Pular para o conteúdo principal

A MANTEIGA É MAIS SAUDÁVEL QUE A MARGARINA ?

 

A manteiga é mais saudável que a margarina?


A manteiga é um produto derivado do leite e a margarina de óleos vegetais Foto: Getty Images



A manteiga é um produto derivado do leite e a margarina de óleos vegetais
Foto: Getty Images

A manteiga é mais saborosa. A margarina, mais barata. Mas qual é mais saudável? Segundo a professora do curso de Nutrição da Universidade Anhembi Morumbi, Luciana Setaro, nenhuma das duas. De acordo com ela, "tanto uma quanto outra são alimentos ricos em gorduras, que podem ser saturadas, e, por isso, devem ser consumidos com moderação."
A manteiga é um produto derivado do leite, obtida por meio do batimento do creme de leite, rica em gorduras saturadas e colesterol. Já a margarina é resultado da hidrogenação de óleos vegetais, processo no qual moléculas de hidrogênio são incorporadas às moléculas de gordura de modo artificial, transformando gordura insaturada em parcialmente saturada.
A primeira, no entanto, tem vitamina D, que não é encontrada na margarina. Esta, por sua vez, está isenta de colesterol, como qualquer produto derivado de óleos vegetais.
De maneira geral, pessoas que apresentam níveis elevados de colesterol no sangue consomem mais margarina que manteiga. Porém, as gorduras trans da margarina inibem a ação de enzimas específicas do fígado, favorecendo a síntese do colesterol. Consequentemente, de forma indireta, o consumo de margarina propicia o aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos e a diminuição do HDL (bom colesterol).
Logo, conforme explica a nutricionista Luciana Setaro, a melhor solução é consumir estes alimentos com moderação ou substituí-los por outros mais saudáveis como requeijão light, cream cheese light ou queijo tipo cottage, que além de serem menos calóricos, oferecem mais nutrientes como cálcio e proteínas. A professora lembra ainda que existem margarinas especificas para quem tem problemas de colesterol ou cardíacos, que, geralmente, são indicadas por um médico.
 
Fonte:http://noticias.terra.com.br/educacao/voce-sabia/a-manteiga-e-mais-saudavel-que-a-margarina,2e7cc4bdea737310VgnCLD100000bbcceb0aRCRD.html


A margarina e a manteiga fazem parte da cultura alimentar dos brasileiros. Seja no café-da-manhã (o famoso pão na chapa), em lanches ou na preparação de receitas doces e salgadas, esses dois tipos de gordura estão presentes no cardápio diário da maioria das pessoas. Porém, existem muitas dúvidas em torno do consumo desses alimentos.
Manteiga e margarina se revezam na preferência de médicos e nutricionistas. Resultado de um mecanismo natural de processamento do leite, a manteiga é rica em gordura saturada. Em outro extremo está a margarina " substância industrializada adquirida depois de uma intervenção química de adição de gordura hidrogenada (trans) para dar a consistência pastosa. Bem à saúde nenhuma delas faz. A discussão versa sobre qual é menos maléfica para o organismo.
Uma pesquisa sobre gorduras e arterosclerose do Serviço de Cardiologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, publicada nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, concluiu: margarina é menos prejudicial do que manteiga. O malefício da gordura saturada (presente na manteiga) no organismo é muito maior do que o do consumo de um teor mínimo de gordura trans (presente na margarina)?, afirma o cardiologista Jorge Pinto Ribeiro, que participou do estudo.
Ainda assim, muitos especialistas preferem a manteiga, como a nutricionista Patrícia Chagas. Para ela, a gordura trans presente na margarina é altamente prejudicial mesmo em quantidades mínimas, mas recomenda atenção na quantidade. Se um tablete de 200 gramas de manteiga durar pelo menos um mês para uma pessoa, e ela tiver bons hábitos alimentares, como consumir diariamente 400 gramas de frutas e verduras, não tem problema nenhum. O erro está no alto consumo da gordura saturada?, orienta.
Tipos de gordura
Saturadas
São aquelas de origem animal, ricas em colesterol. Elas reduzem o colesterol bom (HDL), e aumentam o ruim (LDL).
Monoinsaturadas
Líquidas à temperatura ambiente é encontrada em azeite de oliva, por exemplo. Elas reduzem os níveis de LDL.
Poliinsaturada
De origem vegetal, essas gorduras são líquidas e quase nulas em colesterol.
Trans
São sintetizadas durante um processo químico. Produz o mesmo efeito das saturadas, aumentando o LDL e reduzindo o HDL e aumenta em até 29% o risco de infarto.
 

Manteiga ou margarina: qual a melhor?

A manteiga tem sido considerada pouco saudável, mas a margarina tem alguns dos seus inconvenientes, além de conter aditivos para lhe dar melhor sabor.
 
Tanto a manteiga como a margarina devem ser consumidas com moderação. A discussão sobre qual a mais saudável, se a manteiga se a margarina, dura há anos. A maioria dos nutricionistas afirma agora que a manteiga é melhor, desde que consumida com moderação. A manteiga é certamente um produto mais natural que a margarina,
que necessita de corantes e outros aditivos para se transformar de uma pasta cinzenta e de mau aspecto no produto acabado que conhecemos. 
Em geral, o teor total de gorduras e a energia fornecida (normalmente, 81% de gorduras e 740 Cal./100 g) são idênticos na
manteiga e na margarina, embora alguns fabricantes de margarina tenham reduzido o teor de gorduras do seu produto para 70 % (635 Cal./100 g).
A margarina, inventada por um químico francês por volta de 1860 como substituto barato da manteiga, era produzida a partir de sebo de vaca e leite desnatado. A margarina hoje é muito complexa e sofre vários tratamentos durante o processo de preparação. Usam-se óleos vegetais, sozinhos ou combinados com gorduras animais ou óleos
de peixe e ainda água, soro, emulsionantes para ligar os óleos e os líquidos, sal, corantes e temperos.
Por lei, a margarina tem de ser enriquecida com as vitaminas A e D, que ocorrem naturalmente na manteiga. A vitamina A é essencial para a visão e para a pele, além de ser um antioxidante importante, enquanto a vitamina D ajuda a absorver o cálcio, necessário à saúde dos doentes e dos ossos.
Ácidos gordos-trans
Para se obter margarina, os óleos líquidos são convertidos numa pasta sólida por um processo químico denominado hidrogenação. Além de endurecer os óleos, o processo altera-lhes a estrutura química, transformando alguns dos ácidos gordos insaturados em ácidos gordos-trans – formas menos saudáveis de polinsaturados que produzem no organismo um efeito muito idêntico ao das gorduras saturadas. Assim, elevam os níveis de colesterol e têm sido associados às doenças cardiovasculares.
Alguns fabricantes de margarinas reformularam os seus produtos, a fim de reduzir o respectivo teor em substâncias gordas-trans. As margarinas macias, que indicam no rótulo «rica em polinsaturados», têm bastante menos gorduras saturadas e ácidos gordos-trans do que outros tipos de margarinas e manteigas e são boas fontes de vitamina E. Pesquisas recentes, contudo, parecem sugerir que a ingestão elevada de óleos polinsaturados pode predispor certas pessoas à asma.
As pastas para barrar magras são produzidas à base de água e manteiga batida ou óleos vegetais, mas as percentagens de gorduras saturadas variam. Estas pastas têm cerca de 40% de gordura e 390 Cal./100 g; as pastas extra-magras têm cerca de 25% de gordura e 270 Cal./100 g. Algumas pastas têm apenas 5% de gordura. São feitas com substitutos de gorduras, como proteínas de soro de leite, que imitam a textura das gorduras. O seu elevado teor em água torna-as inadequadas para cozinhar e, por frequentemente conterem gelatina, também não servem para os vegetarianos.
Muitas pessoas preferem o sabor da manteiga ao das pastas para barrar, mas não a usam pelo seu alto teor em gorduras saturadas e colesterol. No entanto, muitos nutricionistas pensam que, consumida com moderação, a manteiga é preferível à margarina por se tratar de um produto natural.
De um modo geral, todas as pastas para barrar amarelas devem ser utilizadas parcimoniosamente.
Fonte:http://www.seleccoes.pt/manteiga_ou_margarina_qual_a_melhor



Margarina é mais saudável que manteiga?
 

Não necessariamente. A primeira costuma ter gordura trans, enquanto a segunda é cheia de gordura saturada e colesterol

Consumidores que procuram evitar alimentos gordurosos não titubeiam no supermercado: compram sempre margarina em vez de manteiga. Mas quem disse que uma é mais saudável que a outra? Na propaganda, algumas marcas de margarina são espertas: vendem a ideia de que o importante é fugir do colesterol contido nas manteigas (ricas em gordura saturada). Só não avisam o telespectador que seu produto contém a famigerada gordura trans, tão prejudicial à saúde quanto a saturada.

Manteiga nada mais é do que a nata do leite, batida até se transformar numa emulsão cremosa, na qual predominam o colesterol e a gordura saturada - comuns em alimentos de origem animal. Portanto, o consumo exagerado pode acarretar problemas cardiovasculares. Já a margarina é obtida por meio da hidrogenação de óleos vegetais e contém gordura trans, produzida artificialmente com a finalidade de conservá-la por mais tempo e deixá-la com uma consistência mais apetitosa. Em excesso, eleva o colesterol ruim (LDL). Resultado: quem consome margarina não leva vantagem sobre o consumidor de manteiga: no fim das contas, corre o mesmo risco de enfrentar infartos e derrames cerebrais no futuro.

O jeito, portanto, é comprar margarinas livres de gordura trans. E não exagerar no consumo, quaisquer que sejam as gorduras em questão. A quantidade máxima recomendada, inclusive para manteiga, é de 8 gramas por dia (o equivalente a uma pontinha de faca passada numa fatia de pão), não mais do que 3 vezes por semana.
 


Margarina x Manteiga Quem disse que uma é melhor que a outra? 

UMA COLHER DE CHÁ (8 GRAMAS) - Calorias
MARGARINA - 54,8
MANTEIGA - 58,64


UMA COLHER DE CHÁ (8 GRAMAS) - Colesterol (em miligramas) 
MARGARINA - 0
MANTEIGA - 17,52


UMA COLHER DE CHÁ (8 GRAMAS) - Gordura saturada (em gramas) 
MARGARINA - 0 
MANTEIGA - 4,04


UMA COLHER DE CHÁ (8 GRAMAS) - Gordura trans (em gramas) 
MARGARINA - 0,7 
MANTEIGA - 0


UMA COLHER DE CHÁ (8 GRAMAS) - Gordura total (em gramas) 
MARGARINA - 6,06 
MANTEIGA - 6,48
 
por Texto Giselle Hirata
Fonte: Sonia Tucunduva Philippi (nutricionista).
http://super.abril.com.br/saude/margarina-mais-saudavel-manteiga-620246.shtml



O que é mais saudável: manteiga ou margarina? Qual delas engorda mais?
Essas dúvidas são muito comuns e inquietam quase todo mundo na hora de escolher o produto que vai deixar seu café da manhã mais saboroso.
Embora os sabores sejam relativamente semelhantes, as origens são completamente distintas: a manteiga é derivada da gordura do leite e, por isso, tem origem animal. Já a margarina é obtida por meio da hidrogenação parcial de óleos vegetais. Segundo a nutricionista Noadia Lobão, da FidBo, a margarina pode fazer mal à saúde e, por isso, seu consumo não é recomendável:


- A margarina era feita a partir da hidrogenação de óleos vegetais, ricas em gorduras trans. Como foram descobertos os males associados à esse tipo de gordura, a indústria modificou a composição da margarina adicionando gorduras interestificadas, que também não são ideais, já que podem aumentar os níveis de glicose no sangue e contribuir para o aumento do colesterol ruim (LDL). Além disso, esse tipo de gordura é estranha ao organismo que não consegue metabolizá-la apropriadamente. Por isso, mesmo as versões de margarina light ou enriquecidas com cálcio e ômega 3 devem ser evitadas.

Se não houver exageros, a manteiga não compromete a dieta e faz até bem à saúde
Noadia Lobão, nutricionista

A manteiga, por ser derivada do leite, possui níveis de colesterol e de gorduras saturadas, e tem, sim, um valor calórico considerável. No entanto, se consumida com moderação, faz bem à saúde:
- A manteiga é naturalmente rica em ômega 6, que é um ácido graxo essencial para o bom funcionamento do organismo, combatendo o colesterol ruim e os altos níveis de glicose no sangue. Também auxilia na absorção de alguns nutrientes importantes, como as vitaminas A, B, E e K. Além disso, o organismo reconhece a gordura da manteiga como natural e consegue metabolizá-la. O ideal é consumir duas colheres de chá de manteiga por dia. Se não houver exageros, a manteiga não compromete a dieta e faz até bem à saúde - garante a especialista.
 



Manteiga ou margarina-Considerações finais para reflexão

Nada parece ser tão polêmico há tanto tempo como as gorduras (que saco! #freeGorduras). Atualmente, ainda bem, já sabemos que existem duas categorias delas: as que ajudam nosso corpo a funcionar melhor e, por isso, são INDISPENSÁVEIS, e aquelas que realmente não fazem bem.
Uma dúvida que ainda existe é se a margarina é realmente melhor quemanteiga por ser de origem vegetal. A ciência tem dessas coisas, mas (ainda bem!) evolui por meio de pesquisas. O que era ótimo ontem, pode não ser amanhã. Veja os casos do ovo, do abacate e do próprio coco: antigamente condenados, hoje queridíssimos da nossa saúde.
Lendo uma revista que herdei da minha avó, de outubro de 1956, vejo a foto abaixo, com o texto que narra a visita de nutricionistas à fábrica de margarina e como elas ficaram impressionadas com o valor nutricional do produto. Provavelmente, se eu vivesse naquela época é possível que eu tivesse pensado o mesmo, diante das pesquisas.
Com o tempo, a manteiga foi sendo deixada de lado, cedendo seu espaço na mesa do café da manhã para a margarina que, por sua vez, ganhou o rótulo de alimento saudável, deixando para a primeira o estigma de vilã. Mas seria mesmo ela assim tão melhor? Falamos semana passada sobre alimentos falsamente saudáveis e o caminho vai mais ou menos por aí, viu?
Em alguns países o retorno a esquecida manteiga já foi anunciado. Uma amiga contou que já em 2008, quando ela vivia na Suíça, uma grande campanha feita pelos produtores de leite esclarecia a diferença entre as duas. As fotos geraram geraram polêmica pois mostravam que gente naturalmente bonita comia manteiga. Já quem comia margarina…. (veja as fotos e tire sua próprias conclusões!).
E é por aí que gostaria de começar, falando dessa diferença fundamental entre as duas. Em resumo, a manteiga é de origem animal e feita da nata de leite batida. Ponto final. E a margarina? Bem, a margarina. Ela vai precisar de um parágrafo inteirinho para a explicação de como é produzida.
De origem vegetal, a margarina é resultado de um processo chamadohidrogenação. Nele, as moléculas de hidrogênio são incorporadas às de gordura de maneira artificial, em altas temperaturas. É o calor que transforma a gordura insaturada em parcialmente saturada. Também durante a hidrogenação, as moléculas de gordura viram gordura trans e saturadas. Sacou a diferença?
Em especial por causa das calorias (até quando vão perder a preciosa vida contando calorias?), e das gorduras saturadas, a coitada da manteiga ficou ali esquecida, no canto, pois supostamente engordaria e provocaria doenças cardíacas. Mas hoje ela começa a reconquistar seu espaço.  Sabe-se, por exemplo, que o consumo de gordura trans (da margarina) é nocivo, tanto que hoje é obrigatório (mas tem como burlar) ser identificado no rótulo. – e ele está na maioria das margarinas! (Para se ter ideia, a tal gordura é quase igual ao plástico!).
Já sobre a manteiga, descobriu-se que além do sabor e de ser um alimento (e não um produto alimentício, alô?!), ela contém muito mais que se imaginava. Passeando no blog da querida Pat Feldman podemos ver em alguns posts que a super deliciosa contém ácido burítico (bom para a saúde metabólica e intestinal, além de prevenir o câncer), vitamina A (antioxidante e facilitadora da digestão das proteínas) e ainda ajuda a prevenir a artrite e osteoporose, além de doenças na tiroide e outras. Ufa!
Só é preciso prestar atenção, porque como a maioria dos produtos industrializados, estão colocando aditivos que não são nada legais. Por isso, é sempre bom olhar os ingredientes. Além da manteiga, eu utilizo no meu dia a dia as seguintes fontes de gordura (boas): azeite extra virgem, óleo de coco e ghee (manteiga clarificada), além das frutas como abacate e coco, assim como as oleaginosas.
Mas como tudo na vida, vale o equilíbrio na hora de consumir, principalmente para quem segue algum tipo de dieta restritiva. O importante, acima de tudo, é pensar na origem do que se come. O seu projeto é verão pra vida toda, não é? Portanto, COMA COMIDA.
 
 

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …