Pular para o conteúdo principal

ALIMENTO ORGÂNICO NO BRASIL É POUCO

Plantacao-organica-batatas.jpg

Alimento orgânico no Brasil é pouco

Relembrando e para quem ainda não sabe muito sobre o assunto, o alimento orgânico consiste principalmente na produção de alimentos de forma totalmente natural, sem o uso de qualquer tipo de adubo químico, fertilizantes artificiais ou agrotóxicos, usando sementes em sua forma original sem alteração genética.
Seguindo esta cartilha, com certeza estaremos promovendo qualidade de vida aos humanos e de quebra protegendo o meio ambiente.
Também chamada de agricultura biológica a agricultura orgânica vem crescendo de certo modo, satisfatório há alguns anos.
Porém ainda é muito pouco.
Estima-se que no Brasil, apenas 1% dos alimentos produzidos são orgânicos. Dentro de um mercado mundial que fatura cerca de U$50 bilhões, o Brasil não faz nem “cocegazinhas” com seus míseros U$150 milhões.
É preciso melhorar.

vegetais-organicos-brasil
Cerca de 6700 produtores em mais de 10 mil unidades produtivas representam o contingente produtivo brasileiro. Número este superior em 22% se comparados aos do ano passado, 2013 (dados da tv NBR em fevereiro de 2014).
Apesar disso esta quantidade não é suficiente para atender a demanda por este tipo saudável de alimento, que vem crescendo em proporções maiores do que sua produção.
Mediante isto o Brasil se vê obrigado a importar de outros continentes como América do Norte, do Sul e Oceania.
O que é uma “pedrinha no sapato do governo que não só dá continuidade como fomenta cada vez mais o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica brasileiro, que contem cerca de 125 iniciativas nesta direção, visando o aumento, claro, da capacidade produtiva em nossa “terrinha”.

Lojas-com-alimento-organico
A relação existente entre o que comemos e nossa saúde se torna cada vez mais evidente para a sociedade em geral. Não só a quantidade deste ou daquele alimento mas também a qualidade daquilo que estamos ingerindo, na maioria das vezes nos empurrado goela abaixo por oligopólios fabricantes dos “venenos” para agricultura que investem pesado na propaganda negativa sobre agricultura orgânica, uma vez que põe em risco o mercado que atuam.
Plantacao-organica-batatas.jpg
Para um país que até meados de 2011 era o maior importador de agrotóxicos do mundo, é mais do que urgente reverter este quadro. Se estas porcarias fossem boas ninguém precisaria de botas, luvas, máscaras e toda parafernália existente para manipular e aplicar estas “pestes”cidas.
E outra, quem nos garante que esta quantidade enorme de doentes com câncer no planeta (deve crescer 75% até 2030) não tenha boa parte de sua origem nestes hormônios e venenos que ingerimos em nosso dia a dia, muitas das vezes sem noção nenhuma do que estamos comendo?
Invisíveis durante muitos anos em nossos corpos, estes “elementos” um dia acabam aparecendo, talvez em forma de doenças que jamais serão curadas.


Por Tomé Ferreira,11-12-2014

Imagens: sxc.hu e commons.wikimedia.org

Fonte: http://vivoverde.com.br/alimento-organico-no-brasil-e-pouco/#sthash.M2yoWmlQ.dpuf

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …