Pular para o conteúdo principal

RECEITAS DE FELICIDADE : ALIMENTOS QUE GERAM BEM ESTAR E ENDORFINA

Penne com cottage, rúcula e amêndoas: o queijo contém triptofano, as folhas verdes garantem o ácido fólico e as oleaginosas são ricas em antioxidantes. Tecido Spazio Donatelli, bowl Stella Ferraz (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)

10/08/2016 - 07H28 - Texto Daniel Navas | Fotos Elisa Correa | Realização Cláudia Pixu | Produção Camile Comandini

Receitas de felicidade

Aposte em ingredientes que aumentam a sensação de bem-estar para um cardápio cheio de sabor e bom humor

Você dá uma garfada e lá vem aquela sensação boa – pode ser por causa de um sabor que remete a memórias felizes ou simplesmente porque a comida está gostosa demais. Mas a explicação também pode estar na ciência da nutrição. “Certos alimentos estimulam a fabricação de endorfina e serotonina. A primeira proporciona sensação de bem-estar e euforia, além de ação analgésica. Já a segunda regula o sono, o humor e até a saciedade”, explica Alessandra Luglio, nutricionista da clínica P4B, em São Paulo.
Como felicidade nunca é demais, resolvemos juntar vários desses alimentos num cardápio. Quem ficou com a missão foi a nutricionista e consultora Maria Cecilia Corsi, da delicatessen Freshie. Ela incluiu nas receitas ingredientes altamente nutritivos, como quinua e chia, e outros que dão um chega para lá no baixo-astral, como banana, pimenta e derivados de leite (veja uma relação desses e outros ingredientes na pág. 54). Falando em leite, não esquecemos dos intolerantes à lactose, e pedimos para a culinarista Tatu Damberg elaborar uma sobremesa especialmente para eles. O quesito gostosura não foi deixado de lado: “Senão ,mesmo com benefícios, o prato fica sem graça”, diz Maria Cecília. O resultado você vê a seguir: seis receitas para comer sem medo de ser feliz.
Nutritivos e saborosos: hambúrguer de quinua com champignon e farofa de castanha-do-Brasil, Louças Stella Ferraz, jarras Ella Arts (azul) e D. Filipa (de vidro), copo com vime Divino Espaço, tecidos Spazio Donatelli (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)
Pargo (peixe rico em ômega-3) com banana-da-terra grelhada e cúrcuma. Louças Stella Ferraz, jarras Ella Arts (azul) e D. Filipa (de vidro), copo com vime Divino Espaço, tecidos Spazio Donatelli (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)
Surpreendente, o sagu de quinua e chia criado por Maria Cecilia Corsi, da Freshie, tem frutas vermelhas (ricas em antioxidantes) e nozes. Tecido Spazio Donatelli, colheres Tok & Stok (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)
Pão de mel com calda de pimenta dedo-de-moça, receita de Maria Cecilia Corsi, da Freshie: o cacau contribui para a sensação de bem-estar e a capsaicina da pimenta ajuda a aumentar os níveis de endorfina. Prato e bowl Ella Arts, tecido de renda D. Filipa (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)
Malabie feito com leite sem lactose, da culinarista Tatu Damberg: benefícios do triptofano sem problemas na digestão para os intolerantes. De origem libanesa, o doce leva mel e pistache na finalização (Foto: Elisa Correa/Editora Globo)

Postagens mais visitadas deste blog

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

O QUE SÃO BIOFLAVONÓIDES ?

São pigmentos vegetais hidrossolúveis, que dão cor às cascas, caules, flores, folhas, frutos, raízes e sementes das plantas, cujas variantes catalogadas já somam mais de 1.200, dividas em inúmeros subgrupos – flavonas, flavonóides, flavononas, isoflavonas etc.      Os bioflavonóides foram descobertos pelo Prêmio Nobel Albert Szent-Gyorgyi durante o processo de tentativa de isolar a vitamina C. A primeira propriedade por ele observada foi a ação protetora que exerciam sobre a capilaridade ao interromper o sangramento das gengivas. Estudos subseqüentes mostraram, no entanto, que os bioflavonóides não respondiam às definições das vitaminas, assim como não era possível identificar sintomas típicos para sua deficiência – razões alegadas pelo FDA, em 1968, para declará-los terapeuticamente ineficientes e proibir a sua prescrição médica. Esses argumentos, porém, não foram suficientes para interromper as pesquisas, que logo constataram a interdependência dos bioflavonóides com a vitamina C – …