Pular para o conteúdo principal

ALIMENTOS RICOS EM ANTIOXIDANTES AJUDAM NO COMBATE AO CÂNCER DE PRÓSTATA

Resultado de imagem para Alimentos ricos em antioxidantes ajudam no combate ao câncer de próstata

Alimentos ricos em antioxidantes ajudam no combate ao câncer de próstata

Resultado de imagem para Alimentos ricos em antioxidantes ajudam no combate ao câncer de próstata

Nutróloga sugere para pacientes diagnosticados com a doença produtos à base de licopeno, selênio e vitamina C, que combatem os radicais livres e as células cancerígenas

Fui diagnosticado com câncer de próstata. E agora? Posso comer carne vermelha? E bebida alcoólica faz mal? Meu tumor vai crescer? E se eu tomar suco de folha de graviola? Disseram que o câncer desaparece. São inúmeras as perguntas e dúvidas que passam pela cabeça dos homens quando o tema é câncer de próstata e alimentação.

E não é para menos. Segundo dados divulgados em outubro pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), surgem a cada ano 61.200 pacientes com câncer de próstata, o que corresponde a 28,6% de todos os casos de câncer em homens no Brasil.

Diagnosticados, além de fazer o tratamento, que pode incluir sessões de radiologia e/ou quimioterapia ou ainda a cirurgia de
retirada da próstata, os pacientes geralmente começam a conhecer melhor a doença e a se preocupar com o que consomem. 

 Segundo a médica nutróloga Gisele Werneck, formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a pessoa com câncer já apresenta deficiência de substâncias antioxidantes, responsáveis por proteger o organismo de doenças. “Todo ser humano produz antioxidantes naturais. Com o câncer, eles se oxidam. As células cancerígenas, que precisam ser nutridas, passam a ‘roubar’ nutrientes do organismo. Por isso é que quanto mais grave o câncer, mais a pessoa emagrece”, comenta. No caso do câncer de próstata, isso não é diferente. 

Entre os alimentos que devem integrar a dieta de um paciente com câncer de próstata, a especialista destaca o tomate (sempre cozido com azeite), frutas vermelhas (goiaba, acerola, pitanga, morango e romã), o limão, vegetais verdes (couve), castanhas, grãos, frutas em geral e chá verde. Na lista de substâncias, ela cita o licopeno, o selênio e a vitamina C, todos com função antioxidante.

RADICAIS LIVRES

A nutróloga explica que uma alimentação adequada, à base de antioxidantes, neutraliza o poder dos radicais livres, protegendo o organismo contra a destruição das células. Os radicais livres, em excesso, podem danificar células sadias, oxidando-as. “Não estamos falando de cura do câncer, mas esses alimentos evitam que esse processo se acelere, tendo um efeito protetor”, explica.

Por outro lado, alguns alimentos acabam por promover o estresse metabólico, aumentando a oxidação, que já ocorre em pacientes com câncer. É o caso do açúcar, ‘condenado’ pelos médicos e pesquisadores. “O açúcar estimula a inflamação do organismo”, comenta Gisele Werneck, que acrescenta aos doces as bebidas alcoólicas.

Quanto à carne vermelha, a nutróloga explica que não há um estudo que a proíba nos casos de câncer de próstata, sendo recomendado apenas 400 gramas de carne vermelha por semana, quantidade indicada para todas as pessoas.

Gisele não condena o suco de folhas de graviola. Rica em flavonoides, ela limita o crescimento das células cancerígenas, “mas os estudos ainda são incipientes por não abarcar uma grande quantidade de pessoas”.

Dormir bem, fazer atividade física e ter uma alimentação correta continuam sendo a tríade para a prevenção contra os diversos cânceres. “Ter um estilo de vida saudável impacta a prevenção contra o câncer em até 70% dos casos”, finaliza a nutróloga.

Paciente segue à risca prescrição médica 

 Aos 81 anos, José Gonçalves da Silva Mendes é exemplo de determinação. Diagnosticado em julho deste ano com câncer de próstata, ele segue à risca a prescrição dos médicos e enfermeiras. Sem literalmente deixar a ‘peteca’ cair, já que ele não abandonou a peteca com os colegas - esporte que pratica três ou quatro vezes por semana - José Gonçalves faz radioterapia cinco vezes por semana. 

E cuida muito da alimentação. A salada tem sempre cinco ou seis cores, com muitas folhosas, e o tomate é cozido. Ele também evita frituras e bebidas alcoólicas, e não come carboidrato à noite. “Reduzi a quantidade de carne vermelha, de doces (açúcar) e tomo limão todos os dias.” 

 Ele também lê vários textos sobre o tema e, mesmo que alguns alimentos ainda sejam apenas objeto de estudo de médicos e pesquisadores, ele toma suco feito das folhas da graviola, come muita salsinha e um medicamento homeopático quatro vezes ao dia. Dos vários efeitos colaterais típicos do tratamento, ele destaca fadiga, irritabilidade e enfraquecimento dos ossos, mas não desanima. “O mais importante é evitar a depressão, é encontrar motivações, metas e ocupações. E, claro, a família sempre está em primeiro lugar. O apoio e a assistência familiar são fundamentais nessa hora.” 

ASSINTOMÁTICO

Pai de três filhos e avô de quatro netos, ele admite que “vacilou” com relação à saúde. “Fiquei dois anos sem fazer o PSA (sigla para Antígeno Prostático Específico)”, um dos exames utilizados para detectar a doença, além do toque retal. “No meu caso, foi assintomático. Não sentia nada”, diz. Com tratamento feito no Hospital Luxemburgo, unidade ligada à Fundação Mário Penna, que presta atendimento oncológico pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ele elogia o atendimento. “A equipe é extremamente atenciosa com todos os pacientes, o que é impressionante, porque só no meu horário tem cerca de 25 a 30 pessoas”, destaca. 

 Das 37 sessões de radioterapia indicadas nesta primeira etapa, ele já venceu 22 e continua trabalhando e fazendo atividade física. “O segredo é enfrentar o câncer de frente e fazer o tratamento”, completa. 

O que fazer?
Diferentes situações que podem ocorrer durante o tratamento de câncer

Falta de apetite:

» Coma alimentos de que você mais gosta
» Tente fazer refeições leves várias vezes ao dia, pelo menos de três em três horas
» Beba líquidos com o almoço e o jantar
» Prepare pratos coloridos e variados e inclua novos alimentos em seu cardápio
» Evite frituras e alimentos gordurosos
» Use temperos mais fortes na preparação dos alimentos, como o açafrão
» Tente consumir balas azedas, amargas ou gotas de limão para estimular o reaparecimento do paladar

Enjoos e vômitos:

» Evite frituras e alimentos gordurosos
» Fracione as refeições
» Procure não beber líquidos durante as refeições; deixe-os para os intervalos entre elas
» Chupar gelo pode ajudar a diminuir o enjoo
» Beba sucos, sopas frias ou chupe picolés de frutas cítricas, como limão, abacaxi, morango, acerola e kiwi
» Faça pequenas refeições em menores intervalos de tempo
» Evite bebidas alcoólicas, fumo, cafeína e condimentos fortes
» Não fique muito tempo sem comer; lembre-se: quanto mais tempo ficar de estômago vazio, mais enjoado vai ficar
» Não se alimente nos episódios de vômitos. Aguarde um tempo para voltar a se alimentar
» Não se deite logo após as refeições

Diarreias:

» Beba líquidos em temperatura ambiente entre as refeições
» Fracione as refeições
» Evite o uso de laxantes e alimentos como leite e derivados, frituras e ricos em açúcar
» Consuma alimentos obstipantes, como arroz branco, biscoito de polvilho, banana e vegetais cozidos

Gripes e resfriados:

» Aumente a ingestão de líquidos
» Consuma alimentos ricos em fibras, como aveia, alimentos integrais, mamão e ameixa
» Alho, cebola e frutas cítricas podem ajudar o sistema imune

Fonte:https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2017/11/22/noticias-saude,217153/alimentos-ricos-em-antioxidantes-ajudam-no-combate-ao-cancer-de-prosta.shtml

Imagem relacionada

Postagens mais visitadas deste blog

ALTERNATIVAS NATURAIS PARA DIMINUIR A LIPOPROTEÍNA 'A'

Comer peixe que tenha bastante ácidos graxos ômega-3 pode diminuir os níveis de lipoproteína (a)
O QUE É A LIPOPROTEÍNA 'A'
A lipoproteína (a) [Lp(a)] consiste numa partícula semelhante à LDL e a apolipoproteína específica (a) [apo(a)], que é covalente ligada à apoB da partícula semelhante à LDL. As concentrações plasmáticas de Lp(a) são altamente hereditárias e controladas principalmente pelo gene da apolipoproteína (a) [LPA] localizado no cromossoma 6q26-27. As proteínas apo(a) variam em tamanho devido a um polimorfismo de tamanho [KIV-2 VNTR], que é causado por um número variável de repetições kringle IV no gene LPA. Esta variação de tamanho ao nível do gene é também expressa ao nível da proteína, resultando em proteínas apo(a) com 10 a > 50 repetições kringle IV (cada variável do kringle IV consiste em 114 aminoácidos). Estes tamanhos variáveis ​​das apo(a) são conhecidos como "isoformas apo (a)". Existe uma correlação geral inversa entre o tamanho da isoforma a…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…