Pular para o conteúdo principal

COMO ESCOLHER E PREPARAR PEIXES

Peixe
O segredo de um belo prato à base de peixe é a
escolha correta do alimento
Foto: Alex Silva
 

Como escolher e preparar peixes

Confira sugestões de chefs experientes no preparo de peixes para não errar na hora da compra ou no preparo dessa carne tão delicada

 
Você fica em dúvida toda vez que tem que comprar um peixe? Pois siga as dicas de especialistas - dos chefs a peixeiros - e acerte na escolha. Depois, adote os truques de preparo e sirva um prato excepcional.


Na hora de comprar peixe

· Confira se a pele do peixe está livre de manchas, furos ou cortes.

· As escamas devem ser brilhantes e firmes. Se estiverem se desmanchando, o peixe pode não estar fresco.

· A pele do peixe é úmida e brilhante. Repare nisso ao comprar.

· Os olhos devem ocupar toda a cavidade, serem brilhantes e salientes. Se tiver pontos brancos ao centro, não compre.

· As aberturas ao lado da cabeça, chamadas de opérculos, devem ser rígidas e resistentes, caso você as manuseie. Dentro, deve ser brilhante, com vasos sanguíneos à vista.

· As brânquias do peixe devem ser avermelhadas e úmidas. Note se há presença de um líquido pastoso (muco). Se houver, não está bacana para consumo.

· Os músculos de um peixe fresco devem estar grudados à estrutura óssea (espinha).

· Cheque a temperatura e a quantidade de gelo na banca da feira ou no mercado. Se o peixe estiver sem gelo, desconfie. Ah! Os peixes de feira são, em geral, mais frescos.

· O peixe possui um cheiro forte, mas é importante verificar se o odor não está excessivo, o que pode indicar contaminação.

· Se você preferir comprar já em filé, não leve se a cor estiver diferente do normal para o peixe (branco ou rosa) ou se tiver manchas.


Toque e faça o teste

Faça pressão com os dedos sobre a carne do peixe e solte. Ela deve voltar na mesma hora para a posição original. Se demorar ou não retornar, significa que o peixe não está mais fresco. "Sua carne deve ser elástica e firme", explica Carolina Geraissati, proprietária do
restaurante Mangalô.
 

Para não errar no preparo de peixes

Preparo de peixe
O preparo de peixe pede muitos temperinhos.
A carne branca e delicada fica simplesmente irresistível!
Foto: Alex Silva

Limpeza: "A limpeza do peixe consiste na retirada das escamas, vísceras e guelras", ensina Marcus Ramalho, chef do bar Moça Bonita.

Escamas: Use o mesmo ralador que você utiliza nas verduras. Mas não faça isso com o peixe congelado. Deixe-o fora do freezer (de preferência na geladeira) até que descongele. "A dica é passar o ralo por várias vezes no sentido do rabo para cabeça, até retirar toda a escama", indica Carolina.

Tempero: Segundo Marcus, quanto mais simples for o tempero do peixe, mais gostoso ele fica. "Tempere com sal, limão, pimenta-do-reino e algumas ervas, como alecrim, sálvia ou dill", ensina. A tempo: o limão dá uma pré-cozida no alimento se você deixar a carne marinando por, pelo menos, meia hora antes de comer. "É indicado para quando o peixe for comido cru", diz Marcus.

Congelar ou não? Você até pode congelar seu pescado, mas saiba que ele pode perder um pouco de seu sabor e textura. O ideal é consumi-lo no mesmo dia da compra. Caso não consiga, congele-o limpo.

Combinação boa: Experimente servir o peixe com um bom vinho branco, rose ou verde. Os acompanhamentos para o prato podem ser legumes no vapor, batatas assadas, batatas ao murro, manteiga com alho ou ervas, pirão e até farofa.
Salada de peixe: Você já comeu peixe em forma de salada? É uma delícia! "Ela pode ser feita com peixe cru marinado (no limão), ou grelhado em tiras ou cubos, desde que a carne seja firme", diz Marcus.

Churrasco de peixe também costuma fazer sucesso. Espécies como Robalo, Namorado, Meca e Pacu são ideais para isso. "Existem grelhas especiais para proteger o peixe e não deixar que quebre. Pode ser feito também embrulhado no papel alumínio ou folha de bananeira", completa o chef Marcus.


 
Por Ligia Menezes
 
Fonte:http://vidasimples.abril.com.br/temas/como-escolher-preparar-peixes-646679.shtml?

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …