Pular para o conteúdo principal

NUTRICIONISTA DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL DÁ DICAS DE ALIMENTAÇÃO PARA QUEM FAZ EXERCÍCIOS

É importante se hidratar durante a prática de exercícios - Foto:Getty Images

Nutricionista da Seleção Brasileira dá dicas de alimentação para quem faz exercícios

Manter-se hidratado durante os exercícios e investir em carboidratos complexos antes de atividades físicas é essencial

Neymar, Fred, David Luiz, Daniel Alves, Thiago Silva e os outros 18 craques da Seleção Brasileira de Futebol já estão concentrados na Granja Comary em Teresópolis para a preparação para a Copa do Mundo. No local, além de realizar as preparações físicas, eles também terão uma dieta especial. Afinal, os atletas consomem entre 3000 e 4000 calorias por dia e precisam desta energia do alimento para terem o melhor desempenho nos jogos e treinos.

Fora a grande quantidade de calorias, as bases da alimentação dos atletas é semelhante a como deveria ser a dieta saudável de qualquer pessoa que pratica exercícios regularmente. Entrevistamos a nutricionista da Seleção Brasileira de Futebol, Sílvia Ferreira, que desde o ano de 2001 é responsável pela dieta dos jogadores e listamos algumas dicas de alimentação que ela aplica aos jogadores e que valem para todos que buscam uma dieta saudável e equilibrada.   

Hidratar-se durante os exercícios

Durante a prática de exercícios, tanto atletas profissionais quanto quem treina no dia a dia precisam se manter hidratados. "A sua performance pode não ser de total plenitude se você não estiver bem hidratado", aponta a nutricionista da Seleção Brasileira de Futebol, Sílvia Ferreira.

Para manter os jogadores hidratados Sílvia Ferreira aposta em água e bebidas hidroeletrolíticas (isotônicos). "Também pedimos para eles se pesarem antes e depois dos jogos e para cada um quilo perdido oferecemos um litro e meio de líquido", explica Sílvia Ferreira.

Pessoas que praticam exercícios devem conversar com seus médicos ou nutricionistas sobre se há necessidade de consumir isotônicos ou não. Quem é sedentário não deve ingerir essa bebida, pois ela pode contribuir para o ganho de peso.
 
Invista em carboidratos complexos antes de treinar - Foto: Getty Images

Carboidratos de baixo índice glicêmico antes dos treinos

Antes de praticar esportes Sílvia recomenda a ingestão de um carboidrato de baixo índice glicêmico, são aqueles em que o organismo tem mais trabalho para digerir a glicose, açúcar e leva mais tempo para fazê-lo. "Assim, a absorção deste nutriente será mais lenta e a pessoa terá energia durante toda a atividade", observa Sílvia. Algumas opções são: arroz integral, pão integral, macarrão integral, aveia, batata doce e frutas como maçã e ameixa.

Também é importante ter um espaço de tempo entre a última refeição e os exercícios. Quem não é atleta precisa esperar ao menos uma hora após as refeições para se exercitar. "No caso de jogos, se a partida ocorre entre 16:00 e 17:00 horas a refeição principal precisa acontecer até às 13:00. Se o jogo for às 19:00 é bom almoçar ao meio dia e comer uma refeição a base de massas às 16:00 horas. É bom ter o espaço de quatro horas entre uma grande refeição e a prática de exercícios", observa Sílvia. No lanche da tarde é comum os jogadores até preferirem um alimento como caldo ou massa ao invés de frutas ou cereais.
 
Invista em carboidratos simples após o treino  - Foto: Getty Images

Carboidratos simples e proteínas após os treinos

Após o treino, vale investir em carboidratos de índice glicêmico alto, aqueles que o organismo consegue digerir mais rapidamente a glicose, açúcar, contida neles. "Oriento este alimento porque é preciso repor o mais rápido possível o que gastou no treinamento. Pessoas que se exercitam devem sempre ter esse estoque de energia", afirma Sílvia. A nutricionista da Seleção costuma oferecer proteínas, como carnes, queijo, ovos junto com este carboidratos, como pães, massas. Isto porque este nutriente é essencial para a recuperação muscular.

Caso você malhe durante a noite, um exemplo de refeição adequado pós-treino seria um jantar composto por arroz branco, feijão, uma carne magra e salada. Caso você não se exercite próximo do horário das grandes refeições, pode optar por um sanduíche com pão branco e peito de peru.
 
É importante não ficar longos períodos em jejum - Foto: Getty Images

Refeições fracionadas

Sílvia faz com que os jogadores consumam seis refeições por dia, café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche da noite. A nutricionista acredita que esta orientação deveria ser seguida no geral por qualquer pessoa.

Uma das vantagens de se alimentar a cada três horas é evitar ataques de fome. Ficar longos períodos sem se alimentar aumenta os níveis dos hormônios relacionados à fome (grelina) e acarretam aumento da ingestão de alimentos processados e industrializados na próxima refeição.
 
Coma muitas frutas e vegetais - Foto: Getty Images

Frutas e vegetais

A orientação do Ministério da Saúde é ingerir ao menos três porções de frutas e três porções de legumes e verduras por dia. Um estudo da University College London sugere que o recomendado é consumir ao menos sete porções de frutas e vegetais por dia para proteger contra diversas doenças e reduzir o risco de morte.

Por isso, Sílvia procura oferecer frutas aos jogadores nos lanches intermediários e os vegetais estão presentes no almoço e jantar. Ela afirma que as frutas que os craques mais gostam são: melão, abacaxi e melancia. As frutas e verduras são essenciais para a saúde por serem ricos em vitaminas e minerais.
 
É importante não abusar no seu dia livre  - Foto: Getty Images

Dia livre com parcimônia

Durante a preparação para a Copa do Mundo a comissão técnica proporciona aos jogadores alguns dias livre para que possam passear e encontrar seus familiares. Nestes momentos os craques podem fugir da rotina da concentração, mas sem exageros.

Os deslizes acontecem esporadicamente e eles não afetam o desempenho e o corpo. "Isto porque o dia livre dos jogadores é feito de forma responsável e esse momento pode ser interessante até mesmo para evitar a monotonia alimentar", conta Sílvia.

A dica também vale para todos que desejam manter o peso. É importante ficar atento mesmo nos momentos em que for comer algo não tão saudável, que contêm mais gorduras e açúcar, por exemplo, e tomar cuidado para não abusar.
 
É importante não abusar do sal - Foto: Getty Images

Cuidados enquanto cozinha

Para manter a saúde dos nossos craques, Sílvia presta muita atenção à forma como os alimentos são preparados. "Sempre temos cuidado com a gordura em excesso, cozinhamos muitos assados, grelhados e cozidos. Procuramos evitar as frituras e também o excesso de sódio", explica Sílvia. Estes cuidados na preparação valem para todas as pessoas e irão garantir o consumo de um alimento mais saudável. 

Fonte:http://minhavida.uol.com.br/alimentacao/galerias/17592-nutricionista-da-selecao-brasileira-da-dicas-de-alimentacao-para-quem-faz-exercicios

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …