Pular para o conteúdo principal

DESCUBRA O QUE OS ÓLEOS ESSENCIAIS PODEM FAZER PARA O SEU CORPO E SUA SAÚDE

10 óleos essenciais bons para o corpo e para a saúde (Foto: Thinkstock)

10 óleos essenciais bons para o corpo e para a saúde (Foto: Thinkstock)

10 óleos essenciais bons para o corpo e para a saúde

Além de hidratar a pele, alguns combatem a dor de cabeça e ajudam na concentração

Com o friozinho do inverno, os óleos são cada vez mais usados para cuidar da pele e deixá-la macia e hidratada. Além de ter vários benefícios para a beleza, alguns aromas têm propriedades funcionais, cuidando também da saúde. Conversamos com a especialista em desenvolvimento de aromas Nathalia Carravetta, da L’eponge, que nos apresentou 10 óleos essenciais com efeitos funcionais. Já para o banho!

1- Bergamota: topicamente, ajuda na melhora de acnes. Seu aroma controla o apetite e combate a depressão.

2- Eucalipto: promove a limpeza das vias respiratórias, atuando na melhora de problemas como asma, bronquite, entre outros.
3- Amêndoa: tem poder hidratante e emoliente. Seu aroma estimula o sistema digestivo.
4- Aloe Vera: além de auxiliar na eliminação de toxinas, é calmante e auxilia no combate ao estresse.
5- Gerânio: muito usado em drenagens linfáticas devido ao efeito tônico, o óleo também estimula o sistema linfático.
6- Menta: refrescante e tônico, seu aroma funciona como analgésico, principalmente contra dores de cabeça.
7- Alecrim: além de atuar na melhora da circulação sanguínea, ajudando no combate à celulite e flacidez, estimula a concentração e a memória.
8- Lavanda: muito usado em cremes para limpeza de pele, o aroma melhora a insônia, o cansaço e o estresse.

9- Canela: o óleo gera um efeito muscular favorável, por isso é muito utilizado em massagens. Ele também tem propriedades antissépticas.
10- Hortelã: muito usado para efeitos relaxantes. O aroma também atua no sistema digestivo e combate dores de cabeça e dificuldades respiratórias.
Os óleos naturais são aliados do cabelo saudável (Foto: Thinkstock)

Os óleos naturais são aliados do cabelo saudável (Foto: Thinkstock)

Óleos naturais: 8 tipos que você precisa conhecer para ficar com os cabelos incríveis

Os óleos naturais são uma fonte perfeita para lidar com os principais problemas capilares: de caspa à falta de brilho, de quedas à oleosidade excessiva.


Cabelos que parecem sem vida, estão enfraquecidos e não crescem podem encontrar o melhor remédio nos óleos naturais. A natureza oferece uma infinidade de opções que vão muito além do óleo de coco para dar força e vitalidade para os fios.

“A vantagem de usar óleos naturais no cabelo é que eles contêm prioridades naturais e isso ajuda a reconstruir os cabelos danificados e a nutrir naturalmente os fios, sem química”, explica o terapeuta capilar Paulo Mazanandê, do Salón Cabelo e Arte, do Rio de Janeiro.
Quem está com os fios fracos e sem vida, por exemplo, pode apostar nos óleos de árgan (o queridinho do momento) e na geleia real. “Por terem alta ação antioxidante e riqueza de nutrientes, ajudam a dar mais brilho e movimento, deixando os cabelos com mais vida e viçosos”, explica o profissional. Ao contrário, quem tem fios muito oleosos pode investir em óleos cítricos, de limão ou laranja, porque ajudam a balancear a oleosidade natural dos cabelos – o truque também é sempre aplicar o óleo nas pontas e nunca na raiz.
CONHECENDO OS ÓLEOS NATURAIS
Se na sua cabeça só os óleos de coco e oliva existem, saiba que a variedade é praticamente sem fim. No melhor estilo Yasmin Brunet, Paulo listou produtos diferentes que podem ser usados diretamente nos fios – e muitos deles são encontrados na sua cozinha.
Argan: repara e hidrata os fios, além de ter alto poder antioxidante.
Semente de algodão: é antioxidante, e rico em vitaminas E e ômega 6, essenciais para a saúde do cabelo.
Chá verde: ajuda a revitalizar a estrutura dos fios, além de cuidar do couro cabeludo, limpando e energizando a região.
Abacate: é sinônimo de nutrição, reparação e emoliência, além de ser um ótimo aliado para hidratar o cabelo que está muito ressecado.
Farelo de arroz: é rico em ações restauradoras, vitamina E e propriedades antioxidantes.
Óleos cítricos (limão, laranja, tangerina ou abacaxi): suavizam os fios, ativam a microcirculação do couro cabeludo e são excelentes para ajudar na queda de cabelo e caspa.
Semente de uva: é também um antioxidante e rico em nutrientes de hidratação.  
Geleia Real: proteína com alto poder de nutrição e ação antioxidante é considerado um elixir de maciez e brilho para os cabelos.
COMO USAR ESSES ÓLEOS NA ROTINA
Apesar de serem incríveis para deixar os fios mais bonitos, fortes e saudáveis, é preciso um certo cuidado ao usá os óleos naturais nos fios. Por conta da sua natureza, eles podem, sim, deixar o cabelo também mais oleoso, se os seus fios já tiverem essa tendência. Ou seja, todo cuidado é pouco na aplicação.
“É bom ressaltar que quem tem a raiz oleosa e as pontas secas deve aplicar os óleos apenas no comprimento do meio do cabelo para as pontas. Outra dica é usar um shampoo à base de gengibre ou ervas herbáceas na hora de lavar os cabelos. Eles ajudam a equilibrar e limpar profundamente o couro cabeludo, já que os cabelos oleosos são os que mais produzem glândulas sebáceas”, diz Paulo.
Além disso, pensar na frequência e modo de aplicação também é importante. Todos esses óleos podem ser misturados a outros produtos, como cremes de hidratação, no dia a dia, mas o profissional aconselha fazer um tratamento de choque a cada 15 dias ou uma vez por semana, dependendo das necessidades do seu cabelo.
“Lave bem os cabelos, aplique o óleo diretamente no fio e deixe agir por alguns minutos, no mínimo 15 e no máximo 60. Depois enxague. Quem não tem muito tempo para essa tarefa, pode aplicá-los nos cabelos e deixar agir na hora de dormir. Eles também podem ser aliados quando misturados no condicionar do dia a dia ou no creme de hidratação”, explica ele.
ONDE ENCONTRAR
Muitos desses óleos podem ser encontrados em farmácias ou lojas especializadas. Mas, se você não tem ideia de onde começar a procurar, pode conferir nos endereços abaixo de compra online:
Mundo verde
http://mundoverde.com.br/
eCycle
http://www.ecycle.eco.br/index.php/
Natue
https://www.natue.com.br/
Flora Fiora
https://www.florafiora.com.br/

Os óleos essenciais potencializam os tratamentos para a pele (Foto: Thinkstock)
Os óleos essenciais potencializam os tratamentos para a pele (Foto: Thinkstock)

Aprenda a usar óleos essenciais para potencializar as suas máscaras faciais

Com alto poder de absorção e hidratação, os óleos naturais ajudem a manter a pele mais bonita e hidratada e dão um up em qualquer tratamento para o rosto.

leos como o de coco e o de amêndoas se tornaram grandes aliados da beleza – principalmente quando o assunto são os cabelos. Porém, os óleos essenciais – que não tem essa consistência oleosa e são responsáveis pelo aroma das plantas – podem ser igualmente utilizados com essa finalidade.
Uma forma de incorporar esses produtos na sua rotina de beleza, e tirar deles o máximo de vantagens para a pele e a saúde como um todo, é potencializando as suas máscaras faciais. Como esse tipo de tratamento, muitas vezes caseiro e facílimo de fazer, se tornou muito popular nos últimos tempos, ele pode ser ainda bem aproveitado fazendo bom uso de produtos que são orgânicos, de origem vegetal, e que tem muitos benefícios além da aromaterapia.
“Os óleos essenciais trazem a cura para nossa pele - hidratam, regeneram a nível celular e tratam a pele como um todo. Por terem alta penetração na epiderme, a pele entra em processo de regeneração. Um exemplo: quem tem psoríase, um tipo de doença dermatológica, pode tratar a pele com bergamota - cicatrizante, calmante e antisséptico”, explica Alessandra Meleiro, esteticista do Lavanda Fitness Spa.
De acordo com a profissional, essa natureza dos óleos essenciais acaba potencializando os tratamentos para a cútis e isso fica ainda mais evidente quando você escolhe um tipo de óleo ideal para o seu tipo de pele – direcionando melhor a ação da máscara. “Para pele secas, pode ser usado a mirra, o sândalo, cedro e camomila – que hidratam e revitalizam. Em peles oleosas, o gerânio, laranja, Ylang Ylang, neróli e limão ajudam a adstringir a pele.  Quem tem pele que sofre com acne pode apostar no óleo de melaleuca, gerânio, lavanda limão e patchouli – que tem efeito power contra as espinhas”.
O principal a ter em mente, além do seu tipo de pele, claro, é garantir que o óleo é 100% natural e que você não tem alergia a nenhuma das suas prioridades – para isso, é sempre importante consultar um profissional. E, se você quer uma dica de qual o melhor óleo para o rosto, Alessandra responde: “O gerânio é um óleo muito utilizado como regenerador facial a nível celular. As rosas, como a mosqueta, também tem esta propriedade e são muito utilizadas com a mesma função - tem ação clareadora, cicatrizante e calmante.”
Se você gostou da ideia e quer experimentar colocar óleos essenciais nas suas máscaras, a profissional também compartilhou duas receitas incríveis para fazer em casa:
Máscara para acalmar a pele
• 2 colheres de mel
• 1 colher de gel de babosa (aloe vera)
• 1-2 gotas do óleo essencial para seu tipo de pele

“Misture, aplique e deixe por 10-15 minutos. Lave com água quente. Possui efeito calmante e para pele irritada e sensitiva. É bom para todos os tipos de pele”.
Máscara clareadora
• 1 colher de argila (de sua escolha: pode ser verde, branca e rosa)
• 1 colher de vinagre de maçã
• 2-3 gotas do óleo essencial para seu tipo de pele
• Água o suficiente para formar uma pasta
“Misture todos os ingredientes e aplique no rosto. Deixe a máscara secar por 10-20 minutos – o quanto mais sensitiva sua pele, menos tempo é recomendado.  Lave com água quente. A argila e o vinagre de maçã limpam as impurezas dos poros, ajudando a clarear a pele”.

O óleo de coco é uma fonte de energia rápida (Foto: Thinkstock)
O óleo de coco é uma fonte de energia rápida (Foto: Thinkstock)

Óleo de coco: especialistas esclarecem dúvidas sobre o uso do ingrediente na dieta e beleza

O óleo de coco emagrece? Ele ajuda a dar saciedade? É um bom hidratante para a pele? Aqui, especialistas respondem a essas e mais questões sobre o ingrediente da moda

No ano passado, o óleo de coco se tornou uma verdade febre e foi apontado como um aliado da boa forma e beleza. Famosas que seguem um lifestyle saudável, como a modelo Yasmin Brunet e a atriz Fernanda Souza, são algumas adeptas do ingrediente. Mas recentemente uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Nutrologia afirmou que não há evidências que óleo de coco emagrece e que poderia até mesmo aumentar o colesterol. Por isso, Marie Claire procurou especialistas para esclarecer dúvidas sobre este polêmico ingrediente da moda.

O ÓLEO DE COCO NA DIETA

Um dos usos mais comuns do óleo de coco é junto com o café. A bebida, conhecida como Bulletproof Coffee, foi criada por Dave Asprey, um investidor em tecnologia do Vale do Silício, nos Estados Unidos, depois de 15 anos de pesquisa, e ganhou fama de ser um excelente pré-treino. Segundo a nutricionista funcional Bruna Vilela, que cuida da alimentação de Fernanda Souza, de fato a mistura é uma boa opção para tomar antes de ir malhar porque dá um bom estímulo de energia.

“O café tem cafeína, um estimulante que atua no sistema nervoso central, então nos deixa mais agitados, enérgicos. O óleo de coco é um triglicerídeo de cadeia média, que gera energia rápida. Não é uma gordura que precisa de enzimas para a digestão. Então, o café é uma boa fonte de disposição e o óleo de coco é uma fonte de energia rápida. É um boost de energia.” Mas não pense que por isso o ingrediente promove a perda peso. "O óleo de coco não emagrece, ele tem calorias [uma colher de sopa tem 125 calorias]. Mas com mais energia é possível fazer um treino melhor, render e queimar mais calorias."
Apesar de não emagrecer por si só, o óleo de coco pode colaborar no processo, uma vez que ele ajuda a dar saciedade. "Por ser um triglicerídeo de cadeia média, o óleo de coco possui gorduras boas que auxiliam - como toda boa gordura -  no aumento da saciedade, diferente dos carboidratos que acabam por alterar e glicemia e aumentar a fome", afirma a nutricionista Luna Azevedo, que atende famosas como Yasmin Brunet. Por isso, Bruna acredita que gorduras são sempre boas fontes de lanche da tarde para você se saciar e evitar beliscar.
Sobre se o ingrediente pode aumentar o colesterol total e, consequentemente, desencadear problemas cardiovasculares, Bruna acredita que não. "O colesterol exógeno não aumenta o colesterol endógeno, isso significa que o colesterol bom que a gente consome não aumenta o colesterol do nosso corpo." Luna acrescenta que o óleo de coco tem alta concentração de de fenóis - antioxidantes que combatem o envelhecimento celular. "Isso o torna um dos mais potentes antioxidantes capaz de reduzir a peroxidação lipídica, ou seja, pode prevenir a progressão da aterosclerose e a ocorrência de doença cardiovascular."
Mesmo assim, Bruna alerta ao dizer que é preciso ter um consumo consciente e não excessivo do ingrediente. "Quando um alimento está na moda, as pessoas querem ingeri-lo várias vezes ao dia. Isso não é legal. Se você tomar café com óleo de coco no dia, por exemplo, já está ótimo. Você não tem que substituir toda gordura que você consome por óleo de coco porque o corpo necessita de outras fontes, cada uma tem seus benefícios. Essa é uma das opções que deve entra no sistema de rotatividade de gorduras que se ingere. O azeite também é uma gordura boa, que tem ômega 3, o que o óleo de coco não tem. Mas ele tem ácido láurico, que pode funcionar como potente antiviral e antibacteriano", afirmou. "Às vezes, a dieta da pessoa está toda errada e ela adiciona o óleo de coco e acha que vai resolver. O óleo de coco não faz milagre, não emagrece, mas pode ser utilizado numa dieta saudável com vários benefícios."
Luna concorda: "Realmente não existe alimento, produto ou remédio milagroso. Óleo de coco, assim como qualquer produto ou alimento em excesso, pode causar danos. A diferença de remédio para veneno é a dose. O mesmo pode ser aplicado nos alimentos. Nada deve ser consumido sem acompanhamento médico e nutricional."
O óleo de coco pode ser utilizado como demaquilante (Foto: Thinkstock)
O ÓLEO DE COCO NA BELEZA
Além de aliado na alimentação, o óleo de coco passou a ser usado para cuidar da beleza, como para hidratar os fios. Porém, Renata Souza, cabeleireira especialista em tratamentos capilares naturais do Spa Dios, em São Paulo, não vê o ingrediente como potente hidratante para os fios. "Mas sim um umectante por conta das características que todo óleo vegetal tem, ou seja, cria uma barreira para que o cabelo não perca água e sofra com ressecamento por conta de agressões externas, mas não devolve o líquido já perdido", explicou. Uma boa opção, segundo ela, é turbinar um produto adicionando óleo de coco. "Indico colocar uma colher de sopa em 150 gramas de creme ou máscara hidratante."
Já para a pele, o óleo de coco traz muitos benefícios. O ingrediente é bom para hidratarregiões muito ressecadas do corpo, como cotovelos e pés. "No entanto, quando incorporado em manteigas hidratantes, ele possuirá uma performance maior na hidratação dessas áreas", disse Patricia Lima, fundadora da Simple Organic, marca de cosméticos naturais elaborada com ingredientes orgânicos. O ingrediente também ajuda (e muito) a recuperar a pele no pós-sol. "Após a exposição ao sol, a pele desidrata e fica irritada. O óleo de coco é um ótimo calmante e, por ser rico em ácidos graxos que combatem os radicais livres, hidrata, nutri e combate o envelhecimento da pele."
Uma outra função do óleo de coco é para remover o make, como se fosse um demaquilante. "Basta uma pequena quantidade de óleo de coco num algodão para remoção da maquiagem. Diferentemente dos demaquilantes sintéticos que limpam a maquiagem e também nutrientes e a oleosidade natural da pele, o óleo de coco hidrata e acalma a cútis."
E se você acha que o óleo de coco deixará sua pele oleosa, você esté enganada. "Ao contrário do que muitos pensam, óleo de coco e outros óleos vegetais 100% naturais têm a capacidade de limpar profundamente a pele, o que é fundamental para todos os tipos de pele, principalmente as oleosas. Isso acontece por causa das suas propriedades antibacterianas, antifúngicas e anti-inflamatórias", explicou.
Ela acredita inclusive que o óleo pode ajudar a reduzir a oleosidade. "Os ácidos graxos presentes no óleo de coco possuem afinidade com a pele e fazem com que a produção de oleosidade compensatória [aquele aumento da oleosidade que acontece quando são utilizados produtos de limpeza sintéticos] não aconteça, diminuindo assim a produção de oleosidade." Ainda que o óleo traga muitos benefícios, ela aconselha fazer um teste na pele para saber como ela reage ao ingrediente.
DESCUBRA COMO O ÓLEO DE CORPO É ALIADO DA BELEZA (Foto: THINK STOCK)

DESCUBRA COMO O ÓLEO DE CORPO É ALIADO DA BELEZA (Foto: THINK STOCK)

5 problemas de beleza que o óleo de coco pode resolver

O óleo de coco ajuda na hidratação da pele, pois combate o ressecamento. Além disso, tem propriedade benéficas ao cabelo

CUTÍCULA MACHUCADA
óleo de coco é um grande aliado da beleza e pode ser usado em todo o corpo. O site "Divine Caroline" indica que quando a cutícula nasce quebrada ou é machucada e fica em escamas, uma das soluções é aplicar óleo duas vezes por dia para ajudar na recuperação da pele.

PELE IRRITADA
Para mantê-la macia, além da hidratação com cremes, é possível usar o óleo para combater a vermelhidão e a irritação. O produto  também ajuda a reforçar a barreira natural da pele
PELE RESSECADA
Geralmente as regiões dos cotovelos e pés são as que mais sofrem com o ressecamento. Lance mão do óleo de coco para hidratar e ajudar na recuperação.
CASPA
Uma das medidas alternativas para combater a caspa é, acredite, o óleo. Basta esfregá-lo na raiz do cabelo que ele irá reduzir o problema, além de aliviar a coceira e a descamação.
FRIZZ
Misture um pequena porção do produto nas mãos e passe na ponta dos cabelos para evitar que o frizz estrague seu look. O óleo repele a água, que é a principal causadora do problema.

Fonte:http://revistamarieclaire.globo.com/Beleza/noticia/





Postagens mais visitadas deste blog

ALTERNATIVAS NATURAIS PARA DIMINUIR A LIPOPROTEÍNA 'A'

Comer peixe que tenha bastante ácidos graxos ômega-3 pode diminuir os níveis de lipoproteína (a)
O QUE É A LIPOPROTEÍNA 'A'
A lipoproteína (a) [Lp(a)] consiste numa partícula semelhante à LDL e a apolipoproteína específica (a) [apo(a)], que é covalente ligada à apoB da partícula semelhante à LDL. As concentrações plasmáticas de Lp(a) são altamente hereditárias e controladas principalmente pelo gene da apolipoproteína (a) [LPA] localizado no cromossoma 6q26-27. As proteínas apo(a) variam em tamanho devido a um polimorfismo de tamanho [KIV-2 VNTR], que é causado por um número variável de repetições kringle IV no gene LPA. Esta variação de tamanho ao nível do gene é também expressa ao nível da proteína, resultando em proteínas apo(a) com 10 a > 50 repetições kringle IV (cada variável do kringle IV consiste em 114 aminoácidos). Estes tamanhos variáveis ​​das apo(a) são conhecidos como "isoformas apo (a)". Existe uma correlação geral inversa entre o tamanho da isoforma a…

ALOE VERA : A MARAVILHA PROIBIDA

Aloe Vera: A Maravilha ProibidaAloe Vera é geralmente chamada de a planta milagrosa, a cura natural, dentre outros nomes que sobreviveram por 4.000 anos dentro dos quais essa planta tem beneficiado a humanidade. George Ebers em 1862 foi o primeiro a descobrir o uso da Aloe na antiguidade em um antigo manuscrito egípcio datado de 3500 AC, o qual foi de fato uma coleção sobre ervas medicinais. Outros pesquisadores desde então descobriram que a planta era usada também pelos chineses e indianos antigos. Médicos gregos e romanos como Dioscorides e Plínio usavam Aloe obtendo maravilhosos efeitos e legendárias sugestões que persuadiram Alexandre O Grande a capturar a ilha de Socotra no Oceano Índico com o intuito de obter sua rica plantação de Aloe para curar seus soldados feridos nas guerras. As rainhas egípcias Nefertiti e Cleópatra taxaram grandiosamente a Aloe como sendo o melhor tratamento de beleza. Naqueles tempos beleza e saúde estavam intimamente ligadas, muito mais que estão atualme…

OVOS - QUANTOS POSSO COMER POR DIA ?

Ovos — Quantos Posso Comer por Dia?

Os ovos são uma fonte ampla­mente disponível, barata e ver­sátil em ter­mos de pro­teí­nas, cál­cio e vit­a­m­i­nas. Eles tam­bém são fre­qüen­te­mente asso­ci­a­dos a efeitos adver­sos como prob­le­mas de coles­terol e dia­betes. No entanto, a pesquisa atual mostra que o con­sumo mod­er­ado de ovos pode ser seguro e bené­fico para adul­tos saudáveis. A ingestão diária depen­derá de uma série de fac­tores, incluindo a história da saúde, sexo e nível de activi­dade da pessoa.


Nutrição

Famosos por seus altos níveis de pro­teína e cál­cio, os ovos con­têm uma série de vit­a­m­i­nas e min­erais impor­tantes. Um único ovo cozido grande tem ape­nas 78 calo­rias, mas ofer­ece 6,29 g de pro­teína, 25 mg de cál­cio, 0,59 mg de ferro e 112,7 mcg de col­ina. O ovo con­tém 22 mcg de ácido fólico, 260 UI de vit­a­m­ina A, 44 UI de vit­a­m­ina D e 176 mcg de luteína e de zeax­an­tina, bem como peque­nas quan­ti­dades de muitas das vit­a­m­i­nas do com­plexo B.
Coles­…