Pular para o conteúdo principal

SUPLEMENTOS QUE PODEM AUMENTAR SUA PERFORMANCE ESPORTIVA

Suplementos que podem aumentar sua performance esportiva


O cuidado com a alimentação é essencial para qualquer um que pratique esportes e busca obter um bom desempenho, melhorando tempo na corrida, levantando mais peso, etc. É preciso consumir a quantidade adequada de nutrientes como carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais para que o nosso corpo funcione adequadamente, fornecendo energia e força para os músculos. Os suplementos esportivos ajudam a complementar a dieta quando não é possível adquirir todos os nutrientes (em suas devidas quantidades) pela alimentação, além de fornecerem nutrientes específicos para a melhora do desempenho físico.

Os principais suplementos ergogênicos, assim chamados os suplementos que podem aumentar a performance esportiva, são:

·         Maltodextrina
Um tipo de carboidrato que possui absorção médio-rápida e fornece energia durante os treinos de maneira gradual, evitando picos de glicose (açúcar) no sangue. Vale lembrar que o consumo de carboidratos é fundamental antes e durante treinos muito intensos ou longos com duração superior a uma hora. Para quem prefere não ingerir alimentos antes da atividade, a maltodextrina é uma boa opção. É encontrada em forma de pó para o preparo de shakes e, ainda, faz parte da composição de vários suplementos energéticos, como os carboidratos em gel.
·         Cafeína
A cafeína, presente em cafés, chás e pó de guaraná, também é encontrada em cápsulas de forma isolada e em quantias maiores. Seu papel é dar mais pique e disposição para a prática de exercícios, além de disponibilizar mais gordura para ser queimada, poupando os estoques de glicogênio muscular por mais tempo. Mas atenção! A cafeína não é recomendada para pessoas com problemas cardíacos, pressão alta e insônia.

·         Creatina
Aumenta a potencia muscular em atividades muito intensas e de curta duração ou atividades intervaladas como levantamento de peso, artes maciais, futebol, tiros de corrida, bike, etc. É responsável pela formação de ATP, a moeda energética do nosso corpo e a primeira fonte de energia que o músculo utiliza. É encontrada em pré-treinos ou pura em cápsulas ou pó.

·         Proteínas
Embora este fato ainda não tenha sido comprovado cientificamente, muitos estudos, especialistas e atletas sugerem que o uso de proteínas antes dos treinos provoca um melhor desempenho. Possivelmente o responsável por esta ação são os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA). O uso dos aminoácidos conhecidos pela sigla BCAA pode prolongar a sensação de fadiga. Os BCAAs podem ser consumidos em cápsula ou pó de forma isolada e atualmente já encontramos no mercado diversos suplementos energéticos com adição de BCAA, sendo uma tendência dos novos produtos energéticos.

Além disso, vale lembrar que a hidratação é fundamental para obter bons resultados na atividade física. Se o seu exercício for intenso ou de longa duração (mais de uma hora), é preciso utilizar bebidas isotônicas como água de coco ou sport drinks, que já fornecem carboidratos também.

Agora que você já sabe de tudo isso, nada de ficar com falta de energia durante os treinos ou treinar em jejum, certo? Estar bem nutrido é essencial para treinar com todo gás!

Fonte: Carolina Arbache, Nutricionistas da Natue


Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …