Pular para o conteúdo principal

OS HÁBITOS ALIMENTARES QUE TODA GRÁVIDA DEVERIA ADOTAR E EVITAR,E COMO RECUPERAR A BOA FORMA DEPOIS DA GRAVIDEZ

Mulher grávida comendo frutas, como maçã

(nd3000/Thinkstock/Getty Images)

Os hábitos alimentares que toda grávida deveria adotar e evitar

Algumas mudanças à mesa fazem muita diferença no seu bem-estar – e no do bebê também

Você está grávida! Parabéns! Agora, não é só o tamanho da sua barriga que vai mudar. Por dentro, seu corpo já começou a funcionar de um modo diferente. Para manter sob controle todas essas alterações, a nutricionista esportiva Ana Fornari, da Camomila Nutrição, de São Paulo, ensina o que a gestante deve comer e beber durante essa fase.

Coma menos e com mais frequência

Azia, enjoo e mal-estar parecem ser sensações corriqueiras no dia a dia de uma grávida, principalmente no primeiro trimestre. Mas não precisa ser assim! Reduza o tamanho das refeições para evitar que esses desconfortos se tornem comuns e se alimente em intervalos mais curtos, como a cada duas horas.

Ganhe peso de forma saudável

Esqueça a preocupação em manter o abdômen rasgado. A prioridade agora é o bebê. Só que quem já tem o IMC elevado (acima de 30) deve se segurar um pouco com os desejos para não somar mais de 9 kg nos nove meses. Já as mulheres com 18% de gordura podem engordar até 18 kg de forma saudável: com verduras, frutas, integrais, hortaliças. Aliás, os nutrientes e vitaminas são mais importantes que as calorias. Invista em gorduras boas (abacate, coco, peixe) e arroz e feijão, que são ricos em aminoácidos.  

Beba água, sempre

Você não precisa ultrapassar os dois litros a que estava acostumada a ingerir. Mas tenha em mente que, durante a gestação, a hidratação se torna ainda mais importante: evita infecção urinária, ajuda a diminuir o inchaço e melhora a circulação (o volume de sangue aumenta nessa fase, assim como a pressão arterial).

Olhe o rótulo

Evitar industrializados é um bom caminho para diminuir o inchaço, por causa da quantidade de sódio nesses alimentos. Já o açúcar deve ser controlado para evitar diabetes gestacional, que acontece até em mulheres que eram saudáveis antes da gravidez.

Reforce as vitaminas

Além do ácido fólico (importante para o desenvolvimento neural da criança), a futura mamãe deve reforçar o consumo de ferro – lembra que o volume sanguíneo aumenta? – e de cálcio, por causa da formação dos ossos do bebê. Converse com seu médico sobre o assunto porque a suplementação deve ser personalizada.

Não exagere no café

Por causa dos hormônios, você pode sentir mais cansaço – mas não adianta se entupir de cafeína. O estimulante até pode ser perigoso para sua saúde.
Fonte:http://boaforma.abril.com.br/dieta/os-habitos-alimentares-que-toda-gravida-deveria-adotar-e-evitar/
Getty Images
Getty Images

Como recuperar a boa forma depois da gravidez

Veja os fatores que influenciam no tempo que o corpo demora para voltar à antiga forma depois de dar à luz. De quebra, conheça fique por dentro das táticas das famosas para perder os quilos extras

Como se não bastasse serem lindas e magras, Gisele Bündchen, Claudia Leitte e Kate Middleton nos deixaram de queixo caído ao posar com as curvas em dia apenas semanas depois de darem à luz. Impressionante, não é? Pois saiba que elas não são regra – nem exceção. Fique por dentro dos fatores que influenciam na retomada do peso antigo.

1. Controle de peso na gravidez

Engordar menos durante ela é fator decisivo. “Algumas mulheres voltam ao peso pré-gestacional no primeiro retorno pós-parto”, diz Tathiana Parmigiano, ginecologista do esporte do Hospital das Clínicas. de São Paulo. Mas a médica ressalta que não há um tempo médio para a barriga secar. A rotina de exercícios antes e durante a gestação e o tipo de dieta influenciam esse prazo.

2. Amamentação

Durante esse período, o organismo da mãe produz uma gama de substâncias, como as ocitocinas, que estimulam a contração uterina e o retorno dos órgãos ao seu estado pré-gravidez. “O aleitamento envolve um gasto calórico considerável, que corresponde a um treino em capacidade moderada de esforço”, diz Tathiana.

3. Exercício pós-parto

Após o parto normal, a mulher pode voltar a se exercitar em duas semanas. Depois da cesárea, em um mês. “Em ambos os casos, o primeiro mês inspira cuidado, pois os hormônios estão voltando aos níveis normais. O exercício só deve ser reiniciado após a reavaliação médica e de maneira gradual”, finaliza Tathiana.

4. Genética

Cada organismo responde de uma forma específica a alimentação, exercícios e variação hormonal. “Algumas mulheres podem perceber o resultado mais depressa e outras demoram. Foque o melhor para você e seu corpo. Não se compare com outras”, alerta Marcelo Burlá, presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (Sgorj).
Fonte:http://boaforma.abril.com.br/dieta/como-recuperar-a-boa-forma-depois-da-gravidez/

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …