Pular para o conteúdo principal

BIOTECNOLOGIA PODE AJUDAR NA CRISE DE ALIMENTOS

Biotecnologia pode ajudar na crise de alimentos

Por Alister Doyle

ROMA (Reuters) - A biotecnologia pode ajudar a solucionar a crise mundial dos alimentos oferecendo avanços como um tipo de arroz resistente a enchentes em Bangladesh ou safras maiores de algodão em Burkina Fasso, afirmou uma importante autoridade dos Estados Unidos na terça-feira, durante uma cúpula da Organização das Nações Unidas (ONU).
"A biotecnologia é uma das ferramentas mais promissoras quando se trata de melhorar a produtividade agrícola e aumentar a renda dos agricultores pobres", disse o secretário norte-americano de Agricultura, Ed Schafer.
"Estamos convencidos dos benefícios que ela oferece aos países em desenvolvimento e aos pequenos agricultores", disse Schafer durante um evento realizado de forma paralela à cúpula, iniciada na terça-feira e prevista para durar até quinta.
O encontro debate formas de enfrentar o aumento do preço dos alimentos em um momento no qual as mudanças climáticas poderiam agravar ainda mais o problema.
Alguns grupos ambientalistas afirmam que os organismos geneticamente modificados (GMOs) ameaçam a biodiversidade. Já os consumidores europeus, em grande número, mostram-se receosos de ingerir produtos descritos por alguns como "Frankenfoods" (algo como "comidas Frankenstein").
Segundo Schafer, a biotecnologia, o que incluía os GMOs, poderia ajudar a produzir mais alimentos ao tornar as colheitas mais fartas e a produzir, dentro dos países em desenvolvimento, grãos resistentes a doenças e a pestes.
"A engenharia genética oferece soluções de longo prazo para alguns dos nossos maiores problemas agrícolas", afirmou o ministro filipino da Agricultura, Arthur Yap.
No entanto, Yap observou que essa alternativa não poderia ser vista como uma panacéia capaz de solucionar todos os problemas do setor.
Entre os progressos realizados nas Filipinas, nessa área, inclui-se a pesquisa com arroz e coco resistentes a doenças, disse.
"Estamos desenvolvendo um mamão resistente a vírus, híbridos de papaia com uma maior durabilidade e que devem estar nos mercados em 2009", afirmou.

Fonte:http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRB43274220080603

O subsecretário de Estado americano, John Negroponte, pediu aos países que eliminem as barreiras que dificultam o uso da biotecnologia e de outras inovações para aumentar a produção de alimentos.

"Devemos derrubar as barreiras políticas e comerciais que aumentam o preço dos alimentos que impedem o acesso à comida e a melhores tecnologias para produzir comida", afirmou.
"A longo prazo, acreditamos que a segurança alimentar será garantida pelos avanços da ciência e da tecnologia, e a criação de um mercado global eficiente tanto para os produtos agrícolas quanto para as tecnologias de produção de alimentos", continuou Negroponte.
"Ferramentas da biotecnologia podem ajudar a acelerar o desenvolvimento de colheitas com rendimentos mais altos, um valor nutricional mais alto, uma melhor resistência a parasitas e doenças, e uma resistência mais forte dos alimentos às mudanças climáticas", explicou.
Negroponte fez estas declarações durante a cerimônia na qual os ex-senadores americanos Robert Dole e George McGovern receberam o World Food Prize por seu papel em "incentivar o compromisso global pela alimentação escolar".

Fonte:http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI2948563-EI8147,00.html

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …