Pular para o conteúdo principal

ESPINAFRE FAZ MAL À SAÚDE ?




Espinafre faz mal?


Muitas pessoas sempre me perguntam sobre o Espinafre e se ele tem realmente malefícios consumidos numa dieta saudável. Já foi muito divulgado por aí que ele tem muitos malefícios para a saúde. Mas, será mesmo?

Bom, pra responder a essa questão que foi ainda mais levantada depois que meu vídeo foi ao ar esta semana resolvi escrever este post aqui no Blog para tirar essa dúvida.

Se você ainda não sabe, eu publiquei mais um vídeo esta semana no meu canal do Youtube (da minha série de vídeos semanais) sobre "Como acordar com mais disposição e energia". Nele eu mostro quais são as minhas dicas e o que eu faço diariamente para acordar melhor e com saúde.



Ou assista o vídeo através deste link: https://www.youtube.com/watch?v=tjyi44rMArk 

Nele eu compartilho também uma receita de Vitamina Verde que adoro para mostrar como é prático, delicioso e saudável começar o dia tomando uma vitamina realmente vitaminada :) logo na primeira refeição. Porém, eu utilizo espinafre nela, e foi aí que muitas pessoas me escreveram pergunto sobre ele.

Vamos lá!

MITO OU VERDADE?

O espinafre é muito conhecido pelo seu alto teor de proteína e ferro, mas também pelo seu alto teor de ácido oxálico, que "pode vir a" causar pedras nos rins. Porém, o ácido oxálico consumido em uma dieta mais vegetariana (ou com menor consumo de alimentos de origem animal), rica em alimentos como frutas, verduras e vegetais (sendo assim, mais alcalinizante), não é tão prejudicial como dizem. Na verdade tem lá seus benefícios, como estimular o peristaltismo.

A questão é, todos os alimentos tem algum antinutricional, como é o caso do espinafre.
Você sabia que o tomate também tem ácido oxálico? E nem por isso dizem pra você ficar com medo dele. Todos os alimentos consumidos em excesso trazem algum malefício, e sabe por quê? Porque a natureza é perfeita e fez as estações do ano fornecerem para nós variedade de alimentos. Cada época tem sua prioridade de alimentos, e é nela que devemos focar. Isso nos ajuda a estar sempre variando e alternando os alimentos para não ter excesso.

O problema é que no mundo que vivemos hoje, temos praticamente o ano todo TODOS os mesmos alimentos. Ninguém fica variando, consomem a mesma coisa todo dia. E claro, numa alimentação desbalanceada, qualquer antinutriente fica mais poderoso, pois dentro do nosso corpo acontece uma sinergia - cada alimento ao ser consumido, digerido e assimilado passa por um processo de combinação entre si, e o nosso corpo faz com aquilo que sobra, o que ele tem que fazer. E se ele tiver que lidar com o excesso muito grande de algum nutriente junto de outros alimentos que nos exigem muito para a digestão e assimilação (como é o caso de muitos alimentos de origem animal), acabamos por ter muitas perdas e outras consequências nada legais.

Segundo Victoria Boutenko em seus estudos sobre esse tema, o grande problema de o ácido oxálico contribuir para a pedra nos rins está mais relacionado a quem tem uma dieta muito rica em proteína e consome poucos alimentos de origem vegetal; e que, de novo, não é só o espinafre o único alimento que contém ácido oxálico, e sim os grãos, os chás, os feijões, o café e outras verduras. Evitar as verduras, como o espinafre, devido a seu alto valor de ácido oxálico, não é recomendável. É melhor melhorar a dieta por inteiro, tornando-a mais alcalinizante, diminuindo o consumo de proteína e rotativizando os verdes diariamente para não haver excessos!

Mas, claro, vamos para a questão de pessoas que ainda mantém uma dieta rica em proteína animal, e que já tem vários problemas de saúde como pedra nos rins etc. Bom, nesse caso, é claro que saber sobre os alimentos que contém certos antinutrientes que podem prejudicar ainda mais seu problema de saúde é necessário para não continuar piorando a situação. O que essa pessoa deve fazer é começar a mudar drasticamente sua dieta alimentar. Começar diminuindo muito o  consumo de alimentos de origem animal e aumentando consideravelmente alimentos de origem vegetal que não contem tanto um antinutriente. Mas isso é só pra quem já chegou no excesso do excesso  já tem instalada uma doença ou complicação por isso. Se você não tem nada disso, continue comendo seu espinafre, tomate etc. em quantidades razoáveis sempre alternando e variando os alimentos ao longo do ano. E claro, preferindo dar mais ênfase numa alimentação mais à base de vegetais do que em alimentos de origem animal.
Simples assim.

Sem medo de consumir nossos queridos vegetais, siga sua vida leve, e com equilíbrio. Procure sempre quem vende os alimentos orgânicos, pois eles normalmente trabalham só com alimentos da época, e desta forma fica mais fácil você rotativizar os alimentos. E outra coisa boa, numa feira orgânica você consegue encontrar variedades dos mesmos alimentos, o que também nos ajuda a ter menos excesso de um tipo só.

Resumindo: 
Consuma orgânicos
Consuma os alimentos da época
Rotativize os alimentos durante a semana (se comeu espinafre hoje, só coma daqui a 2-3 dias)
Diminua seu consumo de alimentos de origem animal
Aumente seu consumo de frutas maduras e da época
Curta o melhor que cada alimento tem para te oferecer



Fonte:http://alimentacaointeligente.blogspot.com.br/2014/05/espinafre-faz-mal.html

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …