Pular para o conteúdo principal

OS 8 MELHORES CARBROIDRATOS PARA QUEM QUER EMAGRECER

Os 10 melhores carboidratos para quem quer emagrecer (Foto: Thinkstock)


Os 8 melhores carboidratos para quem quer emagrecer

Muitas vezes considerados vilões da dieta, alimentos em carboidratos têm papel importante na perda de peso

18/07/2015 - 07h11 - Atualizado 07h11 
Carboidratos muitas vezes são considerados os vilões das dietas de emagrecimento – mas a verdade é que, quando consumidos na medida certa, eles são ótimos aliados na perda de peso. Quer saber quais são os alimentos ricos em carboidrato que darão um boost na sua dieta? Confira:
1. CEVADA
A cevada pode ter a capacidade de aumentar os níveis de um hormônio ligado à saciedade, além de, segundo estudo realizado na Suécia, descobriu-se que grãos de cevada, quando cozidos (e não na cerveja, ok?), podem mudar bactérias no seu intestino, que por sua vez podem acelerar o metabolismo. Os pesquisadores também descobriram que este amido rico em fibra "diminui as sensações de fome." Inclua a cevada em itens como panquecas, waffles, sopas e saladas.

2. AVEIA EM FLOCOS
Quando consumida em forma de mingau, a aveia tem uma reputação de comidinha aconchegante, comfort food – o que significa que, na hora de excluir carboidratos da dieta, é o primeiro prato a ser eliminado. Mas Shira Lenchewski, nutricionista baseada em Los Angeles, discorda: ela diz que seus carboidratos complexos não somente te deixarão mais satisfeita, mas também irão manter a saciedade por mais tempo. Combine o mingau com canela para um efeito ainda mais gostoso e saudável!
3. PIPOCA
Quem precisa de batatas fritas?  Substitua o viciante petisco por uma bela dose de pipoca.
Um estudo revelou que, comparando os dois pratos, a pipoca mantém as pessoas saciadas por muito mais tempo, além de fornecer muito mais nutrientes e muito menos calorias que as french fries. Além disso, o milho carrega quase o dobro de fibra que outros grãos, além de manter os níveis de açúcar no sangue em equilíbrio e dar um up no metabolismo.

4. QUINOA
Um dos grãos com maior quantidade de fibra, a quinoa demora para ser digerida, mantendo os níveis de açúcar no sangue em equilíbrio (e aumentando seu metabolismo). Além disso, em comparação a outros alimentos sem glúten, é cientificamente comprovado que a quinoa ajuda na perda de peso.

5. GRÃO DE BICO
Repletas de fibra e proteína, o grão de bico é ótimo acompanhamento para saladas.  Um estudo publicado em 2014 revela que a família de legumes que inclui grão de bico, ervilha, feijão e lentilha ajuda na manutenção do peso e previne a alimentação por impulso.
6. PÃO KNÄCKEBRÖD
Quando vier aquela vontade de comer um carboidrato crocante (como biscoitos, por exemplo), o pão knäckebröd é a melhor opção para fazer um lanchinho sem sair da dieta. Além do ótimo sabor, ele é rico em fibras, baixo em sódio e 100% livre de gorduras, além de comprovadamente ser um regulador de apetite.

7. BATATA DOCE
Além de saciar a vontade de comer carboidrato, a batata doce também sacia a vontade de comer alimentos açucarados. Uma batata de tamanho médio contém cerca de 27 gramas de carboidrato, mas também aumenta os níveis de adiponectina, um hormônio que controla os níveis de açúcar no sangue e acelera o metabolismo. Para completar, a batata doce contém menos calorias e menos sódio que as batatas inglesas.
8. CEREAL MATINAL INTEGRAL
Cereais integrais são naturalmente pobres em gorduras e ricos em fibras, além de naturalmente reduzir a gordura abdominal (se consumidos em quantidades equilibradas). Um estudo revelou que homens e mulheres que consomem mais alimentos integrais têm IMC menor que os demais, além de menor gordura abdominal.


Fonte:http://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/2015/07/os-8-melhores-carboidratos-para-quem-quer-emagrecer.html

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …