Pular para o conteúdo principal

DIETA DAS PROTEÍNAS : ENTENDA COMO FUNCIONA O FAMOSO MÉTODO DUKAN



Dieta das proteínas: entenda como funciona
o famoso método Dukan

Programa alimentar é saudável e evita o efeito sanfona

Rápida e eficiente, a dieta da vez é a Dukan - a mais procurada por quem está preparando a boa forma para o próximo verão. O método já é o queridinho de personalidades como Kate Middleton (que secou antes do casamento real), Penélope Cruz, Jennifer Lopez e Beyoncé - que testaram e aprovaram, ou seja, emagreceram. No Brasil, Fernanda Paes Leme e Carolina Celico, mulher do jogador Kaká, também aderiram ao programa de emagrecimento.

A dieta, também conhecida como das proteínas, foi desenvolvida pelo nutrólogo Pierre Dukan. O método consiste em diferentes fases, com alimentos permitidos e proibidos, que evitam o temido efeito sanfona. O médico é autor do livro “O Método Dukan - ilustrado - Eu não consigo emagrecer”, (Editora Best Seller, R$55,90, 287 páginas), que já vendeu mais de 30 milhões de exemplares. A seguir, entenda como funciona a dieta:

Fonte: Livro "O Método de Dukan - ilustrado - Eu não consigo emagrecer" / Arte: Carolina Gavião

Método Dukan: veja alimentos permitidos ou não nas fases da dieta

Na primeira fase é permitido consumir apenas proteínas puras

A dieta das proteínas está entre os mais badalados programas alimentares para perda de peso. Dividido em quatro fases, o cardápio é composto por alimentos permitidos, proibidos e tolerados em cada período distinto. A seguir, confira a lista e saiba o que comer na dieta criada pelo nutrólogo Pierre Dukan:
                                
  • 1
    1ª fase


    Carnes

    Autorizadas: Alcatra, bife bovino, coelho, contra filé, costela de vitela, escalope de vitela, filé mignon, picanha (sem a camada de gordura), rosbife.

    Proibidas: Cordeiro, costela bovina, porco.

    Miúdos

    Autorizados: Coração de frango, fígado de bezerro, fígado de boi, fígado de galinha, língua de boi, moela de galinha.

    Proibidos: Base (muito gordurosa) de língua de boi.

    Embutidos

    Autorizados: Carne seca/Bresaola, peito de peru ou peito de frango, presunto magro ou light.

    Proibidos: Presunto com gordura.

    Peixes

    Autorizados: Atum/atum ao natural, bacalhau, bacalhau fresco, badejo, bonito, cavala dourado, hadoque ou hadoque defumado, kani ou surimi, linguado, merluza, pacu, peixe espada, pescada, pintado, raia, salmão - salmão defumado, sardinha, tilápia, truta, vermelho - trilha.

    Proibidos: Atum com óleo, sardinha com óleo.

    Frutos do mar

    Autorizados: Camarão, camarão cinza, carangueijo/siri, lagosta, lagosta espinhosa, lagostinha, lula, mexilhões, ostra, vieira.

    Aves

    Autorizadas: Codorna, frango, galeto/franguinho, galinha d'angola, peru.

    Proibidas: Asa de frango, ganso, pato, pele de frango.

    Proteínas vegetais

    Autorizadas: Hambúrguer de soja, seitan (carne sem glúten), tofu.

    Ovos

    Autorizados: Ovo de cordorna, ovo de galinha.

    Farelo de aveia e trigo

    Autorizados: 1 colher de sopa de farelo de trigo (facultativo), 1 colher e meia de sopa por dia de farelo de aveia.

    Konhaku

    Autorizado: Macarrão de konhaku.

    Laticínios

    Autorizados: Iogurte Paulista ou Molico 0% de gordura, leite desnatado 0% de gordura, queijo cottage 0% de gordura, queijo frescal Frescatino 0% de gordura, requeijão Danubio 0% de gordura.

    Proibidos: Laticínios integrais, queijos.

    Fotos: Getty Images
  • 2
    2ª fase

    Autorizados: abobrinha, abóbora, agrião, aipo, alface, alho-poró, aspargos, beringela, broto de soja (moyashi), brócolis, cebola, chicória, chuchu, cogumelos/shitake, couve-de-bruxelas, couve/couve-flor, endívia, erva-doce, espinafre, jiló, nabo, palmito, pepino, pimentão, quiabo, rabanete, repolho, rúcula, tomate, vagem.

    Autorizados com moderação: Alcachofra, beterraba, cenoura.

    Tolerados: Amido de milho (1 colher de sopa ou 20 gramas), cacau sem açúcar (1 colher de café ou 7 gramas), creme de leite com 3% de gordura (1 colher de sopa ou 30 gramas), farinha de soja (1 colher de sopa ou 20 gramas), goji berries (1 a 3 colheres de sopa, de acordo com a fase), iogurte 0% de gordura com frutas (1), iogurte de mel com 0% de gordura (1), iogurte de soja natural (1), leite de soja (1 copo ou 150 ml), molho de soja (1 colher de café ou 5 gramas), queijo com até 7% de gordura (40 gramas), requeijão com 7% de gordura (40 gramas), salsicha de frango com 10% de gordura no máximo (100 gramas), tempeh (50 gramas), vinho para cozinhar (3 colheres de sopa ou 30 gramas), óleo (3 gotas ou 3 gramas).

    Proibidos: Abacate, favas, feijão, lentilhas, milho, ervilhas em geral, grão-de-bico, batata, arroz.

    Fotos: Getty Images
  • 3
    3ª fase


    Frutas (uma porção por dia, depois duas)

    Autorizadas: Damasco, nectarina, tangerina, morango, framboesa, melão, amora, laranja, mexerica, pêssego, pera, maçã, ameixa.

    Proibidas: Amêndoa, banana, amendoim, cereja, avelã, nozes, castanha de caju, pistache, uva.

    Pão (duas fatias por dia)

    Autorizados: Pão integral, pão de farelo de trigo e de aveia.

    Proibidos: Pão francês, pão branco, pão de forma.

    Farelo de trigo e aveia

    2 colheres e meia de sopa por dia de farelo de aveia, 1 colher de sopa de farelo de trigo (facultativo).

    Konhaku

    Shiratakis, massas e arroz de konhaku.

    Queijos (uma porção por dia)

    Autorizados: Beaufort, Comté, Édam, Emmental, Gouda, Mimolette, Tomme de Savoie. (Massas duras)

    Proibidos: Brie, Camembert, queijo de cabra, Roquefort. (Massas moles)

    Farináceos (uma vez por semana, depois duas)

    Autorizados: Triguilho, sêmola de trigo, feijões de todos os tipos, grãos de trigo pré-cozidos, lentilhas, massas, ervilhas, ervilhas cortadas, polenta, batata, arroz branco, arroz integral.

    Proibidos: Batatas chips, fritas, batatas souté.

    Carnes

    Autorizadas: Pernil de cordeiro, filé de porco, presunto defumado.

    Proibidas: Carne de porco, presunto com capa de gordura, presunto cru, partes gordurosas do pernil.

    Fotos: Getty Images
  • 4
    Quinta-feira proteica

    Carnes

    Autorizadas: Escalope de filé mignon, filé bovino, coelho, rosbife, assado de vitela (bem cozido), bife bovino, carne de hambúrguer com menos de 5% de gordura.

    Proibidas: Cordeiro, contrafilé bovino, costela de boi, costela de vitela, entrecosto, porco.

    Aves

    Autorizadas: Peito de frango, codorna, peru, a parte superior da coxa de frango.

    Proibidas: Asa de frango, pato, ganso, pele da galinha.

    Ovos

    Autorizados: Inteiros ou apenas as claras, se a semana foi farta no consumo de ovos.

    Laticínios

    Autorizados: Requeijão cremoso com 0% de gordura, iogurte magro.

    Proibidos: Queijos, laticínios integral.

    Peixes

    Autorizados: Bacalhau fresco, badejo, pescada, dourado, espada, arenque, pescada carvoeira, robalo, garoupa, raia, tainha.

    Proibidos: Cavala na mostarda, sardinha, sardinha frita, salmão defumado, atum defumado.

    Frutos do mar

    Autorizados: Vieiras, camarões, ostras, mexilhões, carangueijo.

    Farelo de aveia e farelo de trigo

    3 colheres de sopa de farelo de aveia por dia, 1 colher de sopa de farelo de trigo por dia (facultativo).

    Konhaku

    Shiratakis, massas e arroz de konhaku.

    Fotos: Getty Images
Fonte:http://gnt.globo.com/bem-estar/dicas/Metodo-Dukan--veja-alimentos-permitidos-ou-nao-nas-fases-da-dieta.shtml

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …