Pular para o conteúdo principal

CINCO ALIMENTOS PARA ESTIMULAR A MEMÓRIA E A CONCENTRAÇÃO

Imagem: LaimisEnergy

Cinco alimentos para estimular a memória e a concentração

Cinco alimentos que podem melhorar desempenho de funções básicas do seu cérebro

Já são muito difundidos os benefícios de nos alimentarmos de forma adequada para suprirmos as necessidades do nosso organismo e mantê-lo saudável. Entre as regras básicas, estão: aumentar o consumo de frutas, vegetais, legumes, sementes, peixes e carnes magras e reduzir a ingestão de alimentos processados, com altas taxas de gorduras, açúcar e sal.
Mas para além disso, existe um grupo de alimentos que pode contribuir para melhorar a concentração e a capacidade e o estímulo da memória. Que tal inclui-los na sua alimentação diária e deixar seu cérebro tinindo? Vamos a eles:
1. Blueberries (Mirtilos)
Com alta função antioxidante e ricos em vitamina C, os blueberries têm sido usados em diversos estudos para combater a perda de memória de curto prazo. Alimentar-se da fruta contribui para a coordenação e equilíbrio, entre outros benefícios. Você pode prepará-lo para fazer sucos ou smothies ou ingeri-los como fruta em seu formato normal.
2. Óleo de peixe
Espécies de peixes como salmão, cavala, arenque e sardinha são riscos em ômega 3. Essa substância é essencial para o desenvolvimento e manutenção do tecido cerebral. Para uma dieta equilibrada, certos nutricionistas recomendam duas porções de peixes ricos em ômega 3 por dia.  No entanto, é sempre bom estar atento aos problemas relacionados aos microplásticos.
3. Abacate
Embora a fruta apresente taxas altas de gordura o tipo de gordura é saudável, essa que também é encontrada em azeite de oliva, em sementes de linhaça, gergilim e girassol e em frutos oleaginosos como: castanha, nozes e amêndoas. Sua gordura monoinsaturada contribui para o aumento do bom colesterol (HDL-colesterol) e para redução do colesterol ruim (LDL-colesterol). O abacate apresenta benefícios para facilitar o fluxo de sangue para o cérebro. Esse processo, por sua vez, é responsável por manter a mente em alerta e o foco na concentração de atividades do dia a dia, e pode também ajudar a reduzir a pressão sanguínea geral no corpo. 
4. Sementes de abóbora
Outro alimento rico em ômega 3 e zinco. As sementes são perfeitas para quem é vegetariano (principalmente os que não consomem peixes). As sementes contribuem na manutenção da parte do cérebro que equilibra a função sensorial. Podem ser consumidas em lanches, saladas e até mesmo junto com o mingau de aveia no café da manhã.
5. Chocolates
Um dos alimentos preferidos mundialmente. O "verdadeiro" chocolate é o feito com leite, tem cor escura e uma pequena porcentagem de sólidos de cacau. Consumir pequenos pedaços desse chocolate te ajudará a fornecer antioxidantes e melhorar a sua memória. Alimentando-se todos os dias de pequenas porções de chocolate (consulte seu nutricionista) poderá melhorar funções motoras e agilizar velocidade de reação.

Fonte:http://www.ecycle.com.br/component/content/article/62-alimentos/2196-cinco-alimentos-para-estimular-a-memoria-e-a-concentracao.html

Postagens mais visitadas deste blog

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …