Pular para o conteúdo principal

ALIMENTOS RICOS EM GLUTATIONA : O ANTI-OXIDANTE "MESTRE"

 

Alimentos Ricos em Glutationa

    

A Glu­ta­tiona, uma molécula com­posta por três aminoá­ci­dos, é con­hecida como o “antiox­i­dante mestre”. Ela é respon­sável pela pre­venção de danos do DNA e é con­sid­er­ada por muitos como um dos mais poderosos nutri­entes anti-envelhecimento já descober­tos. Tam­bém desem­penha um papel fun­da­men­tal na desin­tox­i­cação de pro­du­tos quími­cos nocivos, incluindo ele­men­tos can­cerígenos. Enquanto o corpo pro­duz a seu própria glu­ta­tiona, ali­men­tos ricos neste amino ácido crítico têm sido iden­ti­fi­ca­dos e pub­li­ca­dos na edição de “Nutri­tion and Cancer.”

FRUTAS E LEGUMES

athens-plants-284De acordo com “Nutrição e Câncer”, as fru­tas e veg­e­tais con­têm con­cen­trações mod­er­adas a ele­vadas de glu­ta­tiona, ou GSH. Fru­tos fres­cos e con­ge­la­dos e veg­e­tais con­têm mais GSH do que ali­men­tos proces­sa­dos. Aba­cate, aspargo, batata, abób­ora, quiabo, couve-flor, laranja, morango, melão, pêsse­gos fres­cos, bró­co­lis e tomate crus têm os maiores teo­res de GSH. Os autores obser­vam que o con­sumo de fru­tas e veg­e­tais tem sido asso­ci­ado com a diminuição do risco de alguns tipos de câncer.



CARNES, PEIXES E AVES

Como com fru­tas e legumes, carnes fres­cas, peixes e aves têm níveis sub­stan­cial­mente mais ele­va­dos de GSH do que os ali­men­tos enlata­dos e proces­sa­dos. Costeleta de porco, costeleta de vitela, bife, ham­búr­guer e frango têm altos níveis de GSH.

OUTROS ALIMENTOS

Grãos, ovos e lat­icínios, por exem­plo, leite, queijo e iogurte, têm peque­nas quan­ti­dades de GSH. No entanto, ovos crus e leite não pas­teur­izado são ricos em GSH. O Armazena­mento, coz­e­dura, proces­sa­mento reduzem o con­teúdo de GSH dos ali­men­tos. Assim, doces e lanches, como bis­coitos, pipoca e bolos, não são boas fontes de GSH.

ABSORÇÃO

Há relatos con­fli­tantes sobre se GSH é absorvido intacto na cor­rente san­guínea. É con­sid­er­ado por muitos que GSH é que­brada no estô­mago em seus aminoá­ci­dos con­sti­tu­intes, que são usa­dos ​​pelas célu­las do organ­ismo para pro­duzir GSH.



Benefícios da Glutationa

    

A Glu­ta­tiona, ou GSH, é encon­trada em todas as célu­las do corpo e tam­bém está disponível como um suple­mento. Há muitos bene­fí­cios em com­ple­men­tar sua dieta com glu­ta­tiona. É uti­lizada para tratar a sín­drome da fadiga crônica, algu­mas doenças de pul­mão, reforçar o sis­tema imunológico e tem sido usada para tratar o HIV / Aids e alguns tipos de câncer. Comer uma dieta saudável, rica em fru­tas e veg­e­tais fres­cos, per­mite obter o sufi­ciente de glu­ta­tiona para atin­gir a dose diária de GSH. No entanto, ao comer uma dieta pobre, os níveis de glu­ta­tiona podem ser baixos e suple­men­tação extra pode ser necessária.

SOBRE A GLUTATIONA

remedies-glutathione-food-1.1-800x800Glu­ta­tiona, ou GSH, é uma pro­teína de ocor­rên­cia nat­ural que pro­tege todas as célu­las, teci­dos e órgãos de rad­i­cais livres tóx­i­cos e doenças. O suple­mento con­tém três aminoá­ci­dos: glic­ina, glu­tam­ato (ácido glutâmico) e cis­teína. Os Suple­men­tos de GSH con­têm uma ele­vada con­cen­tração de cis­teína e têm muitas das mes­mas pro­teí­nas encon­tradas no leite que mel­hora a função do sis­tema imu­nitário. A Glu­ta­tiona pode aju­dar a reparar as célu­las dan­i­fi­cadas ​​pelo estresse, radi­ação, poluição, infecção, e uma série de out­ras doenças. Ao longo dos está­gios de envel­hec­i­mento, as célu­las começam a perder a sua capaci­dade de se reparar e pro­duzir fortes antiox­i­dantes. Ben­e­fi­ciando o seu corpo com suple­men­tos de glu­ta­tiona aumenta os níveis deste antiox­i­dante natural.

GLUTATIONA COMO ANTIOXIDANTE

Emb­ora as vit­a­m­i­nas C e E sejam os suple­men­tos mais con­heci­dos para reforçar os níveis de antiox­i­dantes, porque eles neu­tral­izam os rad­i­cais livres, a glu­ta­tiona tem a van­tagem de ser um poderoso antiox­i­dante porque existe den­tro da célula. A glu­ta­tiona encontra-se em todos os tipos de célu­las, incluindo célu­las do sis­tema imu­nitário. A Glu­ta­tiona ajuda a lutar con­tra a doença, e é por isso que os defen­sores do suple­mento sug­erem que este fun­ciona con­tra o câncer e out­ras doenças.

DOSES RECOMENDADAS DE GLUTATIONA

Pesquisa real­izada sug­ere que tomar glu­ta­tiona oral não fun­ciona tão bem como tomar o suple­mento por injeção. Uma vez que isto coloca uma série de prob­le­mas, alguns médi­cos acred­i­tam que tomar as molécu­las pre­cur­so­ras de glu­ta­tiona, como cis­teína, é a mel­hor maneira de obter o antiox­i­dante em seu sis­tema. Doses de 10 a 20 gra­mas por dia de um suple­mento de cis­teína é bené­fico para a saúde e para a função do sis­tema imunológico. Fale com um médico antes de tomar o suple­mento para garan­tir sua segurança.

RISCOS E PESQUISA

A glu­ta­tiona tem pro­teí­nas à base de leite que podem afe­tar as pes­soas com aler­gias ao leite ou lac­tose e devem evi­tar este suple­mento. Os pacientes que foram recen­te­mente diag­nos­ti­ca­dos com câncer devem con­sul­tar com seu médico antes de tomar o suple­mento. Este suple­mento pode ser mel­hor usado como uma medida pre­ven­tiva e não como uma cura.

 

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …