Pular para o conteúdo principal

ALIMENTOS AFETAM O HUMOR : O QUE VOCÊ COME INFLUENCIA O QUE VOCÊ SENTE

 

 
 Texto: Os alimentos têm o poder de interferir nas nossas emoções. O chocolate levanta o astral!
Foto: Gustavo Lacerda

Bote mais bom-humor no prato

O que você come tem grande influência sobre o que você sente. Saiba como os alimentos afetam seu humor.


 
O que comemos interfere no que sentimos. A novidade é que recentemente a ciência invadiu a cozinha atrás de explicações mais detalhadas sobre os efeitos das panelas sobre o coração. Ainda falta desvendar muitos dos mecanismos envolvidos, mas as descobertas revelam que expressões como "ruminar problemas" ou "digerir acontecimentos " contêm muita sabedoria.
Um dos consensos entre os cientistas é a respeito de uma substância chamada serotonina. Nosso cérebro é movido a impulsos nervosos: uma rede de neurtnios transmite sensações como cansaço, tristeza, euforia, ansiedade e por aí vai. Quem regula esse complexo sistema são substâncias chamadas neurotransmissores - a serotonina é uma delas. Otimismo, relaxamento e o sentimento geral de bem-estar estão diretamente ligados à disponibilidade dessa substância. E o que isso tem a ver com o que comemos? Tudo: a matéria-prima para a fabricação de serotonina vem dos alimentos.
Segundo o casal de pesquisadores Richard e Judith Wurtman, do Instituto de tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos. Pioneiros na pesquisa da relação entre alimentos e humor, os Wurtman constataram que refeições ricas em carboidratos são eficazes para pacientes com depressão e irritabilidade.

Mas vá com calma

Os doces melhoram o humor quase instantaneamente, mas essa explosão de açúcar pode provocar uma reação oposta logo em seguida - é o corpo tentando se reequilibrar. Muitos especialistas acreditam que esses altos e baixos são fatais para o bom humor.  A inglesa Amanda Geary, autora do livro the Food and Mood Handbook (algo como "O Guia do Humor e da Comida"), dá a receita: "Se você quer encontrar o caminho da felicidade por meio da comida, a chave é seguir uma dieta que mantenha estável o nível de glicose no sangue". Traduzindo: prefira carboidratos complexos, presentes nos pães e arroz integrais, batata, massas. Por serem digeridos mais vagarosamente, eles liberam o açúcar gradualmente. O efeito, então, é mais duradouro. Reserve o doce para uma situação de emergência.
A essa altura, pode parecer que a serotonina é a solução para todos os humores, mas não é bem assim. Sim, ela dá sensação de bemeestar, mas em exagero ela provoca sonolência. Uma macarronada cai bem no jantar e não no almoço. Durante o dia, a alternativa para reduzir a ansiedade sem cair de sono é um belo prato de alface, que tem no caule substâncias tranquilizantes.
Já falamos bastante de comidas que amenizam o estresse e a ansiedade. Mas e quando estamos molengas, sem vontade de fazer nada? Experimente um prato cheio de proteínas. Judith Wurtman afirma que elas deixam o cérebro mais alerta. Carnes, peixes, feijão e soja são uma boa pedida no almoço. Mas atenção: as proteínas competem diretamente com os carboidratos, dificultando a formação de serotonina. Portanto, privilegie um ou um ou outro em cada uma das refeições, de acordo com sua necessidade: se estiver irritadiço ou querendo descansar, prefira os carboidratos; se estiver muito melancólico e precisar produzir, aposte nas proteínas.
Poção mágica
Não podemos nos esquecer de que o chocolate é também fonte de cafeína. "Encontrada no chá preto, no café, nos refrigerantes escuros e no chocolate, ela é provavelmente a substância mais usada no mundo para modificar o comportamento", diz Amanda Geary. Os chineses acreditam que o café dá energia e, ao mesmo tempo, ajuda a manter o foco. Mas, assim como no caso dos açúcares brancos, é preciso cuidado. Se você anda irritado ou ansioso demais, essa xícara não lhe fará bem. "A cafeína acorda o cérebro. Por isso, trabalhar muito com o pensamento e tomar café gera um desequilíbrio", afirma Cecília. Mas, como apenas uma xícara de café não faz mal a ninguém, encaixe-a no período da manhã, quando mais precisamos de um despertador interno.
O  que fazer quando bate aquela preguiça ao longo do dia? Mate-a com um molho apimentado na sua salada de alface, por exemplo. Segundo Andréa Bouvier, o mesmo componente que provoca o sabor ardido ajuda o corpo a fabricar endorfinas.
Há muito mais surpresas picantes no reino dos alimentos. O ômega 3, encontrado principalmente em peixes, tem mostrado resultados incríveis em casos de depressão, por exemplo. Selênio também. Estudos mostram que eles facilitam o trânsito dos neurotransmissores de alguma forma. Mas não são apenas os cientistas que podem ajudá-lo a compor uma dieta alto astral. Pesquise você também, percebendo como seu organismo reage a determinados pratos. A dica final é: abra os olhos para a alegria que traz uma alimentação adequada.
Os ingredientes
chocolate - tem uma combinação bombástica para levantar o astral rapidamente. Mas é bom deixá-lo para momentos de necessidade
banana - Melhora o humor. Coma uma ou duas bananas maduras por dia - de preferência sem misturá-las a outros alimentos.
massas e grãos integrais - Dão uma sensação de bemeestar duradoura, porque têm carboidratos complexos, que são digeridos lentamente, sem provocar altos e baixos de humor.
leite - Beber leite morno antes de dormir faz sentido. O leite é rico em uma substância chamada triptofano, que é o principal precursor da serotonina, que tem efeito relaxante.
pimenta - A sensação de ardor na língua faz o cérebro liberar endorfina, que traz bemeestar e excitação ao mesmo tempo.
peixes - Salmão, atum, anchova são indicados para casos de depresão porque contêm um tipo de óleo, o ômega 3, que facilita o trabalho dos neurotransmissores.
alface - No caule da alface há duas substâncias que agem como calmantes naturais.
café - A cafeína é poderosíssima como estimulante. Mas uma dose alta pode aumentar o nervosismo.


Fonte:http://vidasimples.abril.com.br/temas/bote-mais-bom-humor-prato-237943.shtml?

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …