Pular para o conteúdo principal

CHIA : SEGREDOS E DICAS SOBRE VÁRIAS FORMAS DE USAR NA DIETA

Chia: 5 segredos de como usar na dieta

Semente oferece inúmeros benefícios à saúde e acelera a perda de peso.

 A chia é uma poderosa aliada ao emagrecimento. Rica em fibras, a semente ajuda a regular o trânsito intestinal e prolonga a sensação de saciedade, espantando a fome por mais tempo.

O alimento também reduz o nível de colesterol no sangue e previne contra a hipertensão graças à grande quantidade de ômega 3 que possui. Além disso, diferente dos outros grãos, este não contém glúten, o que, além de beneficiar os celíacos, favorece a perda de peso e o bom funcionamento do organismo, já que o componente não é completamente digerido pelo corpo.
No entanto, a chia é considerada calórica. Em duas colheres de sopa do alimento, que correspondem a uma porção de 25 g, há 122 kcal. Por isso, seu consumo deve ser moderado. O ideal é ingerir, no máximo, duas colheres por dia.
Sugestão: prepare um delicioso e saudável bolo de chia com blueberry e amêndoas e finalize com iogurte (Thinkstock)
Sugestão: prepare um delicioso e saudável bolo de chia com blueberry e amêndoas e finalize com iogurte (Thinkstock)

Emagrecimento

Além da ingestão controlada, existe mais uma regra básica para o consumo correto da chia. Ela precisa ser associada à água para liberar todos os seus benefícios e promover a perda de peso. Diferente da linhaça, esta semente possui a casca mais maleável, facilmente triturada pelos dentes e digerida pelo organismo. Quando em contato com líquidos, esta capa revestidora, composta por fibras solúveis, torna-se uma espécie de gel, que tem três funções principais:
  • Encher o estômago. A semente “incha”, aumentando seu próprio volume em até 12 vezes. Com isso, é capaz de preencher o estômago, dando a sensação de saciedade.
  • Sugar a gordura. O gel formado funciona como uma esponja, absorvendo a gordura e a bile presentes no estômago e transformando-as em bolo fecal.
  • Reduzir a fome. Por conta da casca fibrosa, o alimento demora mais tempo para ser quebrado e digerido pelo corpo. Isso faz com que ele permaneça por bastante tempo no estômago, adiando a chegada da fome. Além disso, o organismo tem mais trabalho para absorver a semente, o que aumenta o gasto calórico. Por fim, a digestão lenta faz com que gorduras e açúcares ingeridos caiam lentamente na corrente sanguínea, e não de uma vez só.
Misture as sementes em iogurtes, vitaminas e cremes de frutas (Thinkstock)
Misture as sementes em iogurtes, vitaminas e cremes de frutas (Thinkstock)

Semente de Chia emagrece, rejuvenesce e previne doenças

Nutricionista confirma os benefícios do alimento que ajuda mais do que a linhaça.

 Não seria perfeito se um único alimento fosse capaz de emagrecer, acabar com o inchaço do corpo, melhorar a pele, abaixar os níveis de colesterol ruim e evitar a pressão alta ou até mesmo câncer? Pois, acredite, essa maravilha existe e se chama Chia!

A semente é sensação do momento entre os fãs das dietas e parece realmente milagrosa. “A ligação do consumo da chia com a perda de peso se deve ao fato da semente ter a capacidade de aumentar em até dez vezes seu peso ao ter contato com a água, quando forma um retículo e dá origem a soluções de alta viscosidade, responsáveis por auxiliar no funcionamento do metabolismo lipídico. Já no estômago, a chia retarda o esvaziamento gástrico, ajudando a reduzir o apetite e aumentando a sensação de saciedade”, explica a nutricionista Cátia Medeiros, que frisa ainda a possibilidade de a chia ser a solução para quem está muito acima do peso, sofre para perder medidas e dificilmente consegue atingir o objetivo.
Créditos: Thinkstock
Chia apresenta maior concentração de ômega 3 do que alimentos como linhaça ou salmão (Créditos: Thinkstock)
“O indivíduo em situação de obesidade apresenta um processo inflamatório que faz com que organismo retarde o envio da sensação de saciedade ao cérebro. É aí que a chia atua. A alta concentração de ômega 3 deste alimento – 4 g da chia integral tem o mesmo valor de ômega 3 encontrado em 150 g de salmão, peixe que apresenta grande concentração desse nutriente – ajuda a diminuir o processo inflamatório celular, colaborando para a regularização dessa resposta”, afirma.
Esse mesmo ômega 3 é encontrado na semente de chia em uma concentração maior do que na linhaça, por exemplo. Aliado ao alto teor de fibras da semente, é o responsável por outros benefícios, segundo a especialista. “Estes dois nutrientes unidos conseguem diminuir as placas de gorduras nas artérias favorecendo a saúde cardiovascular e diminuindo os níveis de colesterol LDL na circulação. Além disso, ajuda na regulação da pressão dos vasos sanguíneos, uma vez que aumenta a fluidez sanguínea, evitando assim o aumento da pressão arterial”.
Chia é uma semente que se parece com as de papoula, podendo ser pequenas pretas, brancas ou acinzentadas. É cultivada em países como o México, Argentina, Bolívia, Guatemala, Peru e Colômbia. Em cada 100 g de semente existem 595 Kcal de energia, 16 g de proteínas, 44 g de carboidratos e 31 g de lipídios. Para consumir, basta adicionar a sucos, vitaminas, iogurtes, frutas e até mesmo em receitas de molhos de saladas, além de pratos em geral.

Como consumir

A indicação da nutricionista é comer duas colheres de sobremesa de chia diariamente, quantidade suficiente para melhorar o funcionamento intestinal e reduzir a sensação de fome. Deve ser ingerida 30 minutos antes das refeições, mas com alguns cuidados. “O consumo da chia é um auxiliar no processo de perda de peso. O seu uso sem nenhuma mudança no planejamento alimentar e também sem a adoção da atividade física, não vai promover o emagrecimento esperado. São necessárias outras mudanças que favoreçam a sua ação”, finaliza a especialista.
> Receita de shake com semente de chia para emagrecer
Créditos: Thinkstock
Semente amiga do coração, chia possui nutrientes que previnem contra doenças cardiovasculares (Créditos: Thinkstock)

Outros benefícios da Chia

Menos inchaço – Indiretamente, diminui o inchaço. “Com a sua ação na regulação do funcionamento intestinal e da pressão sanguínea, a retenção de líquidos, consequentemente, diminui”, diz a nutricionista Cátia Medeiros.
Pele mais bonita - As sementes de chia pertencem, tal como as de linhaça, ao grupo das sementes mucilaginosas. Elas formam um gel incolor quando entram em contato com a água. “Estas mucilagens são muito benéficas para o bom funcionamento do intestino. Ajudam a prevenir o acúmulo de toxinas no organismo, colaborando para uma pele mais saudável”.
Força e bom humor – É rica em cálcio, ferro e magnésio. Essa combinação é importante na manutenção da saúde, entre elas, da saúde óssea, na construção do tecido muscular e no controle do humor e combate ao estresse.
Longe de enfermidades - Fonte de vitamina B e possui forte atividade antioxidante, estando relacionada a um efeito protetor contra agregação plaquetária, anti-inflamatório e antiviral; também protege contra doenças cardiovasculares, câncer de pulmão e de estômago, além de promover melhora das funções cognitivas.
Fonte de proteínas - O perfil de aminoácidos (isoleucina, leucina, valina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano) da semente de chia permite que ela seja uma boa opção como fonte proteica.
Opção para quem possui doenças - O consumo regular destas sementes é ainda útil para controlar a pressão arterial elevada e o diabetes, já que ajuda no controle da glicemia. Por serem isentas de glúten, são uma excelente opção também para celíacos.
Quer mais? - Previne envelhecimento precoce, melhora imunidade do organismo, reduz sintomas de déficit de atenção e hiperatividade.


Chia para emagrecer rápido

Entenda o que a semente milagrosa pode fazer pela sua saúde e pela dieta.

À primeira vista ela parece uma simples semente, mas a lista de benefícios da chia prova que ela é mais que isso. Além de acabar com o inchaço do corpo, combater os níveis de colesterol ruim e ajudar na prevenção da pressão alta, a semente de chia é uma aliada na hora de perder peso.  É isso mesmo: chia emagrece!

Shake para emagrecer com semente de chia

Shake geladinho que ajuda a emagrecer Crédito: Shutterstock
Shake geladinho que ajuda a emagrecer
Crédito: Shutterstock
Bata tudo no liquidificador e beba geladinho:
200ml de leite de soja
1 banana
4 morangos
1 colher (chá) canela em pó
1 colher (chá) cacau em pó
1 colher (sopa) biomassa da banana verde
1 colher (chá) semente de chia

Mousse de Chia

Cada porção do mousse possui 112,3 Kcal Crédito: Shutterstock
Cada porção do mousse possui 112,3 Kcal
Crédito: Shutterstock
Ingredientes
3 colheres de sopa de grãos de chia
180 ml de água
200 ml de bebida vegetal de arroz
3 colheres de sopa de mel
24 g de gelatina sem sabor
200 g de ricota fresca
1 pacote de gelatina (sabor de preferência) preparada de acordo com as instruções do rótulo

Modo de Preparo
Coloque os grãoss de chia para hidratar na água. Aqueça bem a bebida de arroz com o mel e em seguida acrescente a gelatina, mexendo até dissolver. Leve essa mistura ao liquidificador e bata com a ricota. Em uma tigela acrescente a mistura e as sementes de chia hidratadas e mexa bem. Em uma forma de pudim, alterne camadas do creme de chia e da gelatina de sua preferência. Para obter camadas bem distintas, deixe intervalos de 30 minutos na geladeira, entre uma camada e outra.

Rendimento: 8 porções

Fonte:http://www.bolsademulher.com/

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …