Pular para o conteúdo principal

DIETAS SEM GLÚTEN PARA EMAGRECER SÃO RECOMENDADAS OU NÃO ?


Dieta sem glúten para perder peso


A última moda em dietas nos Estados Unidos é a dieta sem glúten. Seguida por muitas celebridades como Oprah Winfrey, Miley Cyrus e Gwyneth Paltrow, também se está a alastrar por todo o mundo e no Brasil famosos como Juliana Paes e Luciana Gimenez renderam-se a esta dieta para perder os quilos a mais, ganhar energia e reduzir a barriga.
O glúten é uma proteína que se encontra no trigo, cevada, centeio e no malte, proporciona elasticidade e esponjosidade aos bolos e pães, no entanto esta substância não é tolerada pelos celíacos, razão pela qual devem seguir uma dieta sem glúten por toda a vida. Porém, nos últimos tempos esta dieta está a ganhar adeptos para perder peso, porque ao que tudo indica o glúten contribui para o aumento de peso e para a sensação de inchaço na barriga.

Faz emagrecer e perder barriga

O glúten até agora era visto unicamente como o inimigo das pessoas com a doença celíaca, mas nos últimos tempos passou a ser também o vilão de quem quer emagrecer, visto que há muitas pessoas, que não sendo celíacas apresentam também algum tipo de intolerância ao glúten que se manifesta no excesso de peso e no inchaço abdominal. Ao eliminar ou restringir o glúten da dieta, a pessoa perde peso e o volume da barriga diminui.
Nos últimos dois anos mais de um milhão e meio de norte-americanos têm seguido dietas baseadas no corte de alimentos com glúten, o que tem levado a uma grande procura de produtos sem glúten. Atualmente existe grande variedade de produtos sem glúten à venda nos supermercados. Estima-se que 15 a 25% dos norte-americanos consomem produtos sem glúten, mas os médicos estimam que só 1% da população seja afetada pela doença celíaca.

Têm menos calorias os alimentos sem glúten?

Muitos seguidores desta dieta pensam que os produtos sem glúten têm menos calorias que os produtos normais, mas em muitos casos estes produtos têm na sua composição um maior teor de açúcar e gordura que os produtos convencionais, como estratégica da industria alimentar, para torná-los mais apetitosos. O ideal é ler os rótulos dos produtos no supermercado.

 Porquê que a dieta sem glúten faz perder peso?

Embora a dieta livre de glúten faça, em muitos casos, perder peso, e incluso em muitas pessoas faça perder barriga, e melhorar outros problemas de saúde, nem todos os médicos e nutricionistas chegam a um consenso.
Muitos especialistas e nutricionistas não atribuem a perda de peso à renuncia do glúten, mas sim, porque houve uma redução das calorias ao haver um corte nos produtos calóricos como o pão, massas, bolachas, bolos, pizzas…
Por outro lado, outros dizem que a restrição total do glúten não faz sentido ao haver outras formas, menos drásticas de perder peso, como seria banir da alimentação o consumo de hidratos de carbono refinados e privilegiar os integrais em quantidades moderadas, obtendo-se os mesmos resultados. Ao diminuir as quantidades diárias de hidratos de carbono, levaria a uma diminuição do glúten.
Qualquer que seja o seu caso, se encontra na dieta sem glúten uma nova forma de perder peso ou combater o inchaço abdominal, saiba que há um sem fim de alimentos sem glúten e sem necessidade de comprar produtos sem glúten se for esse o seu desejo. Pode até ser uma oportunidade para provar alimentos até agora desconhecidos para si. O importante é que a sua dieta seja completa e equilibrada. Conheça primeiro os alimentos que contêm glúten e evite-os.

 Alimentos com Glúten (Diga não)

O glúten está presente no trigo, cevada, centeio, aveia e seus derivados, sémola, trigo kamut e espelta. Portanto, devem ser eliminados da dieta qualquer produto feito com: trigo, aveia, centeio, cevada e o triticale (cereal obtido pelo cruzamento do trigo com o centeio) e todos os seus derivados: amidos, farinhas, pão, bolos, bolachas e massas.
Alimentos industriais que contêm na sua composição glúten: carnes processadas / caldos concentrados ou sopas / substitutos de bacon / recheios / produtos marinados / temperos / amido ou farinha para engrossar / imitação de marisco / molhos / alguns chocolates.
Em relação às bebidas deve evitar bebidas à base de cevada e malte:cerveja, uísque, gim, vodca…
Nos supermercados analise os rótulos e evite tudo o que contenha glúten.

Alimentos sem glúten (Diga sim)


Cereais: arroz, milho, sorgo, quinoa, trigo sarraceno ou trigo mourisco, amaranto …
Leguminosas: feijão, grão de bico, lentilhas, ervilhas, soja
Produtos lácteos: leite, queijos, iogurtes
Todas as carnes, peixe, mariscos e ovos
Congelados que não sejam panados
Enlatados ao natural ou com azeite/óleo
Todas as frutas
Produtos hortícolas: todas as hortaliças, verduras e legumes, batata, mandioca, batata-doce…
Farinhas: maizena, milho, soja, fubá, mandioca, arroz, fécula de batata, tapioca, trigo sarraceno…
O açúcar e o mel, óleos e manteigas, grãos de café ou café moído, chá e refrigerantes, vinhos e espumantes, frutos secos, sal, vinagre, especiarias naturais ou em grão, não contêm glúten.

Cuidado com as quantidades


Não é complicado seguir uma dieta sem glúten, visto que há uma grande variedade de alimentos que podem substituir perfeitamente os cereais com glúten. Experimente cereais novos que se encontram em lojas de produtos naturais, mas tenha presente que se o objetivo é emagrecer dever ter cuidado com as porções dos alimentos, porque todos os alimentos têm calorias, independentemente do fato de terem ou não terem glúten.
Um regra é certa: quanto mais alimentos frescos e naturais consuma, mais probabilidades terá de não ingerir alimentos calóricos, nesse caso deve privilegiar os produtos hortícolas. E, se o desejo de comer pão ou massa apertar, pode sempre recorrer aos produtos sem glúten, cuja variedade é imensa. Pode encontrar-los nas prateleiras dos supermercados.

Fonte:http://www.aminhadietadiaria.com/dietas/dieta-sem-gluten-para-perder-peso/

Dietas sem glúten para emagrecer não são recomendadas, segundo especialista

Comprar alimentos sem a substância virou rotina nos supermercados, mas será que faz esse mal todo?

Diagnosticadas como celíacas, ou intolerante ao glúten, celebridades como Ísis Valverde, Gwyneth Paltrow e Miley Cyrus já declararam ao mundo sua aversão a essa substância, que é uma proteína encontrada na semente de cereais responsável pela viscoelasticidade da massa. Mas, o glúten também se tornou um vilão para quem quer emagrecer.

O nutricionista Wanderson Pedras alerta que retirar os alimentos que contém glúten da dieta pode não ser uma atitude saudável. “Se você não é intolerante não existe razão para retirá-la da sua dieta. Muitos desses alimentos que possuem esta proteína são ricos em ferro, fibras vitaminas e aminoácidos essenciais”, completa. 

Segundo o nutricionista, deve-se observar se há desconforto na digestão desses alimentos como diarréia, náuseas, dores de cabeça, irritabilidade, cansaço excessivo, produção de gases e, no caso das crianças, um atraso no crescimento. Pois, existem pessoas com sensibilidade ao glúten, mas que não são celíacas – quando se tem a intolerância. Diversos boatos surgem na internet afirmando que o consumo do glúten pode afetar a função cerebral. “A ingestão de proteínas do trigo, centeio, aveia, cevada ou trigo não afetaria o cérebro de pessoas que não possuem nenhum tipo de intolerância a glúten, mas existem relatos de transtornos neuropsiquiátricos e autismo em pacientes com sensibilidade ao glúten. Os que não são doentes celíacos, apenas relatam alguns desconfortos com a ingestão do mesmo” esclarece o nutricionista.

Chocolate sem glúten 
O mercado de chocolates em Belo Horizonte ganhou uma novidade para quem não pode comer glúten. Uma das mais tradicionais lojas de chocolate de Gramado (RS), a Lugano, abriu loja na Savassi e aposta nos produtos com chocolate puro – sem glúten – como diferencial.  De acordo com a diretora do empreendimento, Fernanda Trevisan, muitas mães gostam de comprar para os filhos o pirulito de chocolate sem lactose. "Os celíacos costumam comer o chocolate de soja e, quando provam o chocolate puro, eles notam a diferença e retornam”, afirma Trevisan.

Fonte:http://sites.uai.com.br/app/noticia/encontrobh/atualidades/2014/10/08/noticia_atualidades,150729/dietas-sem-gluten-para-emagrecer-nao-sao-recomendadas.shtml

Postagens mais visitadas deste blog

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …