Pular para o conteúdo principal

COMO MELHORAR A DIGESTÃO E ASSIMILAÇÃO DE NUTRIENTES


NÃO É SÓ O QUE VOCÊ COME, MAS COMO VOCÊ COME QUE FAZ A DIFERENÇA. 

Como melhorar a digestão e assimilação de nutrientes?



Hoje quero compartilhar uma informação muito importante se o que você quer é uma melhor digestão e assimilação de nutrientes vindo dos alimentos naturais :)

Desde que eu adotei o frugivorismo/crudivorismo na minha vida e base/dieta diária, pude encontrar nos alimentos o seu verdadeiro sabor e um aprendizado incrível de como escolhê-los da melhor forma possível para ter uma digestão otimizada.

Isso porque para se consumir o alimento cru, sem temperos (na maioria das vezes) só mesmo sabendo escolher para conseguir sentir prazer e conseguir comer maiores quantidades :)

Um ótimo exemplo é tentar comer uma manga verde - é totalmente sem gosto, azeda, sua polpa é mais esbranquiçada e não tem cheiro nenhum. Como conseguir comer uma quantidade razoável dela nesse estado e ainda querer absorver seus nutrientes, que ainda não estão prontos para serem biodisponíveis?

Alimento de verdade, natural e bom para nós em todos os sentidos (nutrição, energia vital, sabor/prazer), são os alimentos orgânicos e locais, frescos e maduros.

Vou explicar um por um o porquê eles são melhores...

Alimentos Orgânicos e Locais


Muito básico, eles respeitam e seguem uma "programação genética" (como diria minha querida Conceição Trucom), respeitando seus ciclos e a estação de cada alimento, que quando apto para se dar por completo, "dispara seus mecanismos reprodutivos, aumentam suas raízes e caules, produzem mais folhagens, geram as flores e frutos."* E quando sincronizados com todo o ecossistema, ficam plenos em sua nutrição, vitalidade e desenvolvimento, o que faz com que o alimento amadureça no seu tempo certo e seja mais biodisponível para nós. E isso é nutrição pura!!! Além de não precisar de fertilizantes químicos e agrotóxicos, pois não é preciso "forçar" sua produção.

Se tiver dúvida de qual alimento está na época, é só ir  numa feira orgânica, pois eles só trabalham com alimentos da época.

Procurar ter a base da sua alimentação vinda de alimentos orgânicos, sazonais e locais é um grande investimento para sua saúde.

Alimentos Frescos


Os alimentos frescos são essenciais para nossa alimentação/nutrição/saúde porque tem mais energia vital, crescem mais próximos de nós, e normalmente estão mais tenros, macios e bem saborosos.

Não tem nada como colher ou comprar um alimento fresco e consumí-lo logo após! É tanto sabor, água, maciez... se consumir uma verdura fresquinha, você verá como ela se liquefaz na sua boca rapidamente, e isso é maravilhoso para a digestão e absorção de nutrientes.

Normalmente, as verduras (folhas em geral e ervas), legumes, raízes, sementes, castanhas e nozes deveriam ser consumidas o mais fresco possível! Pois quando muito maduras (no caso das verduras, legumes e raízes) tem maior concentração de amido e ficam mais duras, com fibras mais indigestas para nós. E isso contribui para uma digestão e assimilação precária dos alimentos.

Por isso a dica é: compre suas verduras frescas, lave-as, seque-as bem e armazene em sacos tipo zip locks bem fechados na parte mais baixa da geladeira, assim elas ficaram mais "frescas". Porém não deixe passar mais de 2-3 dias. (Se quiser dica passo a passo com vídeo de como fazer isso, veja meu post AQUI).

Legumes e Raízes devem ser comprados o mais fresco possível e guardados em sacos bem fechados dentro da geladeira também para não amadurecerem demais e manterem seu "frescor". Lembrando sempre para não demorar muito para consumir esses alimentos de qualquer forma.

Já as sementes/castanhas/nozes quando fresquinhas e cruas não estão rançosas, são bem mais adocicadas, contém mais água, e são mais macias para mastigação. Você sabia que a castanha do pará quando crua e fresca parece mais um coco seco, porém mais macio e bem adocicado? Não se parece nada com a cor e sabor das castanhas vendidas por aí que já estão assadas e rançosas...
Por isso é melhor comprá-las ainda na casca, para assegurar seu frescor e sabor. E melhor ainda se puder armazenar no frezzer (tanto ela na casca quanto aberta).

Já as frutas (vamos falar um pouco mais a frente) devem ser SEMPRE consumidas maduras e, claro, se você conseguir consumir frutas direto do pé maduras, elas estarão fresquinhas, cheias de energia vital e prontas para consumo! E isso quer dizer MUITA NUTRIÇÃO E BOA ABSORÇÃO DE NUTRIENTES. De qualquer forma, o mais importante é respeitar o tempo de maturação dos alimentos sempre que puder e consumir os alimentos da época.

Alimentos Maduros


Vamos para essa parte que é sempre boa de falar, pois é surpreendente! Digo isso, pois na minha pesquisa e prática com uma alimentação frugívora/crudívora como mencionei anteriormente, descobri a classificação dos alimentos, o que me fez saber melhor como consumí-los, principalmente se tratando de maturação. E isso é de uma extrema importância que você ainda não faz idéia!
Alimento quando verde machuca a gente. Você deve saber bem isso se já consumiu abacaxi verde (que pode dar áfitas), banana verde (que prende o intestino) etc., e acaba prejudicando a reputação dos alimentos naturais por pura falta de informação!

As frutas, como já falei, devem ser SEMPRE consumidas maduras. Porém, você realmente sabe quando uma fruta está madura?

Uma dica básica é: use todos os seus 5 sentidos! Sinta seu cheiro (que quando madura exala naturalmente), toque e veja se está mais macia, olhe sua cor (e veja se está mais amarela/dourada, ou bem vermelha, ou bem laranja), prove e veja se está realmente doce por completo, e algumas até você pode escutar para identificar sua maturação como abacaxi, melão, melancia etc. Dando uma batidinha, você verá se está mais oca ou firme. Quando mais firme, mais madura normalmente...

Frutas doces básicas para não se dar mal tem que ser escolhidas assim como mostro nas fotos abaixo:
Banana prata bem madura, e orgânica. Perceba que ela fica pretinha.

Manga palmer bem madura. Perceba o amarelo dourado por toda ela.



Agora vem a parte surpreendente! :) Alguns vegetais (que na verdade, botanicamente sua classificação seria de frutos não-doces) deveriam ser mais consumidos maduros do que muito verdes assim como as frutas doces.

E quais seriam eles?

Tomate, jiló, abobrinha, beringela, pepino, pimentão...só para citar alguns!

Todos eles deveriam ser deixados do lado de fora da geladeira para amadurecerem!!! E eles amadurecem igual as frutas doces. Ficam com sua pele mais enrugada, ficam mais macios, sua cor fica mais vibrante, e claro, seu sabor e aroma também! E o melhor! ficam mais biodisponíveis: melhor para digestão e assimilação de seus nutrientes!

Abaixo mostro algumas fotos desses alimentos no seu "momento certo" de maturação:
Pimentão amarelo orgânico bem maduro. Perceba que ele começa a fica mais enrugado.

Jiló amadurecendo.

Jiló madurinho. Perceba como ele fica mais enrugado e bem vermelho. Seu sabor fica mais adocicado.

Não é só comer frutas e vegetais. Tem que saber como consumí-los no seu tempo certo para a REAL nutrição. 


Então, comece a olhar melhor para os alimentos naturais, dê mais valor para sua maturação e/ou frescor, e sua procedência (orgânico de preferência). Sua DIGESTÃO E ASSIMILAÇÃO de nutrientes será MUITO melhor!!! Além de você ter mais prazer e sabor ao consumir alimentos naturais.

Espalhe essa informação por aí! E vamos juntos melhorar nossa qualidade de nutrição. :)


Beijos de luz, amor e saúde!

Malu


Referência da citação: * http://www.docelimao.com.br/site/desintoxicante/cultura-organica/992-alimento-maduro-fresco-e-integral.html

Fonte:http://alimentacaointeligente.blogspot.com.br/2014/09/como-melhorar-digestao-e-assimilacao-de.html

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …