Pular para o conteúdo principal

TENHA VELHICE SADIA COM ALIMENTO VIVO


TENHA VELHICE SADIA COM ALIMENTO VIVO

Sem sacrificar animais! O Tomaz nos mandou pesquisa praticamente pronta, apenas juntamos as peças. Tão útil matéria que, paramos tudo para postar no blog. Primo! Muito grato! Confiram através do suco verde e sementes germinadas com texto e vídeo a seguir. 

Lugar de médico é na cozinha...

Dr. Alberto Peribanez Gonzalez é médico formado pela Universidade de Brasília, com residência e titulo de especialista em Cirurgia Geral e com Doutorado em Medicina pela Ludwig Maximilians Universitaet Muenchen (Munique) na Alemanha. Fez parte de um grupo que publicou centenas de artigos publicados nas mais importantes revistas científicas internacionais, recebendo prêmios científicos pelas aquisições na área de microscopia intravital (estudo dinâmico, in vivo, da microcirculação).

De volta ao Brasil, manteve projeto em área de microcirculação na UERJ e Fiocruz, ao mesmo tempo em que lecionava na cadeira de Fisiologia destas instituições. Foi professor de fisiologia cardiovascular, respiratória, neurológica, renal, gastrointestinal e celular, desenvolvendo modelos inéditos no ensino destas matérias para graduação em medicina, nutrição e biologia.

Durante o período como cientista na Fiocruz (RJ) conheceu o projeto Terrapia, que atuava dentro da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp), e ensinava o alimento vivo. Dr. Alberto aderiu imediatamente, passando a buscar todas as referencias científicas que pudessem validar este método. Passou a lecionar na faculdade de medicina da Universidade Estácio de Sá, no centro do Rio de Janeiro. Neste período, já motivado pelo novo impulso científico, abriu um bistrô de alimentos vivos na Lapa, que chamou de Oficina da Semente.

Dr. Alberto Gonzalez no Programa Câmera Record






Disponibilizado no YouTube por oficinadasemente em 14/10/2008. Dr. Alberto Gonzalez, autor do livro "LUGAR DE MÉDICO É NA COZINHA" no Programa Câmera Record. Maiores informações: peribanez.gonzalez@gmail.com

Entre ingredientes vivos, pratos quentes, sobremesas e um grande movimento de clientes na hora do almoço, quando deixava a túnica de professor e médico e vestia o avental de cozinheiro, o cientista que abraçou a causa dos alimentos vivos escreveu o livro Lugar de Médico é na Cozinha, que vem tornando-se um clássico em livros de alimentação sadia, por ter uma peculiar associação entre informalidade e alto conteúdo científico.

Dr. Alberto nasceu em Resende, filho de gaúcho e carioca, e teve uma infância muito especial, sendo um menino prodígio em todas as matérias que estudava, chegando ao ginasial com apenas nove anos de idade. Mas esta aplicação como estudante convivia com uma vida voltada à natureza, pois passava todos os fins de semana no sítio do avô e dos pais, o sítio Nirvana, na zona rural do Rio de Janeiro.

E foi justamente quando percebeu que a mais alta ciência encontrava-se com os mais básicos ensinos da natureza, que desenhou o curso Bases Fisiológicas da Terapêutica Natural e Alimentação Viva, que todos encurtam por "Bases". Desde então vem dedicando sua profissão ao ensino da fisiologia médica, como elemento básico da cura das doenças. Acredita que a recuperação do terreno biológico seja a maior ferramenta na erradicação de doenças que superlotam os hospitais e esgotam os recursos da saúde.

Para tanto desenhou modelos de saúde inéditos. Um primeiro modelo, que denomina assistencial, é voltado à população de qualquer nível de escolaridade ou renda. Consiste de quatro aulas teóricas com oficinas culinárias práticas:

 i) Desgrudando do açúcar,
 ii) Pão dos essênios,
 iii) Leite da terra e
iv) Caldeirada de frutos do mato.

O curso tem seu fechamento com um grande almoço funcional e vivo, preparado pelos próprios alunos. As imagens impressionam. 

Já o curso "Bases", com informações de alto teor científico e técnico, faz parte do modelo docente. O Dr. Alberto acredita que enquanto os currículos de graduação não receberem as informações fundamentais de fisiologia aplicada à nutrição e fontes naturais, os médicos jamais validarão este método, por não considerá-lo acadêmico. O curso Bases tem o formato de extensão, ocorre em regime de imersão de uma semana e permite ao profissional executar as mesmas estratégias de saúde em seus municípios, no Programa de Saúde da Família, na merenda escolar, nos postos de saúde, em instituições de educação diversas ou mesmo em consultório particular.

Dr. Alberto é um profissional extremamente ativo. Ele nunca perdeu o instinto de cirurgião, de buscar, de atuar na vanguarda e de atuar diretamente sobre a doença. Mas de forma bem humorada, uma de suas características mais marcantes, define que "trocou o microscópio por um liquidificador" ou "substituiu o bisturi por uma faca de cozinha". Mais filosoficamente, acredita ser um cirurgião do DNA, da mitocôndria e das organelas celulares, sítios celulares onde acredita, a alimentação viva tem atuação definitiva.

Foi assim que Dr. Alberto teve atuações marcantes junto às prefeituras de Campos do Jordão - com visibilidade nacional pelo programa Globo Repórter -, Osasco e agora Capão Bonito, todos municípios de São Paulo. Em Capão Bonito vai coordenar projeto junto à Secretaria de Saúde com o objetivo de levar o alimento vivo a toda a população da cidade, com resultados a serem alcançados no diabetes mellitus, hipertensão, doenças gastrointestinais, artroses, obesidade, dislipidemias e depressão.
Sir. Dr.Rabbi Gabriel Cousens
A repetição destes cursos estimulou Dr. Alberto a preparar o seu livro texto em medicina, no formato "current" (atualizado a cada quatro anos) lançado no início de 2011. Neste mesmo período recebeu seu mestre na vida médica e na espiritualidade, Sir. Dr.Rabbi Gabriel Cousens, que veio ao Brasil lançar dois livros lapidares na Medicina. "Existe Cura para o Diabetes" e "Nutrição Espiritual". O "discípulo" assina os prefácios de ambos os livros e preparou palestras do Dr. Cousens no Rio de Janeiro e São Paulo. No interior de SP ocorreu também o curso "Nutrição Consciente", aplicado pelo colega americano.

Seu trabalho também tem muita influência da alta espiritualidade dos essênios, o povo bíblico de Nazaré e Qumran, que deu origem a José, Maria, João Batista e Jesus. Apresenta também as palestras "A Árvore da Vida dos Essênios" e "Os Sete Níveis da Paz", sendo cada dia mais convidado a participar de eventos de Paz no Brasil e fora, em países como Alemanha, Argentina e Estados Unidos.

Segundo ele: "Saúde e Paz são a mesma coisa. A saúde é a paz com suas células, com seus pensamentos e com suas atitudes. Manter-se pacífico e saudável implica em um novo alinhamento com os blocos de construção de nossos corpos - os alimentos - e com a teia que forma nossa alma, que são nossos pensamentos e sentimentos. A verdadeira Saúde funde-se com a Paz, em nossas relações familiares, de trabalho, em nossas comunidades e em consonância com nossa cultura. No momento que percebemos o estado sublime de Paz com a Natureza e com o Pai criador, regressamos novamente ao silêncio de nosso mundo interno, onde todo o ciclo recomeça... a saúde é branca, a paz é branca. Ambas formam as asas da pomba da Paz. Nisto reside a principal relação e a fusão entre a ciência e a espiritualidade."
@@@@@@
“... tudo na terra tem um propósito, cada doença uma erva para curar, cada pessoa uma missão a cumprir. Esta é a concepção dos índios sobre a existência ...”
Mourning Dove (Christine Quintasket) (ca. 1884-1936)

Fonte:http://blogprocurandoeles.blogspot.com.br/2013/05/tenha-velhice-sadia-com-alimento-vivo.html

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …