Pular para o conteúdo principal

TABELA MOSTRA OS PRÓS E CONTRAS DOS AÇÚCARES MAIS COMUNS

Tabela mostra os prós e contras dos açúcares e adoçantes mais comuns

DANIELA SALÚ
Da Redação
As prateleiras dos supermercados são fartas em opções de açúcares e adoçantes, mas nem sempre os rótulos ajudam o consumidor a descobrir qual deles se encaixa melhor no seu perfil. Veja abaixo alguns prós e contras de cada um dos produtos mais comuns no país, além dos valores calóricos e comprovações científicas.

AÇÚCARES E ADOÇANTES

ITEMPRÓSCONTRASCOMPROVAÇÕESCALORIAS
Açúcar refinadoSe consumido moderadamente, normalmente não apresenta problemas à saúde. Agrada o paladar e é fonte de energia.Em excesso, traz risco de cáries e obesidade (doença que pode desencadear problemas cardíacos e diabetes). Não pode ser consumido por diabéticos.4kcal/grama
Açúcar cristalSe consumido moderadamente, normalmente não apresenta problemas à saúde.Em excesso, traz risco de cáries e obesidade (doença que pode desencadear problemas cardíacos e diabetes). Por ser menos solúvel, adoça um pouco menos e acaba sendo usado em maior quantidade.4kcal/grama
Açúcar mascavoSe consumido moderadamente, normalmente não apresenta problemas à saúde.Em excesso, traz risco de cáries e obesidade (doença que pode desencadear problemas cardíacos e diabetes). Por ser menos solúvel, adoça um pouco menos e acaba sendo usado em maior quantidade.Apesar de geralmente ser produzido de maneira mais artesanal, não traz nutrientes expressivos que o torne mais saudável que os demais.4kcal/grama
Açúcar demeraraMenos processado que o refinado, não passa por tantos processos químicos. Não chega a ser escuro e úmido como o mascavo.Se consumido de forma excessiva, traz tantos problemas como qualquer outro adoçante calórico.4kcal/grama
MelSe consumido moderadamente, normalmente não apresenta problemas à saúde.Em excesso, pode desencadear os mesmos problemas causados pelo açúcar.Pode parecer nutricionalmente mais vantajoso, mas as quantidades de proteínas e minerais presentes não o tornam mais saudável que os demais açúcares.3,5kcal/grama
AspartameAdoça 220 vezes mais do que o açúcar.Não resiste a altas temperaturas. Quando levado ao fogo, microondas ou forno perde o sabor doce. É mais indicado para se colocar na bebida já aquecida.Foi acusado de causar câncer em animais de laboratórios, mas não há nenhuma comprovação em seres humanos.4kcal/grama
SucraloseAdoça 600 vezes mais do que o açúcar, resiste a altas temperaturas e não possui sabor residual - seu gosto é exatamente igual ao açúcar de cana. Não é absorvido pelo corpo.Seu consumo é liberado nos EUA e Brasil. Mais de cem estudos sobre a segurança confirmaram que ele não apresenta efeitos tóxicos, cancerígenos ou neurológicos. É liberado para crianças e gestantes.0kcal/grama
SacarinaAdoça 200 vezes mais do que o açúcar e resiste a altas temperaturas. Contém sódio em sua composição, mas utilizada nas doses recomendadas, não oferece risco para hipertensos.Apresenta sabor residual.Pesquisas em ratos identificaram efeito cancerígeno em altas doses. Em humanos o mesmo efeito não foi comprovado. A recomendação de consumo máximo diário é de 2,5mg/kg de peso corpóreo. A substância é proibida no Canadá.0kcal/grama
CiclamatoAdoça 50 vezes mais do que o açúcar e resiste a altas temperaturas.Apresenta sabor residual.A ANVISA reduziu a quantidade máxima da ciclamato em bebidas e alimentos. A quantidade de sódio presente na substância contribuiu para a decisão. Nos Estados Unidos o ciclamato é proibido. A recomendação de consumo máximo diário é de 11mg/kg de peso corpóreo.0kcal/grama
Acessulfame-KAdoça 200 vezes mais do que o açúcar e resiste a altas temperaturas.Apresenta sabor residual. Não é indicado para quem precisa limitar a ingestão de potássio.A recomendação de consumo máximo diário é de 9mg/kg de peso corpóreo.0kcal/grama
EsteviosídeoAdoça 300 vezes mais do que o açúcar e resiste a altas temperaturas. Ele é natural, obtido a partir de uma planta que se chama Stevia Rebaudiana. Não é absorvido pelo organismo.Apresenta sabor residual.Não é comercializado nos Estados Unidos e Europa por não ter regulamentação dos órgãos competentes. Não há comprovação científica de que cause problemas à saúde. A recomendação de consumo máximo diário é de 5,5mg/kg de peso corpóreo.0kcal/grama



Consultoria:

- Mariana Del Bosco Rodrigues, nutricionista do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica - ABESO
- Samantha Caesar de Andrade, nutricionista e pesquisadora doutoranda do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP
- Veridiana Russo, nutricionista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
- Viviane Laudelino Vieira, nutricionista do Centro de Referência para a Prevenção e Controle de Doenças Associadas à Nutrição (CRNUTRI ) da Faculdade de Saúde Pública da USP
Fonte:http://estilo.uol.com.br/ultnot/2009/05/22/ult3617u7373.jhtm

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

ALTERNATIVAS NATURAIS PARA DIMINUIR A LIPOPROTEÍNA 'A'

Comer peixe que tenha bastante ácidos graxos ômega-3 pode diminuir os níveis de lipoproteína (a)
O QUE É A LIPOPROTEÍNA 'A'
A lipoproteína (a) [Lp(a)] consiste numa partícula semelhante à LDL e a apolipoproteína específica (a) [apo(a)], que é covalente ligada à apoB da partícula semelhante à LDL. As concentrações plasmáticas de Lp(a) são altamente hereditárias e controladas principalmente pelo gene da apolipoproteína (a) [LPA] localizado no cromossoma 6q26-27. As proteínas apo(a) variam em tamanho devido a um polimorfismo de tamanho [KIV-2 VNTR], que é causado por um número variável de repetições kringle IV no gene LPA. Esta variação de tamanho ao nível do gene é também expressa ao nível da proteína, resultando em proteínas apo(a) com 10 a > 50 repetições kringle IV (cada variável do kringle IV consiste em 114 aminoácidos). Estes tamanhos variáveis ​​das apo(a) são conhecidos como "isoformas apo (a)". Existe uma correlação geral inversa entre o tamanho da isoforma a…