Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

10 DICAS PRÁTICAS PARA REDUZIR O DESPERDÍCIO ALIMENTAR E POUPAR DINHEIRO


Mais de um terço de toda comida produzida no mundo é desperdiçada, todos os anos, ao mesmo tempo que quase mil milhões de pessoas passam fome, avisa a FAO. Deitar fora comida não é só um desperdício da mesma; também o é do trabalho, da água, da energia, da terra e dos outros recursos utilizados na sua produção.

Se, por um lado, o abastecimento de comida é demasiado abundante, cerca do dobro da quantidade necessária para cada pessoa, por outro, os alimentos que não correspondem aos nossos parâmetros de beleza – porque não têm a forma ou a cor certa – são desperdiçados, explica Jonathan Bloom, escritor e criador da plataforma Wasted Food.

A chave para este problema, na opinião do ativista, é aproximar as pessoas dos alimentos que consomem. Em conversa com o Mashable, Jonathan Bloom apontou algumas dicas simples e práticas que qualquer pessoa pode seguir para ajudar na luta contra o desperdício alimentar.
1. Pense melho…

ESTUDO REVELA IMPACTO AMBIENTAL DE CULTURAS GENETICAMENTE MODIFICADAS

O economista Federico Ciliberto da Universidade de Virginia estudou o impacto ambiental das culturas geneticamente modificadas.
De acordo com um novo estudodo economista Federico Ciliberto da Universidade de Virginia, a adoção generalizada de culturas geneticamente modificadas causou uma redução do uso de inseticidas, mas um aumento do uso de herbicidas, à medida que as ervas daninhas se tornaram mais resistentes.

O trabalho de investigação – que utilizou dados de mais de 5000 agricultores de soja e de 5000 agricultores de milho, nos Estados Unidos, de 1998 a 2011 – é considerado o maior estudo sobre culturas geneticamente modificadas e uso de pesticidas até à data, destacando-se de anteriores trabalhos, limitados a dados de apenas um ou dois anos.
“O facto de que dispomos de 14 anos de dados (…) de agricultores espalhados pelos EUA torna este estudo muito especial”, declarou o economista. “Temos observações sucessivas …

ALIMENTAÇÃO INFANTIL : 7 A 10 ANOS

7.NOV
ALIMENTAÇÃO INFANTIL: 7 A 10 ANOS

Essa fase começa aos 7 anos e termina com o início da puberdade. É quando a criança muda o relacionamento com o alimento, o qual passa a ter mais importância. O ambiente não tem tantas novidades e ela já convive mais com outras crianças, inclusive com brincadeiras que exigem maior gasto energético. A maioria dos dentes permanentes aparece nesse período, visto que os “dentes de leite” começam a cair por volta dos 6 anos. Portanto, torna-se fundamental um plano alimentar adequado (rico em fibras e pobre em açúcares simples) e a correta higienização da boca. É fato comprovado que o rendimento escolar tem relação direta com a alimentação da criança. Crianças desnutridas são indispostas, desatentas e apresentam maiores dificuldades de aprendizado.
Necessidades nutricionais
Como em outras fases da vida, um padrão alimentar equilibrado e adequado às necessidades da criança em idade escolar, compreenderá uma distribuição, em termos de aporte energético, de ac…