Pular para o conteúdo principal

ENTENDA MELHOR O QUE SÃO ADITIVOS ALIMENTARES

Vamos descobrir o que são os ADITIVOS! Assim, você saberá o que são a maioria dos “…ANTES” que estão presentes na lista de ingredientes dos alimentos que você consome!
Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária-ANVISAconsidera-seaditivo alimentar qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos, sem o propósito de nutrir, mas com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais (como aroma, cor, sabor e odor) durante a fabricação, processamento, tratamento, embalagem, acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação do alimento.
Ou seja, são ingredientes utilizados para melhorar a qualidade do produto alimentício que chegará até o consumidor, mas são substâncias não essenciais a nossa alimentação. Mas aditivos alimentares não devem ser vistos com causadores de doenças, porque o Ministério da Saúde com a Anvisa regulamentam e limitam seu uso a alimentos específicos, na menor quantidade possível, para alcançar o efeito desejado, evitando qualquer tipo de problema a saúde.
O excesso é sim maléfico, principalmente quando falamos das crianças. Um estudo feito na Universidade de Southampton, na Inglaterra, publicado pela revista científica Lancet em 2007, mostrou que corantes econservantes podem estar relacionados à hiperatividade e a distúrbios de concentração das crianças. No teste, o grupo de crianças que ingeriu a mistura com alto grau de aditivos teve “efeitos adversos significativos” em comparação com o grupo que bebeu a mistura placebo, sem corantes.
A dica é fácil: devemos optar pelos alimentos naturais e quando for escolher algo industrializado consumir com moderação e variar ao máximo os alimentos.
Segue abaixo uma lista dos aditivos alimentares, com suas funções e exemplos utilizados pelaindústria alimentícia:
• Agente de massa: substância que proporciona o aumento de volume e/ou da massa dos  alimentos, sem contribuir significamente para o valor energético do alimento; Ex.: POLIDEXTROSES
• Antiespumante: substância que previne ou reduz a formação de espuma; Ex.: MONO E DIGLICERÍDEOS DE ÁCIDOS GRAXOS, ÁCIDO ESTEÁRICO
• Antiumectante: substância capaz de reduzir as características higroscópicas dos alimentos e diminuir a tendência de adesão, umas às outras, das partículas individuais; Ex.: CARBONATO DE CÁLCIO, FOSFATO MONOCÁLCICO
• Antioxidante: substância que retarda o aparecimento de alteração oxidativa nos alimentos; Ex.: ÁCIDO ASCÓRBICO, LECITINAS, ÁCIDO CÍTRICO
• Corante: substância que confere, intensifica ou restaura a cor dos alimentos; Ex.: CÚRCUMA, AMARELO CREPÚSCULO, BORDEAUX S
• Conservante: substância que impede ou retarda a alteração dos alimentos provocada por microrganismos ou enzimas; Ex.: SORBATO DE SÓDIO, NITRITO DE SÓDIO, NITRATO DE SÓDIO
• Edulcorante: substância diferente dos açúcares, que confere sabor doce aos alimentos; Ex.: SORBITOL, ASPARTAME, SACARINA, SUCRALOSE
• Espessantes: substância que aumenta a viscosidade dos alimentos; Ex.: ÁGAR, GOMA GUAR, GOMA XANTANA
• Geleificante: substância que confere textura aos alimentos, por meio da formação de um gel; Ex.: ÁGAR, CARRAGENA, PECTINA
• Estabilizante: substância que torna possível a manutenção de uma dispersão uniforme de duas ou mais substâncias imiscíveis em alimentos; Ex.: LECITINAS, FOSFATO MONOSSÓDICO, CARBOXIMETILCELULOSE SÓDICA
• Aromatizante: substância ou mistura de substâncias com propriedades aromáticas e/ou sápidas, capaz de conferir ou reforçar o aroma e/ou o sabor dos alimentos; Ex.: AROMA IDÊNTICO AO NATURAL DE CHOCOLATE, AROMA NATURAL DE CAFÉ
• Umectante: substância que protege os alimentos da perda de umidade em ambiente de baixa umidade relativa ou que facilita a dissolução de uma substância seca em meio aquoso; Ex.: LACTATO DE SÓDIO, GLICERINA, GLICEROL

• Regulador de acidez: substância que altera ou controla a acidez ou a alcalinidade dos alimentos; Ex.: CARBONATO DE CÁLCIO, ÁCIDO FOSFÓRICO, BICARBONATO DE AMÔNIO
 Acidulante: substância que aumenta a acidez ou confere um sabor ácido aos alimentos; Ex.: ÁCIDO FUMÁRICO, ÁCIDO CLORÍDRICO
• Emulsionante/emulsificante: substância que torna possível a formação ou a manutenção de uma mistura uniforme de duas ou mais fases imiscíveis nos alimentos; Ex.: LECITINAS, CITRATO MONOSSÓDICO, GELATINA
• Melhorador de farinha: substância que, agregada à farinha, melhora sua qualidade tecnológica para os fins aos quais se destina; Ex.: SULFITO DE SÓDIO, ÁCIDO ASCÓRBICO
• Realçador de sabor: substância que ressalta ou realça o sabor/ aroma dos alimentos; Ex.: FUMARATO DE SÓDIO, GLUTAMATO DE SÓDIO
• Fermento químico: substância  ou mistura de substâncias que libera gás e, desta maneira, aumenta o volume da massa; Ex.: BICARBONATO DE AMÔNIO, CARBONATO DE SÓDIO
• Glaceante: substância que, quando aplicada na superfície externa dos alimentos, confere uma aparência brilhante ou um revestimento protetor; Ex.: LANOLINA, GOMA LACA, CERA DE ABELHA
• Agente de firmeza: substância que torna ou mantém os tecidos de frutas ou hortaliças firmes ou crocantes, ou interage com agentes geleificantes para produzir ou fortalecer um gel; Ex.: POLIDEXTROSES, LACTITOL
• Seqüestrante: substância que forma complexos químicos com íons metálicos; Ex.: GLUCONATO DE SÓDIO, SULFATO DE CÁLCIO
• Estabilizante de cor: substância que estabiliza, mantém ou intensifica a cor de um alimento; Ex.: CLORETO DE MAGNÉSIO, NITRATO DE SÓDIO, NITRITO DE SÓDIO
• Espumante: substância que possibilita a formação ou a manutenção de uma dispersão uniforme de uma fase gasosa em alimentos líquidos ou sólidos. Ex.: METILETILCELULOSE, GLICIRICINA
Ufaaaa…..são esses….regulamentados e autorizados pela ANVISA…
Fonte:http://alimentese.net/aditivos-alimentares/

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …