Pular para o conteúdo principal

ALIMENTOS : QUE TIPOS DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO EXISTEM PARA ALZHEIMER ?


O tratamento para o mal de Alzheimer é feito de forma a controlar os sintomas e as complicações da doença. Veja o tratamento farmacológico, natural, fisioterapêutico e alternativo para a doença.

Tratamento farmacológico para Alzheimer

Consiste na ingestão de medicamentos a fim de evitar a progressão da doença, como:
  • Rivastigmina;
  • Donepezila;
  • Galantemina;
  • Memantina.
Estes medicamentos irão ajudar a controlar a perda da memória e os outros sintomas da doença e, quanto antes a terapia for instituída, melhor será o prognóstico.

Tratamento natural para Alzheimer

Para complementar o tratamento medicamentoso do Alzheimer, indica-se o tratamento natural feito à base de:
  • Alimentos ricos em vitamina C;
  • Alimentos risco em vitamina E;
  • Alimentos ricos em ômega 3;
  • Canela e Ginko biloba.
O consumo destes alimentos irá melhorar as defesas naturais do organismo e auxiliar no bom funcionamento cerebral. Indica-se ainda tomar diariamente 2 copos de suco de maçã acabado de fazer.

Tratamento fisioterapêutico para Alzheimer

O tratamento fisioterapêutico é importante para diminuir as limitações físicas que o Alzheimer pode trazer. O tratamento é individualizado e deve ser realizado, de preferência, na casa do indivíduo, no mínimo 2 vezes por semana.
A fisioterapia deverá ser direcionada para as reais necessidade do indivíduo e deve ser feita com exercícios de fácil compreensão e execução. O cuidador deverá ser orientado a ajudar o indivíduo a realizar os exercícios da fisioterapia diariamente para potencializar os resultados. A fisioterapia será particularmente útil para:
  • Prevenir a formação de escaras em indivíduos acamados;
  • Melhorar a circulação sanguínea e os movimentos peristálticos do intestino facilitando a eliminação das fezes.

Tratamento alternativo para Alzheimer

Alguns bons tratamentos alternativos que podem ser úteis durante o tratamento clínico do Alzheimer são:
  • Psicoterapia e
  • Terapia ocupacional.
Estes tratamentos são especialmente indicados quando o indivíduo ainda não está na fase final do Alzheimer.
Para que haja um bom tratamento para o Alzheimer, esses doentes devem estar sempre acompanhados de um cuidador que esteja atento às suas necessidades e lhes dê a medicação corretamente para evitar a progressão da doença.


Fisioterapia para Alzheimer



O tratamento fisioterapêutico para o mal de Alzheimer deve ser realizado diariamente ou no mínimo 2 vezes por semana, com o objetivo de melhorar a circulação sanguínea, facilitar os movimentos e de incentivar o indivíduo a realizar suas tarefas do dia a dia sozinho ou com o mínimo de ajuda possível.
A fisioterapia deverá ajudar o indivíduo a movimentar-se mais livremente e diminuir o tempo em que ele fica somente sentado ou deitado diminuindo a instalação de escaras e de infecções respiratórias.

Exercícios para Alzheimer

Os exercícios devem ser simples de serem realizados e de fácil compreensão, trazendo aumento da atividade intelectual e motora e também alguma satisfação ao portador do Alzheimer e aos seus cuidadores.
As explicações de como devem ser realizados os exercícios devem ser bem claras e recomenda-se não usar palavras diferentes para a mesma ação, de modo a facilitar o entendimento e a realização do exercício. E estes devem ser realizados em breves períodos de tempo, várias vezes ao dia, para evitar a exaustão e o desinteresse pela atividade.
Alguns bons exemplos de exercícios simples para o Alzheimer são:
  • Andar pela casa;
  • Colocar uma bola de plástico em cima da cabeça;
  • Treinar o escovar o dentes e pentear o cabelo;
  • Dançar;
  • Ficar num pé só e
  • Andar de lado.
Exercícios simples como estes são mais indicados para casos avançados da doença de Alzheimer. Os casos mais recentes podem beneficiar-se de exercícios em grupo com pesos e bolas, por exemplo.
É desaconselhado o uso de aparelhos pois estes indivíduos possuem alterações de sensibilidade que tornam o uso da eletroterapia e da termoterapia potencialmente perigosos. Alongamentos musculares e exercícios passivos são sempre bem-vindos.

Jogos para estimular o cérebro

Alguns exemplos de jogos para estimular o cérebro são as palavras cruzadas, sudoku e os jogo da memória. Estes jogos são indicados para pessoas de todas as idades e auxiliam a melhorar a memória e torná-la mais ágil.
Podem ser feitos em qualquer lugar, graças às revistinhas de jogos que se encontram à venda em todas as bancas de jornais, em casa ou na internet. Atualmente, existem centenas de sites que disponibilizam estes e outros jogos gratuitamente na internet.
É comprovado que pessoas que mantêm a mente mais ativa têm um menor risco de sofrer de doenças degenerativas e de perdas de memória. E uma boa maneira de conseguir ter a mente sempre ativa é através deste tipos de jogos.

Suco de maçã para o Mal de Alzheimer

O suco de maçã é um excelente remédio caseiro para prevenir e complementar o tratamento do Alzheimer.

Ingredientes:

  • 4 maçãs e
  • 1 L de água.

Modo de preparo:

Preparar este remédio caseiro é muito fácil, basta cortar as maçãs ao meio, retirar todas as sementes e adicioná-las no liquidificador juntamente com a água. Após bater bem, adoce à seu gosto e beba logo a seguir, antes do suco ficar escuro.
A maçã além de ser uma fruta deliciosa e muito popular, proporciona inúmeros benefícios a saúde, e beber o suco de maçã diariamente mantém os níveis de acetilcolina no cérebro dentro dos valores ideais diminuindo a progressão do Alzheimer.
Recomenda-se beber pelo menos 2 copos do suco de maçã diariamente para melhorar a memória e todo o funcionamento cerebral.

Canela trata Alzheimer

Uma publicação científica aponta que um extrato de canela possa ajudar no tratamento do Alzheimer. Segundo os investigadores, a canela é útil porque ela é capaz de inibir o acumulo de toxinas no cérebro e de dissolver as fibrilas que matam os neurônios cerebrais, diminuindo um dos sintomas do Alzheimer, que é perda progressiva da memória.
O estudo foi realizado em Israel com animais e, apesar dos bons resultados que alcançou, outras pesquisas científicas devem ser realizadas para testar o efeito do extrato da canela em seres humanos, para que então a indústria farmacêutica possa criar um medicamento utilizando a canela como princípio ativo.
Não se pode afirmar que o consumo de canela em pó ou em pau, de forma caseira, tenha o mesmo benefício no tratamento do Alzheimer e, por isso, quem sofre com esta doença deve continuar sendo tratado com os medicamentos receitados pelo médico.

Referência Bibliográfica

FRYDMAN-MAROM A; LEVIN A; FARFARA D; BENROMANO T; SCHERZER-ATTALI R; PELED S, VASSAR R; SEGAL D; GAZIT E; FRENKEL D and OVADIA M. Orally administradet cinnamom extract reduces B-Amoyloid oligomerization and corrects cognitive impairment in Alzheimer disease animals models. Acesso em Out. 2011.

Chá de baunilha para Mal de Alzheimer

O chá de baunilha é um excelente remédio caseiro para o mal de Alzheimer.

Ingredientes

  • 1 xícara de água,
  • 1 colher (sopa) de chá preto e
  • 1 colher (sopa) de essência de baunilha.

Modo de preparo

Basta ferver a água e acrescentar o chá preto, tampe o recipiente e deixe a bebida em infusão por aproximadamente 3 minutos. Posteriormente adicione a baunilha e adoce o chá à gosto. Beber pelo menos 2 vezes ao dia.
A baunilha é rica em vanilina, uma substância antioxidante que atua prevenindo o envelhecimento celular e doenças que afetam o funcionamento cerebral, como é o caso do mal de Alzheimer.
Este remédio caseiro também pode ser utilizado em casos de insônia e agitação, pois ajuda o indivíduo a ficar mais calmo e relaxa os seus músculos.

Remédio natural para Alzheimer

Um bom remédio natural para Alzheimer, é o suco de maçã com linhaça devido as suas propriedades medicinais.

Ingredientes

  • 1 limão
  • 2 colheres de sopa de semente de linhaça
  • 1 maçã

Modo de preparo

Triture a semente de linhaça no liquidificador até que ela vire pó.
Depois esprema um limão e misture o suco com o pó da semente, corte a maçã e misture com o suco e a semente. Beba em jejum ao acordar, 1 vez ao dia.
A linhaça é rica em ômega 6 e 9, a maçã serve para dar saciedade juntos estes ingrediente melhoram o funcionamento do sistema nervoso central. Já o limão por ser antioxidante impede a oxidação da linhaça e da maça. O suco de limão pode ser substituído por suco de laranja ou qualquer outra fruta cítrica.
Este remédio caseiro também é excelente para a prisão de ventre, que é mais comum em pessoas idosas.

Cura do Alzheimer

O Alzheimer é uma doença caracterizada pela perda da memória recente, do comprometimento motor e da cognição, ainda sem cura, cujo tratamento baseia-se na remissão dos sintomas. Entretanto pesquisas científicas apontam que a utilização células tronco embrionárias podem representar a cura do Alzheimer.
Os pesquisadores têm retirado células tronco embrionárias do cordão umbilical de bebês recém-nascidos e implantado no cérebro de ratos portadores de Alzheimer e os resultados têm sido positivos, mas ainda é preciso testar a técnica em humanos para garantir a eficácia e a segurança do tratamento.
As células tronco embrionárias são um grupo de células que podem transformar-se em diversos tecidos do corpo, inclusive em neurônios e a esperança é de que quando implantadas no cérebro destes pacientes, elas combatam o excesso da proteína beta-amilóide no cérebro representando a cura do Alzheimer.
Referência Bibliográfica
Fonte:http://www.tuasaude.com/cura-do-alzheimer/

Estimulantes cerebrais

Os estimulantes cerebrais são utilizados para melhorar as capacidades do cérebro como a concentração e facilitar a memorização.
Alguns dos remédios utilizados como estimulantes cerebrais têm sido:
  • Modafinil, um remédio para o tratamento de narcolepsia mas também é muito utilizado por estudantes para aliviar cansaço das noites de estudos para exames;
  • Ritalina, um remédio usado para combater o déficit de atenção em crianças, Alzheimer ou depressão/demência em idosos.
Estes remédios são utilizados como estimulantes cerebrais principalmente por estudantes e empresários mas não devem ser ingeridos sem o aconselhamento médico pois podem provocar dores de cabeça, insônia, ansiedade, nervosismo e tontura, por exemplo.

Estimulantes cerebrais naturais

Os estimulantes cerebrais naturais são principalmente alimentos como chocolate, café e bebidas com cafeína, coca-cola, guaraná em pó, bebidas energéticas e pimenta, pois têm propriedades que estimulam o sistema nervoso central.
Existem também chás estimulantes cerebrais como o chá verde, chá mate ou chá preto, pois têm cafeína que aumenta a atividade cerebral.
Outros estimulantes cerebrais naturais são os suplementos nutricionais como:
  • Ginkgo Biloba - é um componente de uma planta e facilita a circulação sanguínea no cérebro.
  • Arcalion - é um suplemento de vitaminas B1 indicado para problemas de fraqueza.
Apesar desses estimulantes cerebrais serem naturais só devem ser tomados com orientação do médico.

Suco de brócolis para estimular o cérebro

O Suco de brócolis para estimular o cérebro é um excelente remédio caseiro, pois o brócolis é rico em magnésio, que é vital para o funcionamento do sistema nervoso e do cérebro.

Receita do Suco de brócolis para estimular o cérebro

Ingredientes

  • 1 pepino;
  • 4 ramos de brócolis;
  • 1 cenoura.

Modo de preparo

Preparar este remédio caseiro é muito fácil, basta descascar o pepino e a cenoura e cortá-los em pequenos pedaços. Posteriormente, todos os ingredientes devem ser adicionados na centrífuga para que sejam reduzidos a suco. Após esse procedimento, o suco está pronto para ser bebido.
Esse remédio caseiro é ideal para os indivíduos que trabalham muito e para estudantes. O suco ajuda a ter uma melhor concentração e maior disposição para as tarefas mentais. Aumente o consumo diário de brócolis e tenha um cérebro mais ativo.

Fazer exercícios para o cérebro é importante para evitar a perda de neurônios e consequentemente evitar distrações, melhorar a memória e favorecer o aprendizado.
Alguns exemplos de exercícios para o cérebro são:
  • Tomar banho de olhos fechados: Não abrir os olhos nem para abrir a torneira, nem para pegar o shampoo na prateleira. Fazer todo o ritual do banho de olhos bem fechados. Este exercício serve para potencializar a área do cérebro responsável pelas sensações táteis.
  • Decorar a lista de compras do supermercado: Pode-se pensar nas diversas sessões do mercado ou fazer a lista mentalmente com base naquilo que é preciso para o café da manhã, almoço ou jantar. Este é um exercício de memória para o cérebro muito bom, pois ele ajuda a desenvolver e a ajustar a memória;
  • Escovar os dentes com a mão esquerda: Deverá usar músculos que são pouco utilizados, criando novas conexões cerebrais. Este exercício serve para deixar o indivíduo mais ágil e mais inteligente;
  • Seguir caminhos diferentes para ir para casa, para o trabalho ou para a escola: Assim o cérebro terá que memorizar novas paisagens, sons e cheiros. Este exercício serve para ativar diversas áreas do cérebro ao mesmo tempo favorecendo todas as conexões cerebrais.
Outros jogos para o cérebro são os de ilusão de ótica, quebra cabeça, sudoku, passatempo e alguns tipos de jogos de videogame.
Estes exercícios para treinar o cérebro fazem os neurônios serem reativados e favorecem as conexões cerebrais mantendo o cérebro ativo por mais tempo, resultando num rejuvenescimento cerebral.
Assim, estes exercícios para o cérebro de idosos são fundamentais, pois o cérebro de um indivíduo de 65 anos pode funcionar tão bem quanto o cérebro de um indivíduo de 45 anos, desde que estes exercícios de ginástica para o cérebro sejam realizados diariamente.

7 dicas para melhorar a capacidade do seu cérebro



Exercício para a mente

Fazer diariamente algum exercício para a mente ajuda a manter o cérebro ágil e evita a perda da memória. Esta técnica é chamada cientificamente deneuroterapia,  é simples, mas muito eficaz.
Um bom exercício para a mente é folhear uma revista de cabeça para baixo. Esta é uma das formas de manter o cérebro ativo e descansado.
Isso porque ver as imagens ao contrário, ler os títulos ou mesmo números com a revista ao contrário exige que o cérebro se esforce por identificar códigos que na verdade ele já conhece, e isso de acordo com os psicólogos, é um excelente exercício para a mente.
Existem várias formas de exercitar a mente e inclusive jogos específicos para adultos. Este tipo de atividade mental não tem relação com a inteligência do indivíduo, mas sim com a agilidade do seu cérebro.
Qualquer um pode ficar com o cérebro cansado durante um período estressante da vida ou mesmo por fazer sempre as mesmas coisas, por mais simples ou complexas que elas sejam.
E fazer este tipo de ginástica para o cérebro vai ajudar a manter as conexões cerebrais saudáveis e pode inclusive rejuvenescer o cérebro em mais de 10 anos.

Neuroterapia

A neuroterapia é uma técnica que pode fazer o cérebro rejuvenescer mais de 10 anos. A técnica consiste em realizar um tipo de ginástica para o cérebro, como por exemplo fazer um jogo de caça palavras.
Este tipo de exercício permite que novas conexões cerebrais sejam estabelecidas e faz com que o indivíduo tenha mais concentração, memória e agilidade no pensar e no agir.
Esta técnica pode ser utilizada por todos, em qualquer idade, mas é especialmente indicada para indivíduos estressados, esquecidos, com falta de atenção, em caso de ansiedade, depressão e em caso de enxaquecas persistentes.
É muito útil ainda em fases estressantes como no pré vestibular e na terceira idade, quando há uma perda significativa de neurônios. Os exercícios para o cérebro melhora o seu funcionamento e capacita-o para ficar ainda melhor, sendo eficaz em qualquer idade.

Exercício físico para ficar mais inteligente

Exercício físico para ficar mais inteligente é uma forma cientificamente comprovada para ficar com a mente em forma. O tipo de exercícios para construir um cérebro melhor e mais esperto são as atividades aeróbicas, como correr ou nadar, embora apenas andar a pé pode fazer melhorar a capacidade cerebral de aprendizagem e memória, porque melhora a irrigação sanguínea e de oxigeno e nutrientes.
Fazer atividade física é um excelente exercício para o cérebro. Ler, fazer contas, jogos de lógica, montar quebra-cabeças ou fazer palavras cruzadas são formas de fazer com que o cérebro melhore, mas atividade física é uma forma muito boa de colocar o cérebro em forma e ficar mais esperto.
Pode-se afirmar que o exercício físico melhora a performance cerebral porque por volta dos 25 anos a região do cérebro responsável pela capacidade de aprendizagem e armazenamento da memória, chamada hipocampo, começa a perder cerca de 1% de volume por ano, e embora seja natural que com o envelhecimento o cérebro perca gradativamente alguma capacidade de memória e aprendizagem, a verdade é que assim como o tecido muscular do resto do corpo, a atividade física também pode diminuir e até reverter a decadência ou envelhecimento físico do cérebro.

Alimentação para o Cérebro

A alimentação para o cérebro tem que ser rica em peixe, sementes e frutas secas porque estes alimentos têm ômega 3, que é uma gordura essencial para o bom funcionamento do cérebro.
Os alimentos bons para o cérebro são:
  • frutas e legumes porque são ricos em antioxidantes que protegem as células do cérebro;
  • atum, sardinha e salmão, que são os peixes mais ricos em ômega 3;
  • sementes de abóbora, amêndoas e avelãs que têm magnésio, que é um mineral que aumenta a capacidade de aprendizagem e de memória. Por isso, se pode dizer que as sementes e frutas secas são alimentos que são bons para a memória;
  • café e bebidas com cafeína que estimulam o cérebro e, por isso, o ajudam a estar mais alerta.
Além desses alimentos é importante para o bom funcionamento do cérebro não passar muitas horas sem comer e evitar bebidas alcoólicas, que são tóxicas para o cérebro.

Alimentos para Melhorar a Memória

Os alimentos para melhorar a memória são peixe, frutas secas e sementes porque têm omega 3, que é o principal componente das células do cérebro facilitando a comunicação entre as células e melhorando a memória assim como frutas, especialmente as frutas cítricas, e legumes ricos em antioxidantes, que protegem as células evitando o esquecimento e facilitando a memorização.
Além disso, estar atento no momento da memorização também é essencial e os alimentos estimulantes que aumentem a concentração, como café ou chocolate meio amargo, podem ser úteis para facilitar a memorização. Uma xícara de café pela manhã e um quadradinho de chocolate meio amargo após e o almoço e jantar são suficientes.

Alguns alimentos para melhorar a memória podem ser:
  • Salmão - como é rico em omega 3, ajuda a melhorar o desempenho e o funcionamento do cérebro para gravar informações.
  • Nozes - além de omega 3, têm vitamina E que, por ser antioxidante, diminui o envelhecimento das células do cérebro evitando o esquecimento.
  • Ovo - contém vitamina B12, que ajuda na formação dos componentes das células do cérebro fazendo com que funcionem corretamente. Além disso, a gema do ovo tem acetil-colina, que é importante para as funções de memorização do cérebro.
  • Leite - tem triptofano, que é um aminoácido que melhora o desempenho do cérebro e também ajuda a ter um sono mais tranquilo, fundamental para se armazenar a informação.
  • Gérmen de trigo - rico em vitamina B6, que ajuda a regular a transmissão da informação entre as células do cérebro.
  • Tomate - além de licopeno, que é antioxidante, tem fisetina, que é uma substância que melhora o funcionamento do cérebro e reduz o esquecimento.
Para que esses alimentos melhorem a memória é necessário comer 1 desses alimentos todos os dias a cada refeição como por exemplo leite no café da manhã, salada com tomate, nozes e ovo ao almoço, suco de frutas cítricas com gérmen de trigo no lanche e salmão ao jantar. Se após 3 meses a enriquecer a alimentação com esses alimentos a memória não melhorar é importante consultar o médico.

Alimentos ricos em ômega 3

Os alimentos ricos em ômega 3 são excelentes para o bom funcionamento do cérebro e por isso podem ser usado para melhorar a memória, sendo favorável aos estudos e ao trabalho. No entanto, estes alimentos também podem ser utilizados como complemento terapêutico da depressão e até no tratamento de inflamações crônicas, como tendinites.
O ômega 3 é facilmente encontrado nos peixes, mas a sua maior concentração está na pele dos peixes e, por isso, esta não deve ser retirada. Para garantir a presença do ômega 3 é importante que o alimento não seja confeccionado em altas temperaturas, nem seja frito.

Benefícios do Ômega 3

Dentre os benefícios do omega 3 podemos citar:
  • Diminuir o desconforto da TPM;
  • Favorecer a memória;
  • Fortalecer o cérebro;
  • Combater a depressão;
  • Combater doenças inflamatórias;
  • Diminuir o risco de doenças cardiovasculares;
  • Diminuir o colesterol;
  • Melhorar a capacidade de aprendizagem das crianças;
  • Melhorar o rendimentos dos atletas de alta competição;
  • Auxiliar no combate à osteoporose, por aumentar a absorção do cálcio;
  • Diminuir as severidades das crises de asma;
  • Ajudar no combate à diabetes.
O ômega 3 é subdivido em duas partes, uma de cadeia longa e outra de cadeia curta, sendo que o mais desejado para o consumo humano, pelo seu potencial no organismo, é o ômega 3 de cadeia longa e este só é encontrado nos peixes de águas profundas, como os citados acima.

Tabela dos alimentos ricos em ômega 3

A seguinte tabela contém alguns exemplos de alimentos ricos em ômega 3 com as respetiva quantidade.
Alimento PorçãoQuantidade em ômega 3
Sardinha 100 g3,3 g
Arenque100 g1,6 g
Salmão100 g1,4 g
Atum100 g0,5 g
Sementes de chia28 g5,06 g
Sementes de linhaça20 g1,6 g
Nozes28 g2,6 g
A dose diária recomendada de ômega 3 é de 250 mg para adultos; 100 mg para crianças e de 450 mg na gravidez. Consumir peixe de 3 a 4 vezes por semana já é o suficiente para suprir as necessidades semanais de ômega 3.
Qualquer alimento pode ser enriquecido com ômega 3 industrialmente. Atualmente, é muito fácil encontrar manteiga, leite e ovos enriquecidos com ômega 3, sendo esta uma boa forma de consumir este tipo de gordura. Contudo, as indústrias alimentícias não colocam a informação no rótulo do produto, esclarecendo se o ômega 3 incorporado no alimento é de cadeia longa ou curta, e, na maior parte das vezes, é o ômega 3 de cadeia curta que predomina nestes alimentos enriquecidos. Isto não seria um problema, se estes alimentos enriquecidos com ômegas 3 não possuíssem altas concentrações de ômega 6, que anulam os seus benefícios, e portanto, não devem ser a primeira escolha do consumidor.
Quem tiver dificuldade em encontrar os peixes ricos em ômega 3 ou ser vegetariano, pode recorrer a suplementos de ômega 3 puro, diariamente, mas sempre sob orientação do nutricionista ou nutrólogo.

Magnésio melhora o funcionamento do cérebro

O magnésio melhora o funcionamento do cérebro porque participa na transmissão de impulsos nervosos aumentando a capacidade de memória e de aprendizagem.
Alguns alimentos com magnésio são sementes de abóbora, amêndoas, avelãs e castanha-do-pará, por exemplo.
O suplemento de magnésio é um ótimo tônico físico e mental, podendo ser encontrado nas lojas de produtos naturais e farmácias em diversas formas e associações com outros minerais e vitaminas.
Para manter uma vida saudável e um bom funcionamento cerebral se aconselha a ingestão de 400 mg de magnésio diariamente, preferencialmente através da alimentação.
A suplementação com magnésio ou outros tônicos para o cérebro devem ser orientadas por um médico.

O que tomar para o cérebro

Saber o que tomar para o cérebro cansado pode ser útil para melhorar a memória e a agilidade mental. Alguns exemplos de suplementos que podem ajudar a melhorar o funcionamento do cérebro e combater o cansaço mental são:
  • Memorium ou Memoriol B6 que contêm vitamina E, C e do complexo B, como vitamina B12, B6, magnésio e ácido fólico, entre outras substâncias;
  • Giseng, em cápsulas, que reforça a memória e diminui a fadiga cerebral;
  • Gingko biloba, concentrada em xarope ou cápsulas,que melhora a memória e a circulação sanguínea;
  • Rhodiola, em cápsulas, uma planta que elimina a fadiga e combate alterações de humor;
  • Virilon​​ rico em vitaminas do complexo B e catuaba;
  • ​Pharmaton multivitamínico com ginseng, e minerais.
​​Estes suplementos só devem ser utilizados sob orientação médica porque o excesso de magnésio ou vitaminas no corpo pode causar enjôo e dor de cabeça.
O consumo de alimentos ricos em ômega 3, assim como o uso de suplementos, como óleo de peixe, também é bom para o cérebro, melhorando o desempenho intelectual e a saúde das células do cérebro, aumentando a quantidade de oxigênio e de nutrientes que chegam nos neurônios.

Alimentos ricos em Magnésio

Os alimentos ricos em magnésio são principalmente sementes, como as sementes de abóbora ou as sementes de girassol, frutas secas como amêndoa e vegetais, como a acelga.
O magnésio é um mineral essencial utilizado, principalmente, na síntese de proteínas e no transporte de energia, facilitando a transmissão dos impulsos nervosos e regularizando as contrações musculares. 

Lista de alimentos ricos em magnésio

O magnésio está distribuído nas fontes alimentares vegetais e animais. Alguns exemplos de alimentos e sua quantidade de magnésio estão na tabela.
AlimentosPesoMagnésio
Sementes de abóbora57 g303 mg
Amêndoas78 g238 mg
Avelã68 g192 mg
Castanha-do-pará70 g166 mg
Tofu124 g128 mg
Amendoim72 g125 mg
Sementes de girassol68 g82 mg
Acelga cozida88 g75 mg
Alcachofra120 g72 mg
Espinafre cozido95 g66 mg
Feijão preto cozido86 g60 mg
Aveia cozida234 g56 mg
Beterraba fresca cozida72 g49 mg
Quiabo cozido92 g46 mg
Gérmen de trigo14 g45 mg
Iogurte245 g43 mg
Arroz integral98 g42 mg
Abacate100 g39 mg
Ameixa85 g38 mg
Banana118 g34 mg
Leite desnatado245 g28 mg
Suco de laranja242 g27 mg
Um adulto saudável necessita de uma quantidade entre 310 mg a 420 mg de magnésio por dia para manter uma vida saudável e um bom funcionamento cerebral. Para saber mais sobre o magnésio e o cérebro 

Magnésio

O magnésio é um mineral encontrado nos alimentos com várias funções importantes no organismo, como a contração muscular.
É recomendada a ingestão de 320 a 420 mg de magnésio diariamente o que é facilmente alcançado e mantido com uma alimentação nutritiva. Porém, existem suplementos de magnésio que podem ser aconselhados pelo médico, ou nutricionista, e, geralmente, se encontram na forma de magnésio quelato e magnésio dimalato.

Alimentos ricos em magnésio

Os alimentos ricos em magnésio são principalmente sementes, frutas secas e vegetais. Alguns exemplos são:
  • Sementes de abóbora e girassol;
  • Amêndoas, avelã, castanha-do-pará, caju, amendoim;
  • Espinafre, beterraba, quiabo;
  • Iogurte, leite.
Além desses alimentos alguns cereais também são ricos em magnésio como a aveia, por exemplo. Para saber mais sobre alimentos ricos em magnésio. 

Para que serve o magnésio

O magnésio serve para:
  • Melhorar o desempenho físico, porque é importante para a contração muscular;
  • Prevenir a osteoporose, porque ajuda a produzir hormônios que aumentam a formação do osso;
  • Ajudar a controlar a diabetes, porque regula o transporte do açúcar;
  • Diminuir o risco de doença coronária, pois pode baixar a acumulação de placas de gordura na parede das artérias.
O magnésio também é importante na gravidez para evitar as contrações uterinas antes das 37 semanas de gestação, por isso, em algumas situações o obstetra poderá aconselhar a suplementação em magnésio. 

Falta de magnésio no organismo


A falta de magnésio no organismo pode trazer sintomas desagradáveis para o indivíduo, tais como:
  • Alterações do sistema nervoso, como depressão, tremores e insônia;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Osteoporose;
  • Pressão alta;
  • Diabetes mellitus;
  • Tensão pré menstrual - TPM;
  • Insônia;
  • Cãibras;
  • Falta de apetite;
  • Sonolência;
  • Falta de memória.
Os remédios que podem provocar uma baixa concentração de magnésio no sangue são: ciclosserina, furosemina, tiazidas, hidroclorotiazidas, tetraciclinas e contraceptivos de uso oral.

Quando devo tomar magnésio?

Recomenda-se a suplementação com magnésio quando os valores de magnésio no sangue ficam inferiores a 1mEq por litro de sangue, em caso de contrações uterinas precoces durante a gravidez e em caso de vômitos ou diarreias, pois perde-se muito magnésio desta forma.
É importante ressaltar que, caso haja a suplementação de magnésio durante a gravidez, ela deve cessar por volta da 35º semana de gestação, para que o útero consiga contrair-se corretamente e assim o bebê nascer.
A necessidade de suplementação com magnésio é rara, pois uma boa alimentação fornece o magnésio necessário ao organismo. A suplementação em magnésio deve ser feita com acompanhamento médico ou de um nutricionista, pois o magnésio em excesso pode provocar sintomas como enjoos, vômito e dor de cabeça.

6 Dicas para Prevenção do Alzheimer

O Alzheimer é uma doença genética que passa de pais para filhos, mas que pode não se desenvolver em todos os pacientes. Para fazer a prevenção do Alzheimer, especialmente em casos de histórico da doença na família, existem 6 cuidados que ajudam a atrasar o surgimento da doença:

1. Estimular o cérebro

As atividades que estimulam o cérebro ajudam a reduzir o risco de desenvolver Alzheimer porque mantêm o cérebro ativo. Assim, deve-se guardar 15 minutos por dia para fazer atividades como:
  • Aprender algo novo, como falar uma nova língua ou tocar um instrumento;
  • Treinar a memória, memorizando a lista de compras, por exemplo;
  • Fazer jogos de estratégia, puzzles ou palavras cruzadas.
Outra atividade que estimula o cérebro é ler livros, revistas ou jornais, pois além da leitura o cérebro também retém informações, treinando várias funções.

2. Fazer exercícios regularmente

Fazer exercício físico regular pode diminuir até 50% as chances de desenvolver Alzheimer e, por isso, é importante fazer 30 minutos de atividade física 3 a 5 vezes por semana.
Algumas atividades físicas recomendadas são jogar tênis, praticar natação, fazer ciclismo, dançar ou praticar jogos de equipe, por exemplo. Além disso, pode-se introduzir o exercício físico em vários momentos do dia, como subir escadas em vez de ir de elevador, por exemplo.

3. Adotar uma dieta mediterrânea

Fazer uma dieta mediterrânea rica em vegetais, peixes e frutas ajuda a nutrir corretamente o cérebro, impedindo problemas graves, como o Alzheimer ou demência. Algumas dicas de alimentação são:
  • Fazer 4 a 6 pequenas refeições por dia, ajudando a manter os níveis de açúcar estáveis;
  • Comer peixe rico em ômega 3, como salmão, atum, truta e sardinhas;
  • Comer alimentos ricos em selênio, como castanha-do-pará, ovo ou trigo;
  • Ingerir todos os dias vegetais com folhas verdes;
  • Evitar alimentos ricos em gordura, como embutidos, produtos industrializados e salgadinhos.
Além de prevenir o Alzheimer, a dieta mediterrânea equilibrada também ajuda a prevenir problemas cardíacos, como infarto ou insuficiência cardíaca.

4. Beber 1 taça de vinho tinto por dia

O vinho tinto possui antioxidantes que ajudam a proteger os neurônios de produtos tóxicos, evitando lesões no cérebro. Desta forma, é possível manter o cérebro saudável e ativo, evitando o desenvolvimento de Alzheimer.

5. Dormir 8 horas por noite

Dormir pelo menos 8 horas por noite ajuda a regular o funcionamento do cérebro, aumentando a capacidade para pensar, guardar informação e resolver problemas, prevenindo o surgimento de demências.

6. Manter a pressão arterial controlada

A pressão arterial alta está relacionada com o surgimento precoce da Doença de Alzheimer e demência. Assim, pacientes com hipertensão devem seguir as indicações do clínico geral e fazer, pelo menos, 2 consultas por ano para avaliar a pressão arterial.
Ao adotar este estilo de vida, o indivíduo apresenta menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares e estará estimulando a função cerebral, tendo um menor risco de desenvolver demências, inclusive o Alzheimer.
Fonte:http://www.tuasaude.com/6-dicas-prevencao-do-alzheimer/

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

TIPOS DE SAIS USADOS NA CULINÁRIA E SUAS PROPRIEDADES

Tipos de Sais e suas Diferenças
Nós sabemos que o sal é um nutriente obrigatório na dieta de qualquer pessoa, todos precisam de sal para viver, mas é preciso muito cuidado no consumo do sal. O cloreto de sódio é responsável por males perigosos como hipertensão e doenças cardiovasculares. Existem alguns tipos de sal e acredite, muitos podem substituir o sal de mesa refinado, o vilão desta história toda! Saiba das diferenças. Sal refinado ou de mesa: É o mais comum e o mais usado no preparo de alimentos. É dissolvido e recristalizado a temperatura e pressão controladas em instalações industriais. De acordo com as leis brasileiras, o sal de cozinha deve ser acrescido de iodo para se evitar o bócio. Light: o sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido, já que este mineral adere à parede das artérias, contribuindo para elevar a pressão sanguínea. O sal light possui menos da metade de sódio encontrada no sal branco refinado. No entanto, o sabor é um pouco amargo. Flor de …