Pular para o conteúdo principal

COMO É A DIETA VEGÂNICA DE UM ATLETA DE ELITE

COMO É A DIETA VEGANA DE UM ATLETA DE ELITE


A GQ americana está realizando uma série bem interessante sobre as dietas de atletas de elite. Até agora eles já falaram sobre a rotina alimentar de um lutador de sumô, de um jogador de hóquei, de um ultramaratonista e a última reportagem é sobre um jogador de futebol americano, o David Carter.
E é dele que viemos falar.
A curiosidade sobre o caso de Carter é que ele é vegano, ou seja, não come nada de origem animal. Nem ovo, nem leite, nem queijo – nada mesmo. E como você pode ver, ele é um brutamontes de 1,96 metros e 136 quilos.
Pois é, esqueça aquele estereótipo do vegano magricela. Para construir músculo e ganhar força não é necessário comer carne ou qualquer produto de origem animal.
O que levou o jogador de defesa do Chicago Bears a adotar o veganismo foi uma questão de saúde. Carter tinha sérios problemas de dores que atazanavam sua vida. Ele sentia muitas dores nos ombros e tinha uma grave tendinite. “Eu percebi que estava tornando tudo pior. Eu estava alimentando a tendinite, a fadiga muscular, tudo”, disse o jogador à GQ.
O que deu essa consciência a ele foi um documentário vegano que associava o consumo de produtos animais a alguns tipos de tendinite. Então ele não teve dúvidas e passou a ser vegano.
A questão é que o cara é um monstro e teve que adaptar a nova dieta às suas necessidades. Ele precisa de 10.000 calorias diariamente. Isso é muito, muito mesmo! Pessoas normais precisam consumir, em média, 2.000 kcal.
Carter faz cinco refeições todos os dias, sendo que entre cada uma delas ele toma um smoothie de 550 ml. Fazendo os cálculos, o cara se alimenta de duas em duas horas.
“Ele tira proteína de diversos alimentos, como arroz e feijão, que juntos formam proteína completa; cereais integrais como milho, quinoa e cuscuz; suplementos como spirulina e proteína de cânhamo; e nozes, que lhe dá um de seus ingredientes favoritos, o queijo caju feito com fermento natural”, explica a reportagem.
Carter diz que, para ganhar peso (ele chegou a perder 18 quilos no início dessa dieta), procura ingerir diariamente 2,6 gramas de proteína para cada quilo do seu corpo (que são 136). E ele precisa de muito peso para atuar como jogador de defesa no futebol americano.
vegano-el-hombre
Seu cardápio diário é o seguinte:
Café da manhã
Farinha de aveia com proteína de cânhamo, banana e frutas vermelhas.
Lanche
600 ml de um smoothie feito com feijão branco, banana, morango e spirulina.

*Essa batida não é feita com leite, obviamente. O jogador usa feijão branco (isso mesmo) para servir de base à bebida. Além disso, tem também a spirulina, que é um tipo específico de alga bastante rica em proteína.
Almoço
Arroz integral e feijão preto com abacate e queijo de caju.
*Esse queijo de caju é tipo um patê feito a partir da castanha de caju.
Lanche
Mais 550 ml do smoothie estranhão.
Segundo almoço
Uma repetição do primeiro almoço.
Lanche
E dá-lhe 550 ml de smoothie.
Janta
Cuscuz com alho e cebola, e salada de espinafre com pimentão.
Lanche
Termina o dia como? 550 ml de smoothie.
Essa é a alimentação diária do jogador de futebol americano vegano David Carter.
Você pode estar se perguntando: “Mas ele come isso todos os dias e fica repetindo alimentação? É isso mesmo?”. Nos perguntamos a mesma coisa. Mas certamente essa é apenas uma referência, já que o texto diz que ele come quinoa e milho e esses alimentos não foram inclusos nesse exemplo de rotina.
OUTROS ATLETAS DE PONTA VEGANOS
David Carter não é uma aberração no mundo esportivo e muito menos o pioneiro desse movimento. Não senhor. Na verdade, a mudança de hábito alimentar do jogador é bem recente. Até o ano passado ele se empanturrava de carne e litros de leite diariamente.
Muito antes de Carter, diversos atletas de ponta já investiam na alimentação vegetariana, seja tendo como ponto principal a consciência ou a performance.
Separamos aqui alguns nomes para exemplificar. Nem todos são conhecidos do público geral – mas todos foram fenomenais no que fizeram – ou fazem.
Saca só.
Robert Cheeke – fisiculturista
Robert-Cheeke-el-hombre
Esse americano de 35 anos era vegano antes mesmo de se tornar atleta de alto nível. Desde moleque defende os direitos dos animais e aos 20 anos se tornou fisiculturista.
Robert é um grande ativista do movimento vegano. Faz palestras, já publicou livros e dvds, fundou entidades, grupos, sites e etc… Como “bodybuilder” ganhou diversos torneios nesses 15 anos de profissão.
Fiona Oakes – maratonista
Fiona-Oakes-el-hombre
Aos 6 anos de idade Fiona parou de comer carne e na adolescência se tornou vegana. Demorou para se tornar maratonista propriamente, entrando no mundo da corrida por volta dos 38 anos. Bem tarde, não?
Desde então Fiona já correu mais de 50 maratonas e ultramaratonas. E ela gosta daquelas bem desafiadoras, como as do Polos Norte e Sul e o desafio Maratona nas Areias, em que os competidores realizam seis dessas corridas em seis dias no Deserto do Saara. E Fiona conseguiu completar esses quase 250 quilômetros de desafio. Detalhe: ela competiu com dois dedos do pé quebrados por conta de um pisão de um cavalo.
É brincadeira essa mulher?
Além de ser uma super atleta, Fiona é ativista vegana e gerencia um “santuário” de animais em que abriga mais de 400 bichinhos resgatados.
Vale muito a pena conhecer um pouco mais da sua história, sério. Essa matéria da CNN está ótima.
Serena Williams – tenista
Serena_williams-el-hombre
E a maior tenista da atualidade também é vegana. Ela resolveu adotar essa postura por conta de sua irmã, Venus.
Venus tem uma doença conhecida como Síndrome de Sjögren, que é uma condição autoimune que causa diversos problemas, como dificuldades com a respiração, fadiga crônica e dores musculares. Esses sintomas estavam atrapalhando a performance de Venus nas quadras em 2011, obviamente. Então ela resolveu adotar uma dieta vegana de alimentos crus e credita toda a melhora que teve a essa escolha.
Serena resolveu ser vegana também para manifestar apoio à irmã. E isso não atrapalhou sua performance em quadra. Pelo contrário – de lá para cá seus resultados são incríveis: 8 Grand Slams! E se ganhar o US Open desse ano vai conseguir o feito histórico de faturar todos os Grand Slams do ano.
Além das irmãs, outras duas grandes tenistas da história também são vegetarianas: Billie Jean King, que se consagrou nos anos 70 e tem 39 Grand Slams na carreira (somando simples e duplas), e Martina Navratilova, que soma inacreditáveis 59 Grand Slams e brilhou na década de 80.
Patrik Baboumian – competidor de força
Patrik-Baboumian-el-hombre
Patrick Baboumian é simplesmente considerado o cara mais forte da Alemanha. Ele participa de várias competições de “homem mais forte” e já faturou inúmeras.
É vegetariano desde 2005 e vegano desde 2011. Em 2013, após bater um recorde no evento Torono Veg Fest ele disse: “Essa é uma mensagem para todos aqueles que pensam que é preciso produtos animais para ficar em forma e forte. Depois de quase dois anos de veganismo, eu estou mais forte do que antes e continuo evoluindo a cada dia.”
Patrik também foi fisiculturista.
Carl Lewis – atleta
Carl-Lewis-el-hombre
Esse é um dos grandes nomes do atletismo norte americano – logo, do mundo. Carl Lewis é uma lenda do salto em distância e também um fenômeno em corridas curtas. O Comitê Olímpico Internacional e a Sports Illustrated o elegeram como o “Esportista do Século” e “Olympian of the Century”, respectivamente.
Para descrever todos os feitos de Carl precisaríamos de um texto inteiro. Mas basta dizer que ele é detentor de 10 medalhas olímpicas (9 de outro) e 10 medalhas em mundiais.
Carl não foi vegano desde sempre. Ele passou a adotar a dieta em 1990, depois de já ter alcançado muito de suas conquistas. Mas ele diz que sua performance no campeonato mundial de 1991 (“a melhor de minha vida”) foi positivamente influenciada pelo veganismo.
Éder Jofre – boxeador
Éder-Jofre-el-hombre
O nosso grande boxeador também está nesse time. Bem, em parte: Éder Jofre não é vegano, mas vegetariano – ou seja, ele não come carne, mas come produtos que tenham origem animal.
Ele se tornou vegetariano em 1956, um ano antes de começar a lutar. Em papo registrado no Blog do Menon ele respondeu ao ser questionado se era vegetariano: “Sou, sim. Li um livro, chamado ‘A Saúde Depende da Cozinha’, que te convence de que a carne é estragada, putrefa dentro do estômago. Isso me convenceu. Eu queria era ser campeão, e ia comer carne? E até hoje eu não como carne.”
Sua história também aparece no famoso documentário “A Carne É Fraca”.
Esses são apenas alguns exemplos de atletas de alto nível que adotaram a dieta vegana.Nesse site você encontrará uma lista muito mais extensa, caso interesse.


Fonte:http://www.elhombre.com.br/como-e-a-dieta-vegana-de-um-atleta-de-elite/

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …