba durante as refeições. Só ingira líquidos até ½ hora antes ou, no mínimo, 2 horas depois das refeições.

- Não coma mais do que 2 a 3 ovos por semana, dando preferência aos ovos de galinhas caipiras.

- Não use sobremesas.

- Mastigue muito bem : de 30 a 50 vezes cada bocado.

- Coma  sempre com calma e em ambiente tranqüilo, concentrando-se no prazer que o alimento  lhe proporciona.

-.Após as refeições, não descanse, mas  movimente-se para facilitar a digestão. É muito útil programar-se para uma leve caminhada  nestes horários.

Exemplo de cardápio para 1 dia :

     Desjejum :  100g a 200g de frutas frescas. Dê preferência a maçã, pêra, mamão, melancia, abacaxi, morango, laranja,melão, kiwi, ameixas, amoras ou grapefruit, evitando as frutas mais ricas em calorias, como as bananas, uvas, figos e abacate. Acrescente 1 xícara de leite de soja, ou 1 copo pequeno de iogurte natural desnatado, além de  1 fatia de pão bem integral com ricota ou queijo Minas fresco. Ou prepare o mingau “Bircher Muesli”  pela seguinte receita : 1 colher de sobremesa de aveia demolhada na véspera, 1 maçã, 2 colheres de sopa de iogurte desnatado, ½ colher de sopa de suco de limão,  um pouco de casca de limão raspada, 1 colher de chá de  mel e 1 castanha do Pará ralada. A maçã pode ser substituída por morango ou abacaxi.

     Almoço :  1 prato grande de salada de verduras cruas, como início e parte principal da refeição. Varie os vegetais e use bastante agrião, rabanete, escarola, rúcula, etc. Sugestão para o molho: 1 xícara pequena de iogurte desnatado, com cebola, salsinha e cebolinha picadas, ½ colher de sopa de  suco de limão e pouco sal. Esta salada, que contém pouquíssimas calorias, satisfaz quase totalmente, podendo porém ser seguida por um ou dois dos seguintes pratos : 1 a 2 qualidades de legumes, cozidos ao vapor, sem gordura; Carboidratos: 1 a 2 batatinhas (dependendo do tamanho), cozidas ou assadas na casca, ou 2 colheres de  arroz integral, ou de macarrão integral, ou de polenta, ou de triguilho, etc.; Proteínas :  2 colheres de sopa de feijão ou outra leguminosa, ou 1 ovo pochê, ou 2 croquetes assados de carne vegetal, ou um bife de glúten, ou assado de ricota, etc.

     Jantar : Semelhante  ao desjejum ou, de preferência, só 1 copo de suco, ou 1 copo de iogurte natural desnatado, ou 1 fruta. Quanto mais cedo e leve o jantar, melhor será para a perda de peso. As calorias ingeridas à noite contam em dobro, porque o metabolismo torna-se menos ativo ao anoitecer.

Varie bastante os seus cardápios, usando sua criatividade.

Até chegar ao peso ideal, adote o seguinte esquema:

     Todos os dias, caminhe no mínimo 1 hora em passo rápido, ou nade, ou faça ginástica especializada, para ativar o metabolismo e queimar calorias. O melhor horário para estes exercícios, para quem quer perder peso, é de manhã, em jejum.

     Todas as semanas, programe um dia de dieta de sucos.

     Todos os meses, faça 3 dias seguidos de dieta de frutas ou de monodieta de frutas, alternando a fruta a cada dia, ou ainda, dearroz integral sem sal.

     Outra sugestão de cardápio para acelerar o emagrecimento : 2ª feira – dieta de sucos; 3ª feira – dieta para emagrecimento natural; 4ª feira – monodieta; 5ª feira – dieta para emagrecimento natural; 6ª feira – dieta crudívora; Sábado – dieta para emagrecimento natural; Domingo – liberado, desde que seja com bom senso.

OBS.: ESTA DIETA NÃO VISA SUBSTITUIR A PRESCRIÇÃO MÉDICA, E SIM APOIÁ-LA.

 

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …